Dicas e Truques

Deathloop (PS5/PC): dicas para iniciantes

Quebre o ciclo com as nossas dicas.


Deathloop
é um “quebra-cabeça de assassinato” desenvolvido pela Arkane Studios, uma aventura original que mistura loop temporal, infiltração furtiva, investigação, tiro em primeira pessoa e, claro, assassinatos. Aqui controlamos Colt Vahn, um homem que acorda sem nenhuma lembrança em uma praia na ilha de Blackreef e precisa se libertar do ciclo temporal em que está preso. Neste guia sem spoilers você receberá dicas preciosas que lhe ajudarão a desvendar esse mistério.

A maior parte do tempo é pra investigar e não matar geral!

O início de Deathloop é extremamente confuso e, acredite, isso faz parte do seu game design. O jogador sente a mesma sensação de desorientação pela qual o protagonista está passando, e descobrir o que está acontecendo é o objetivo principal da campanha.

Um erro extremamente comum, que eu também cometi, é agir como se Deathloop fosse um jogo de tiro, tentando matar todos os inimigos que aparecem pela frente. Na verdade, trata-se de um jogo de investigação, em que devemos montar um quebra-cabeça para descobrir o que está acontecendo e o que podemos fazer para resolver nossa situação. 
Deathloop é um quebra-cabeças, sair atirando em tudo sem planejamento não o levará a lugar algum.
Portanto, ao sair explorando o mundo, concentre-se menos em matar e mais em coletar informações. Procure por anotações, pistas, leia mensagens em computadores, examine todos objetos e não deixe passar nada. Vá sem pressa e explore tudo que puder em todas as áreas que passar, evitando ter que repetir um ciclo só para pegar um detalhe que passou batido.

Quando avistar um grupo de inimigos conversando, não parta pra cima deles com a faca nos dentes; em vez disso, ouça a conversa pacientemente e procure aprender algo novo. Muitas dessas conversas desbloqueiam objetivos e dão pistas essenciais. Sem informação é impossível progredir na história.

O tempo passa de maneira esquisita em Blackreef

Logo no começo do jogo você descobre que está em um loop temporal com duração de um dia, com Colt acordando na praia ao amanhecer. Na prática, “um dia” de Blackreef corresponde a quatro períodos de tempo: manhã, meio-dia, tarde e noite. O período muda quando Colt volta aos túneis, que funcionam como sua base secreta.

O truque aqui é: o tempo não passa enquanto você está explorando uma área. Se você estiver no ciclo da tarde, por exemplo, pode andar por aí à vontade e nunca anoitecerá. Quer dizer, mesmo que no mundo real tenham se passado várias horas, o tempo nunca avançará no jogo até que você morra ou volte para os túneis.
Amanhã será outro dia... só que não.
Se você morrer três vezes dentro de um mesmo período, o ciclo será reiniciado e você acordará na praia, na manhã do ciclo seguinte, perdendo tudo que não foi “salvo” com infusão — algo importante que veremos na próxima dica.

Não adianta montar um arsenal antes de desbloquear a Infusão

Residuum é uma substância misteriosa que permite ser infundida em equipamentos, retendo-os ao mudar de ciclo. Logo, sair acumulando itens antes de desbloquear essa habilidade é uma perda de tempo. Desbloqueá-la é uma das suas prioridades no início do jogo.

Para desbloquear o sistema de infusão, visite o Complexo no período da tarde e siga a pista “encontre a pesquisa da Wenjie”. O laboratório está cheio de torretas, então deixe seu Hackamajig preparado. Procure por um caderno Dádivas da Anomalia e leia-o. 
Desbloqueie a Infusão assim que possível!
Acabe com as Wenjies e pegue o Coletor Portátil que está no andar mais baixo, saia e siga para o prédio vermelho. Elimine as Wenjies restantes e use o Coletor para absorver a Infusão. Volte para o lugar indicado pelo marcador, encaixe o Coletor, entre no tubo iluminado e atire no botão. 

Bater e correr é melhor que morrer

Normalmente a forma mais eficiente de eliminar inimigos em Deathloop é chegar de mansinho, matar um inimigo furtivamente, matar um segundo inimigo (se houver oportunidade) e sair correndo. A inteligência artificial não é muito boa e você conseguirá despistar seus perseguidores com certa facilidade. É covarde, eu sei, mas muito eficaz.

Se você estiver fortemente armado, é possível usar a estratégia Rambo e enfrentar todo mundo de peito aberto. Porém, Colt é frágil e há lugares em que os inimigos são muito numerosos. Só parta para essa estratégia se estiver muito seguro de si e conhecer muito bem o local.

O melhor caminho quase nunca é o mais direto

Ao seguir objetivos, a tentação é de fazer o caminho mais curto para onde o indicador está apontando, mas quase sempre essa não é a melhor rota. Observe os lugares por onde você pode passar despercebido, como pontes, túneis, construções e corredores fechados. Verifique se é possível hackear objetos para distrair seus inimigos ou invadir uma torreta para que ela cuide dos vigias. 
O melhor conselho.
Também é bom memorizar rotas de fuga, salas seguras, itens de recuperação de vida e dispensadores de munição. Na hora do aperto, corra para esses locais imediatamente.

Eu sei que dá vontade de sair correndo em campo aberto atirando em todo mundo, mas em Deathloop a inteligência é muito mais importante que a força.

Larga do meu pé, Julianna!!

Julianna é uma antagonista chata que realmente pode frustrar seus planos, especialmente porque ela pode ser um jogador humano que invadiu seu jogo. Muitas Juliannas ficam escondidas próximo aos Visionários, esperando a oportunidade certa para emboscar Colt. Além disso, sua nêmesis tem vantagens absurdamente injustas: ela pode trocar de aparência com um NPC normal, não é atacada pelos outros personagens e já entra na missão armada até os dentes.

Se você gosta de um enorme desafio, pode até enfrentar uma Julianna controlada por um ser humano, mas, se você quer poupar a fadiga, clique sobre o ícone com seu nickname e mude a configuração de jogo para o Modo Para Um Jogador. Inevitavelmente você enfrentará sua rival, mas pelo menos ela será controlada pela IA do jogo, que não é lá muito esperta.
Clique no seu perfil, selecione "Modo Para Um Jogador" e tenha paz.
Existe a remota possibilidade de o outro jogador querer colaborar com você e ajudá-lo a matar os Visionários. Mas isso é muito pouco divertido, pois ele não é atacado pelos NPCs, o que torna a coisa muito fácil e sem graça. Eu não contaria com a colaboração alheia.

Revisão: Ives Boitano

é engenheiro eletrônico e tem uma filha fofinha que tenta morder os controles do papai. Curte jogos de luta, corrida e ação.


Disqus
Facebook
Google