Jogamos

Análise: Virtua Fighter 5 Ultimate Showdown (PS4) marca seu retorno aos holofotes de maneira discreta, mas firme

Apesar de não trazer muitas adições, o remaster é um excelente título e mostra o porque a série é tão marcante entre os jogos de luta.

Em um ano recheado de remakes e remasters para diversas de suas franquias, a Sega decidiu tirar mais uma série da geladeira. Um dos mais icônicos títulos de luta retorna, Virtua Fighter 5 Ultimate Showdown, lançado exclusivamente para PS4 e dado para os assinantes da PlayStation Plus entre os meses de junho e agosto. Por mais que seja apenas um remaster de um título lançado primeiramente há 15 anos, e isso não seja indício de que um novo jogo da série esteja a caminho, é bem bacana ver o retorno de um dos nomes pioneiros do gênero.

Tá bonitão hein!

O grande diferencial de Ultimate Showdown em relação às versões anteriores é seu aspecto estético. Personagens e cenários ganharam toda uma nova roupagem visual e sonora. Todo esse trabalho foi um esforço do Ryu Ga Gotoku Studio, que usou sua Dragon Engine, marca registrada da série Yakuza, para fazer toda a remodelagem deste remaster. Até uma nova abertura foi feita para esta versão.

O resultado foi novos modelos para os lutadores, que ficaram bem mais reais e bonitos, além de cenários com novos efeitos de luz e texturas. As músicas também ganharam uma nova mixagem, ficando bastante agradáveis. O único deslize neste aspecto ficou por conta da voz dos personagens, que ficaram com uma entonação estranha, como se estivessem dentro de um rádio ou algo parecido. O jogo não tem grandes diálogos, fora as introduções, celebrações de vitória e gritos característicos de cada golpe, mas esse defeito causa uma certa estranheza quando alguém fala algo. Fica a impressão de que usaram os mesmos registros de áudio da primeira versão, sem polimento algum.

Para dar um charme de nostalgia, também está disponível para compra separada o Legendary Pack. Ele possui modelos para todos os lutadores, iguais aos do primeiro Virtua Fighter, lançado em 1993, e também é adicionado um estágio antigo e cerca de 180 músicas clássicas da série. Além disso, a expansão possui mais de 2.000 itens que podem ser usados para customizar os lutadores e novos trajes. Quem não adquiriu VF5 pela PlayStation Plus, pode comprar o bundle do jogo com este pacote adicional, até porque a versão simples não está mais disponível para ser comprada.

Para jogar (principalmente) com os outros 

O esquema de luta de ainda é fiel às suas origens. Jogamos com apenas três botões: soco, chute e defesa. Parece algo simplista demais para os padrões atuais, que é recheado de combos mirabolantes e combinações complexas, mas uma das características da série sempre foi o “menos é mais”. Logo, mesmo com apenas estes comandos, e com as peculiaridades de cada estilo de luta apresentado pelo elenco, cada partida é disputada e vencida nos mínimos detalhes, exigindo o máximo de atenção dos participantes.

Deu para perceber que a intenção da Sega com este relançamento desta versão de VF 5 foi de torná-la popular entre jogadores em rede e até alcançar o patamar de eSport. O foco total da jogatina está em seu desempenho online, onde podemos realizar partidas ranqueadas e casuais. As ranqueadas são desafios diretos, com direito a revanche em melhor de três. Já as partidas casuais acontecem em lobbies, que podem ser criados livremente e, enquanto dois integrantes estão se digladiando, os demais podem assistir à luta e até mandar figurinhas, mostrando aprovação e entusiasmo (ou não). Também é possível organizar torneios e ligas com um grupo fechado e regras definidas especificamente para aquela ocasião.

Outro aspecto bacana é que podemos customizar livremente nossos escolhidos para usá-los nas batalhas em rede, mas isso tem um grande porém. Apenas possui itens de personalização quem comprou o Legendary Pack ou o bundle com tudo junto. Quem pegou o jogo pela Plus não tem nem sequer a opção de customização habilitada, o que é uma tremenda bola fora.

A escolha do estúdio foi de não utilizar o atualmente famoso rollback netcode, optando por usar o delay-based netcode, o qual “atrasa” os movimentos de um jogador visando diminuir a disparidade entre conexões de diferentes locais. Mesmo contra oponentes que tinham uma rede estável, aconteceram alguns momentos de travamento, o que atrapalhou o andamento das lutas.

O jogo está tão focado no ambiente online que sua lista de troféus é toda baseada em disputas online. Dos 13 troféus disponíveis, apenas dois podem ser conquistados jogando offline. Inclusive, VF 5 tem uma certa escassez para quem quer se divertir sem precisar esperar por um oponente. Existem apenas o modo Arcade, Versus local e Treino, que é o mais variado de todos contendo um tutorial, uma opção para treinar os comandos básicos de cada personagem e a prática livre.

Por mais que sempre tenha deixado claro que esta versão do jogo seria focada em disputas online, não seria de todo um mal deixá-la mais robusta. Diversos outros modos de jogo como Score Attack, Time Attack, Survival e até os famigerados Combo Challenges seriam adições muito bem vindas e ainda serviriam para aguçar as habilidades de quem está conhecendo a série somente nessa geração.

Um último adendo interessante seria a possibilidade de jogar com a icônica chefe do jogo, Dural. Ela podia ser desbloqueada na primeira versão do jogo, mas isso foi removido nas demais. Por mais que o elenco já tenha 19 personagens, que é um número considerável, não haveria problema nenhum em fazer esta inclusão, para a satisfação dos fãs da franquia.

Um grato retorno

Virtua Fighter 5 Ultimate Showdown pode não trazer muitas adições de conteúdo, mas seu retorno por si só já é algo significativo. O título se apresentou de maneira adequada para a atual geração e consegue aliar um bom desempenho com uma grande qualidade visual e sonora. Sua jogabilidade característica é bastante convidativa e nostálgica, perfeita para quem queria matar as saudades desse veterano dos ringues.

Prós

  • Jogabilidade ágil e simples, fácil de dominar;
  • Enorme melhora visual em relação às suas versões anteriores;
  • Diversos modos online para organizar diferentes modalidades de partidas.

Contras

  • As vozes dos personagens estão estranhas;
  • Quem não adquiriu a versão paga do jogo não pode usar a customização de personagens;
  • Poucos modos para diversão offline;
  • Algumas inconsistências nas lutas online.
Virtua Fighter 5 Ultimate Showdown — PS4 — Nota: 7.5
Revisão: Felipe Fina Franco
Análise feita com cópia digital adquirida pela PlayStation Plus


é amante de joguinhos de luta, corrida, plataforma e "navinha". Se pintar um indie de gosto duvidoso ou proposta estranha também não resisto.


Disqus
Facebook
Google