Blast Test

Impressões: Halo Infinite (Multi) traz um multiplayer divertido, acessível e muito promissor

O título conseguiu resgatar e atualizar a fórmula da clássica série Halo.



Halo tem sido o carro-chefe do Xbox desde 2001, quando a Microsoft entrou de cabeça no mercado dos consoles lançando o seu primeiro videogame. E em dezembro deste ano, pouco após o vigésimo aniversário da franquia, teremos o lançamento do aguardado Halo Infinite, o reboot espiritual da saga Halo.


E apesar de ainda faltarem alguns meses para o lançamento do jogo, já desfrutamos bastante do seu modo multiplayer através de testes fechados realizados pela desenvolvedora do game. Por conta disso, conseguimos ter uma boa ideia do que esperar deste próximo grande Halo, pelo menos, no que diz respeito ao seu modo online.

Um Halo à moda antiga, mas não só isso

Halo Infinite, apesar de ainda ser uma sequência do polêmico Halo 5: Guardians, leva a sério a ideia de reboot espiritual, enfim resgatando as raízes de sua franquia. Infinite é sim Halo 6, mas quando você o joga, fica claro que ele foi feito tendo como base os jogos mais antigos da sua saga, que costumam ser os favoritos dos fãs.


A 343 Industries finalmente teve êxito em resgatar e atualizar a fórmula da maior franquia do Xbox. Halo Infinite realmente soa como um Halo clássico em todos os aspectos possíveis, mas ele também traz mecânicas de jogos mais atuais, como o sprint e o ads. Embora essas duas já estivessem presentes em Halo 5, foi nesse jogo que elas foram incorporadas de uma forma coerente com a identidade de Halo, agora sendo quase totalmente opcionais.

Outro elemento notável da jogabilidade de Halo Infinite são os power-ups, que estão mais importantes aqui do que em qualquer outro título da franquia, sendo parte vital do aspecto sandbox do jogo. A variedade dos power-ups é alta: tem escudo portátil, gancho, camuflagem, sensor de ameaça e até um item que repele o tiro dos inimigos. E a melhor parte disso é que todos eles surgem pelo mapa do jogo, o que aumenta bastante a competitividade das partidas, afinal, esses power-ups são itens muito almejados pelos jogadores.



Também vale destacar que a 343 Industries finalmente deixou de lado aquele estilo exageradamente sci-fi utilizado nos gráficos de Halo 4 e 5. Assim como seus trailers já indicavam, Halo Infinite tem uma estética próxima dos jogos mais antigos de sua franquia, trazendo armas e armaduras com um estilo bem militar e cenários amplos cheios de belas paisagens naturais. 

Algumas coisas ainda precisam melhorar

Apesar de a prévia já oferecer uma experiência agradável, Halo Infinite ainda precisa receber algumas melhorias até o seu lançamento. É claro que problemas são algo esperado em prévias técnicas, porém, levando em conta que o título já foi adiado em mais de um ano, existem coisas que não podem ser relevadas, como a versão do game no Xbox One Fat e S, que vem sofrendo para manter míseros 30 quadros por segundo. É sim provável que, assim como aconteceu com os gráficos do jogo, sua otimização também receba um bom upgrade, porém é impossível ter certeza de que isso realmente acontecerá.



O sistema de progressão do passe de batalha de Halo Infinite também tem um problema difícil de relevar, que é o fato de ele ser baseado apenas em desafios. Ou seja: o único jeito de evoluir no passe do jogo é fazendo as atividades propostas por ele. Não há nenhuma forma alternativa de progressão, o que é extremamente frustrante, já que vários desafios do passe demandam muito tempo e paciência do jogador. E apesar do feedback da comunidade quanto a isso, a 343 Industries já confirmou que esse sistema de progressão não mudará no lançamento de Halo Infinite. A esperança agora é que a empresa, no mínimo, se esforce para trazer uma boa quantidade de desafios que possam ser feitos de forma rápida e orgânica.

Rumo ao infinito... e além!

Mesmo que ainda não esteja finalizado, Halo Infinite já conseguiu se provar para mim como o jogo que irá atualizar sua franquia de uma vez por todas. Além disso, o título também parece pronto para levar Halo a um novo público, já que ele será muito acessível, trazendo um multiplayer gratuito, modos offline feitos para que os jogadores possam melhorar suas habilidades, e um passe de batalha que, apesar de ter um sistema de progressão problemático, chama atenção por oferecer várias recompensas gratuitas.


E mais importante do que tudo isso: Halo Infinite é divertido! Mesmo nos testes em que joguei, onde não havia muito conteúdo disponível, o game já estava bem viciante. Halo Infinite é um FPS raiz que tem a cara de Halo, mas ele também não fica devendo em relação aos outros shooters free-to-play atuais. O título realmente parece preparado para conquistar uma vaga entre os grandes jogos gratuitos da atualidade.

Tudo indica que Halo Infinite não só irá brilhar muito no seu lançamento, como também continuará relevante após ele. O formato do jogo está nos padrões dos maiores games como serviço do mercado e, levando em conta sua alta qualidade, imaginar que ele terá uma longa vida útil não parece nada fora da realidade. O céu é o limite para Halo Infinite!

Revisão: Heloísa D’Assumpção Ballaminut
Texto de impressões produzido com prévia técnica disponível no Xbox Insider

um cara que adora jogar uns joguinhos e assistir umas coisas bem aleatórias.


Disqus
Facebook
Google