Jogamos

Análise: Forza Horizon 5 (Multi) traz toda a emoção da série, com tempero mexicano

Maior, mais refinado e mais bonito.


Forza Horizon 5 é um jogo de corrida arcade em mundo aberto, que celebra a alegria de dirigir num ambiente festivo com carros velozes e total liberdade. Esta edição do festival é ambientada no México, quente e latino, muito mais parecido conosco do que o frio e sisudo Reino Unido da edição anterior. Hora de apimentar esse festival!

A vida é uma festa!

Se tem algo que a Playground Games consegue fazer é bolar aberturas incríveis para Forza Horizon. O início do jogo é como um mix que mostra um pouco do que lhe aguarda nas centenas de horas de conteúdo que o jogo oferecerá. Começamos dirigindo um Ford Bronco, solto de um avião de carga sobre um vulcão ativo (!!!), passando por estradas, tempestade de areia, selva, lama e deserto em diferentes veículos até chegar ao festival. Em pouco menos de dez minutos o jogador saboreia diversas sensações ao volante, algo que somente um Forza Horizon poderia proporcionar.
Levantou poeira!
Logo nas primeiras tarefas temos uma tradicional corrida de carro contra avião. Enquanto eu jogava, pensei “é divertido, mas já fiz isso antes…” e durante esse pensamento aconteceu uma surpresa, algo que realmente eu não esperava, o que mostra a inventividade da desenvolvedora.

El Chavo del Vocho

Os mexicanos gostam tanto do Volkswagen Beetle que, assim como os brasileiros, deram um apelido nacional para o carro. O veículo que, aqui é carinhosamente chamado de Fusca, por lá é chamado de Vocho, e tal qual no Brasil, é considerado como um ícone da cultura popular.

Um clássico!
O amor pelo Fusca - ou melhor, Vocho - é apenas um dos vários aspectos da cultura mexicana representados no jogo. A arquitetura dos vilarejos, manifestações populares como a brincadeira de quebrar piñatas, as pinturas em murais, as imponentes pirâmides astecas, a customização de personagem com máscaras de luchadores, as músicas que tocam nas rádios e os diálogos dos personagens, que misturam palavras em espanhol no meio da conversa ambientam o jogador na cultura local.

Os belos cenários do México foram ricamente retratados em onze tipos de bioma: cânion, costa tropical, costa rochosa, fazendas, colinas áridas, selva, deserto vivo, deserto de areia, pântano, vulcão e cidade. O cenário urbano é uma belíssima representação da cidade de Guanajuato, com seus ares de cidade do interior da América Latina, o que traz um clima de familiaridade para jogadores brasileiros, muito mais que a austera Edimburgo de Forza Horizon 4.

Sentindo falta dos chefes

Os tíquetes coloridos do festival me fizeram pensar, por um momento, que a clássica estrutura de progressão do primeiro Forza Horizon havia voltado: história dividida em capítulos, nos quais ao final de cada episódio você enfrenta um chefe de fase numa corrida mano a mano. Isso era algo incrível e que dava um gostinho especial de vitória e um senso de progressão muito satisfatório, mas que por algum motivo inexplicável só existiu no primeiro jogo da série. Infelizmente, não foi dessa vez que os chefes de fase voltaram.
Tíquetes coloridos e muita disciplina
Em Forza Horizon 5 os tipos de corrida são divididos em “disciplinas”, que ao serem concluídas abrem novos grupos de desafios. A variedade de atividades é gigantesca; existem corridas de estrada, corridas na terra, cross-country, circuitos urbanos, façanhas, competições de arrancada, exibições, drift e muito mais. Seja qual for o seu tipo favorito de atividade, você encontrará algo interessante para fazer e poderá progredir nessa categoria.

O ponto importante é que você tem liberdade total para fazer só o que gosta, e será recompensado por isso. Quer correr loucamente pelas estradas para ver a velocidade que seu supercarro consegue atingir? Quer causar a destruição invadindo uma fazenda e arrebentando tudo à sua volta? Quer pular de um penhasco com uma picape? Ou fazer drift na areia da praia? Absolutamente tudo o que você desejar fazer lhe renderá pontos recompensas.

O que há de novo, muchacho?

Algo que me deixa em dúvida em todo novo jogo desta franquia é: será que ele consegue superar o anterior? O nível de excelência dos FH é tão alto, que parece uma tarefa impossível criar algo novo ou até mesmo melhorar o que já existe. Incrivelmente, a Playground se superou mais uma vez e trouxe diversas novidades.
Parece familiar?
Embora seja algo subjetivo, eu senti que os carros estão mais pesados e com direção mais realista do que o jogo anterior. A aderência dos pneus, a inércia da massa do veículo, a sensação tátil do arrasto da borracha contra o asfalto quente ou a granulação das pistas de cascalho foi aprimorada, e pode ser sentida claramente nos controles para Xbox One ou Xbox Series, que tem vibração independente para cada gatilho analógico. Se você jogar em um volante com force feedback, como o Logitech G920, a sensação é percebida com ainda mais nitidez.

Atualmente, o catálogo de veículos contém cerca de quinhentos modelos de diversos fabricantes, incluindo super esportivos, off-roads, modelos de rally, hot hatches, compactos urbanos, buggies, picapes, veículos experimentais e até um 2554 Warthog, veículo da série Halo. Novos veículos serão acrescentados em futuras atualizações, como é de praxe na série.
Diversos tipos de carro para diversos tipos de terreno
O mapa é 50% maior do que Forza Horizon 4. Conta com mais estradas e possui rodovias mais longas, nas quais dá pra acelerar loucamente e manter por mais tempo a velocidade máxima em supercarros, com uma sensação de velocidade praticamente insana.

Nos consoles Xbox Series X é possível optar entre os modos Qualidade, que prioriza gráficos mais detalhados com taxa de 30 fps, ou Desempenho, que reduz um pouco o detalhe gráfico mas possibilita jogar em 60 fps. Eu particularmente achei ambos bastante bonitos e com bom desempenho, portanto vá de acordo com sua preferência pessoal. No aspecto visual o jogo é tão caprichado que, em certas situações, é possível confundir screenshots do jogo com fotografias do mundo real. Os tempos de carregamento são praticamente instantâneos no Xbox Series e no xCloud, permitindo viagens rápidas com espera praticamente inexistente.
Diga "xis"
Aproveitando as melhorias gráficas desta versão, o modo de fotografia foi aprimorado, trazendo filtros e muitas opções de customização para tirar aquela foto perfeita. Não se espante se suas redes sociais forem tomadas por jogadores de Forza Horizon 5 compartilhando efusivamente as belíssimas fotos tiradas no jogo.

Reflexos e partículas estão muito melhores em relação a Forza Horizon 4. Poeira, chuva, água espirrando e fumaça estão mais realistas do que nunca. Isso é especialmente relevante nas corridas dentro de tempestades de areia, outra novidade desta edição. Cenários noturnos com pistas iluminadas pelos postes e faróis dos carros estão espetaculares, com efeitos aprimorados de iluminação dinâmica.
A beleza de Guanajuato
Falando nos postes, também notei que o novo jogo está mais permissivo em colisões contra objetos maiores. Batidas que parariam o carro imediatamente em Forza Horizon 4, aqui resultam em postes voando e árvores partidas ao meio. Não é lá muito realista, mas o fluxo ficou mais contínuo desta forma.

Outra novidade é que o jogador pode entregar e receber presentes da comunidade, como os carros que você encontra em celeiros. É muito gostoso receber um carro novo de um desconhecido, gostaria que isso acontecesse na vida real também.

Jogo de arcade

Dentre as novidades desta edição, a que mais me agradou foi o Horizon Arcade, em que áreas do mapa abrem um desafio multiplayer cooperativo temporário. É mais ou menos um mini Forzathon, modo multiplayer cooperativo presente desde FH4. Ao entrar nessas áreas os jogadores devem se unir para completar uma série de tarefas rápidas, como fazer drifts, destruir objetos ou atingir uma certa velocidade em marcha a ré. Completar as atividades dentro do limite de tempo rende pontos e, ao atingir a meta de pontos, o grupo recebe uma premiação.
Arcade com os amigos
Essa é uma ideia brilhante para juntar jogadores de forma rápida e simples para um multiplayer cooperativo, algo raro de se ver em jogos de corrida. A ANNA (Assistente de Navegação Natural Avançada, um nome chique para o GPS do jogo) foi atualizada e agora permite comunicação rápida entre jogadores, algo bem interessante para esses mini-eventos.

A modelagem dos seres humanos nunca foi um forte da linha Forza e o novo título não é exceção. Embora esse aspecto tenha melhorado, os personagens ainda parecem pouco naturais com aparência de bonecos. Devemos lembrar, porém, que trata-se de um jogo de corrida, não um GTA, e os humanos normalmente são mais elementos de cenário do que personagens. Contudo, eu acredito que deveriam caprichar um pouquinho mais nos avatares do protagonista e das poucas pessoas que aparecem na história.
Use máscara!
O avatar do jogador agora tem voz e diálogos dublados nas cutscenes, melhorando aquela característica esquisita de “protagonista mudo” do jogo anterior. A criação de personagem agora possui novas opções mais inclusivas, como a possibilidade de escolher próteses e optar por pronomes de tratamento de gênero neutro.

A trilha sonora está impecável, com muitas músicas boas e, claro, inclusão de algumas faixas com atmosfera mexicana no catálogo. As estações de rádio (Pulse, Eterna, Hospital Records, Block Party, Bass Arena e XS) continuam sendo um ponto alto, cada uma cobrindo um estilo distinto com boas playlists e locutores animados, que comentam as façanhas do jogador. Todos os narradores estão dublados em português, com ótimas interpretações de voz.

Forza Horizon 5 está disponível em consoles Xbox One, Xbox Series e PCs. Ele faz parte do catálogo do serviço de assinaturas Game Pass e também pode ser jogado através do serviço de jogos em nuvem xCloud, possibilitando a jogatina em celulares Android e iOS, iPads e computadores com Linux.
Tá esquentando!

Como um vulcão que entra em erupção!

Forza Horizon 5 é tudo o que você adora na franquia, só que maior, mais refinado e muito mais bonito. Tudo o que era bom foi mantido, como mudanças nas estações, clima dinâmico e quantidade colossal de conteúdo, centenas de carros, nove níveis de dificuldade e diversos ajustes que tornam o jogo divertido, seja qual for o seu grau de habilidade.

Esse título particularmente chama a atenção pela ambientação no México, que traz um maior grau de familiaridade a nós, jogadores brasileiros, do que todos os mapas já vistos na série. Sua excelência técnica e quantidade praticamente interminável de conteúdo fazem de FH5 uma experiência obrigatória para qualquer um que goste de jogos de corrida.

Prós

  • Gráficos maravilhosos;
  • Aprimoramentos na sensação tátil dos veículos;
  • Quantidade colossal de conteúdo;
  • Jogabilidade extremamente prazerosa e acessível;
  • Multiplayer divertido e não agressivo.

Contras

  • Modelagem dos humanos deixa a desejar;
  • Modo história pouco elaborado.
Forza Horizon 5 – XSX/XBO/PC – Nota 9.5
Versões utilizadas na análise: Xbox Series X
Revisão: Felipe Fina Franco
Análise produzida com cópia física adquirida pelo redator

é engenheiro eletrônico e tem uma filha fofinha que tenta morder os controles do papai. Curte jogos de luta, corrida e ação.


Disqus
Facebook
Google