SNK tem 96% de suas ações compradas por príncipe da Arábia Saudita

Mohammed bin Salman é o novo dono da tradicional empresa de jogos fundada no Japão.


A SNK agora pertence ao príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman. O comunicado formal foi feito esta semana por meio de um anúncio a investidores feito pela própria empresa japonesa em 15 de fevereiro, mas o fato só se tornou público durante esta semana.

Com um valor médio de 30 dólares por ação, o valor investido pelo príncipe na compra dos papéis foi de aproximadamente 430 milhões de dólares. O anúncio segue o "investimento estratégico" da MiSK, fundação que pertence a Salman, pela SNK em novembro de 2020, em que 33% da corporação foi adquirida com a opção de obter uma participação majoritária futura girando na casa dos 51%. Pelo visto isso não foi suficiente e a fundação resolveu comprar logo tudo.
Mohammed bin Salman também é o dono do clube de futebol inglês Newcastle, comprado em 2021
Em um comunicado para a imprensa enviado após o acordo, a MiSK disse:
"O investimento da Electronic Development Gaming Company também reforça os objetivos da MiSK Foundation de alcançar seus objetivos através da construção de parcerias com organizações locais e internacionais em vários campos. Juventude saudita e global.

O investimento da Fundação Mohammed bin Salman (MiSK Foundation) na SNK dá continuidade a uma parceria de longa data com a empresa japonesa que inclui trabalhar anteriormente em projetos conjuntos em animação e videogames, por meio da subsidiária da MiSK, Manga Productions. Isso incluiu programas de intercâmbio de conhecimento para jovens sauditas que visitaram o Japão como parte de um programa de treinamento onde trabalharam com a SNK no desenvolvimento de jogos."
As intenções na aquisição da SNK ainda não foram realmente divulgadas, mas especula-se que seja algo relacionado com o cenário de eSports, com a aquisição de parcerias e patrocinadores. O impacto desse negócio com os jogos da empresa, como o recente The King of Fighters XV, também permanece um mistério.

Fãs da empresa protestaram nas redes sociais, contra a aquisição, pelo fato do príncipe estar envolvido em casos de perseguição de pessoas contrárias à monarquia saudita. O escândalo mais conhecido tem a ver com a acusação do monarca como mandante do assassinato a um jornalista Jamal Khashoggi, morto na entrada da embaixada saudita em Istambul em 2018. O caso ainda está sob investigação.

Fonte: Eventhubs

Fã de Castlevania, Tetris e jogos de tabuleiro. Entusiasta da era 16-bit e joga PlayStation 2 até hoje. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora quando as partidas acabam em discórdia e fogo no parquinho. Nas redes sociais é conhecido como @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google