Blast Test

Impressões: Samurai Gunn 2 (PC) traz combate ágil e sangrento em uma ótima experiência multiplayer

Participe de batalhas mortais neste ótimo título para curtir com os amigos.


Em Samurai Gunn 2, espadachins armados com pistolas se enfrentam em embates extremamente rápidos. A sequência do frenético multiplayer expande os conceitos do original com personagens de habilidades únicas, modo aventura e suporte a partidas online. Lançado em Acesso Antecipado, o jogo já impressiona com seus combates robustos, por mais que ainda haja espaço para melhorias.

Lutando com espadas e pistolas

Batalhas para até quatro participantes são o foco de Samurai Gunn 2. Cada jogador controla um espadachim que, curiosamente, carrega também uma pistola. A arma de fogo tem somente três balas, que também podem ser utilizadas para fazer uma investida para escapar de ataques. A velocidade dos embates é acelerada e basta um único acerto para derrotar os oponentes.

Os comandos e o conceito do jogo são extremamente simples, mas há muitas técnicas avançadas. Os espadachins são bem ágeis e conseguem refletir balas com suas espadas, saltar pelas paredes e aparar golpes. Todos esses movimentos exigem precisão, e calcular errado alguma ação deixa o personagem aberto e a morte é quase certa. A velocidade é constante: os combatentes voltam à ação segundos depois de morrer, e as arenas pequenas forçam o conflito incessante.


Visualmente, Samurai Gunn 2 segue a direção de arte do anterior, com visual em pixel art que remete aos títulos 8 bits. As animações são elaboradas e a violência é frequente — sangue e membros voam pela tela quando alguém é morto, mas há uma opção para remover esses elementos. Uma trilha sonora com instrumentos orientais e leves batidas de hip-hop dita o tom rápido dos combates. Destaco, em especial, os menus e a tela de seleção de personagens: foram utilizadas ilustrações em conjunto com um efeito estilizado que dá a impressão de que elas estão se movendo, resultando em algo belo e impactante.

Em confrontos frenéticos e mortais com os amigos

Samurai Gunn 2, assim como o anterior, é uma opção perfeita para chamar os amigos e curtir o multiplayer por horas. As mecânicas são fáceis de entender, o que o torna acessível. No entanto, não se deixe enganar: por trás da simplicidade, há um jogo complexo e muito interessante a ser dominado. Conforme os participantes aprendem as nuances, as batalhas ficam cada vez mais intensas e repletas de momentos memoráveis. Em um dos meus confrontos mais empolgantes, por exemplo, eu e meu adversário ficamos rebatendo a mesma bala continuamente e acabei sendo derrotado ao errar um ataque por um triz.


Uma grande novidade na sequência é a presença de personagens com habilidades diferentes. Ghost tem um salto extra e fica invisível depois de usar a investida. A jovem Otomo lança uma bola de fogo no lugar do tiro da pistola. O shinobi Slug é capaz de se segurar nas paredes e atirar kunais, que podem ser recuperadas. Há até mesmo convidados: Minit, do título indie de mesmo nome, e Ana, de Spelunky. As particularidades dos espadachins trazem novas opções estratégicas, e suas habilidades são sutis o bastante para deixar os embates balanceados.

Várias arenas ajudam a trazer diversidade às partidas. Alguns mapas são mais simples e perfeitos para batalhas diretas, como uma arena completamente horizontal. Já outros estágios apresentam elementos únicos: uma fase está coberta de bambu e precisamos cortá-lo para criar caminhos; as ruínas de Spelunky têm armadilhas espalhadas nas paredes; já uma caverna conta com túneis verticais, o que demanda saltar continuamente.


O jogo oferece partidas para até quatro jogadores, e a quantidade de participantes influencia sensivelmente a experiência. Embates entre dois espadachins são mais técnicos, e recomendo para jogadores que estão no mesmo nível de perícia. Já batalhas com três ou quatro personagens viram um caótico party game com oponentes roubando pontos ou fazendo situações imprevisíveis. Só senti falta de opções para customizar as regras das partidas e de um sistema de handcap para balancear combates entre jogadores de diferentes níveis de perícia — espero que adicionem esses recursos no futuro.

A inclusão mais notável de Samurai Gunn 2 é o multiplayer online. Há duas opções: criar uma sala e convidar os amigos do Steam ou então encontrar uma partida aleatória. Nos meus vários testes, o jogo funcionou bem e a maior parte das partidas tiveram pouco lag. No entanto, achei o recurso extremamente básico, pois não há opções para filtrar os tipos de batalha ou região — até o momento, não consegui encontrar nenhuma luta aleatória com mais de dois participantes, por exemplo.



Aventura e quadrinhos em extras modestos

O primeiro Samurai Gunn tinha foco unicamente nos embates, já a sequência muda isso com a adição do modo aventura. Nele, exploramos a Floresta Proibida, que é dividida em pequenos estágios cujo objetivo é derrotar todos os inimigos. Pelo caminho, há diferentes tipos de mapas, rotas alternativas, chefes e até mesmo pequenos segredos. A aventura pode ser aproveitada sozinho ou no multiplayer local ou online.

Esse modo mantém a ação acelerada do modo principal e diverte, por mais que seja simples demais. No lançamento em Acesso Antecipado, a aventura tem só uma pequena parte do conteúdo e pode ser concluída em alguns poucos minutos. Essa modalidade é uma boa alternativa para descansar dos combates frenéticos, mas, claramente, não é o foco do jogo, como denunciado pela simplicidade geral. Isso não chega a ser um grande problema, afinal a diversão de fato está no versus.


Fora isso, Samurai Gunn 2 oferece uma graphic novel estilo mangá dentro de um menu com uma história que explora personagens e locais do jogo. Gostei bastante do traço das ilustrações e apreciei o esforço em tornar o universo mais complexo. Só achei o visualizador de imagens extremamente simples: não há opções de zoom ou navegação rápida, o que tornaria a leitura mais ágil e prazerosa. Assim como o modo aventura, somente uma pequena parte da graphic novel está disponível no lançamento em Acesso Antecipado.



Um multiplayer que já vale a pena

Samurai Gunn 2 é um multiplayer excepcional e também uma ótima sequência. Usar espadachins armados com pistolas em batalhas mortais e estilosas é bastante divertido por causa da ação rápida, dos comandos acessíveis e das várias mecânicas a serem dominadas. A inclusão de modalidade online é um grande destaque e, felizmente, funciona muito bem.

Fora o versus, o jogo conta também com um interessante modo aventura e uma graphic novel. Como lançamento em Acesso Antecipado, o título impressiona com combates sólidos, mas a ausência de opções de customização e conteúdo nos outros modos incomoda — algo que deve mudar com as atualizações futuras. No mais, se gosta de participar de embates frenéticos, Samurai Gunn 2 é bastante recomendado e deve melhorar ainda mais com o passar do tempo.

Revisão: Ives Boitano
Texto de impressões produzido com cópia digital cedida pela SCRAMBLE

é brasiliense e gosta de explorar games indie e títulos obscuros. Fã de Yoko Shimomura, Yuzo Koshiro e Masashi Hamauzu, é apreciador de roguelikes, game music, fotografia e livros. Pode ser encontrado no seu blog pessoal e nas redes sociais por meio do nick FaruSantos.


Disqus
Facebook
Google