Jogamos

Análise: Mayhem in Single Valley (PC) é uma difícil e divertida aventura em um mundo apocalíptico

Sobreviva a hordas de zumbis enquanto tenta salvar Single Valley do desastre iminente.

Mayhem in Single Valley
é um jogo de aventura com elementos de puzzle e plataforma, desenvolvido pela Fluxscopic Ltd. e distribuído pela tinyBuild. Em um mundo prestes a entrar em um apocalipse zumbi, você é a única salvação da pequena cidade de Single Valley e deve correr contra o tempo para evitar uma catástrofe ainda maior e impedir que todos descubram que (aparentemente) a culpa disso tudo é sua. Pegue sua mochila e seu estilingue, e prepare-se para desbravar todos os cantos da sua (não tão) pacata cidade.

O caos foi instaurado

Era pra ser apenas mais um dia normal na vida de Jack Johnson. Enquanto ajudava sua mãe com as tarefas domésticas e se preparava para viajar e iniciar a Faculdade de Artes, Jack presenciou o início do que seria o maior problema da sua vida até então.

Uma criatura estranha despejou um produto químico no sistema hídrico da cidade e qualquer pessoa, animal ou planta que entrar em contato com o material se torna zumbi imediatamente. Pior que isso: a culpa do problema foi toda jogada para Jack, que agora precisa reverter o apocalipse para limpar seu nome e combater a criatura maligna.




Em meio à confusão, sua mochila é roubada por um esquilo-zumbi, que foge em direção à floresta. Você então decide segui-lo para reaver seus pertences e a partir desse evento a história se inicia. Esse trecho inicial funciona como o tutorial, ensinando os comandos e mecânicas básicas da jogabilidade.

O jogo é composto por áreas que devem ser exploradas, com eventuais puzzles para desbloquear seu caminho. A interação com o cenário envolve, essencialmente, coletar itens para serem utilizados nos inimigos, encontrar colecionáveis e a possibilidade de arrastar alguns objetos.

Os ambientes presentes na aventura são bem-diversificados e elaborados. Os gráficos misturam pixel art com voxel art, sempre bem-animados e coloridos, com destaque para a iluminação, feita de maneira belíssima. Dentre os cenários temos florestas, desertos, praias, cavernas, cidades e construções, sendo que entre um ambiente e outro existem desafios de plataforma, quebra-cabeças, corrida e até uma partida de fliperama.



Como dito anteriormente, todos os seres vivos de Single Valley estão sendo contaminados e perseguem aqueles que não foram zumbificados. Para prosseguir, você deve desviar dos ataques com rolamento (no melhor estilo souls-like) e utilizar elementos do cenário para despistá-los.

De maneira geral, para distrair pessoas e animais, você deve arremessar alimentos que eles consomem: Esquilos vão atrás de nozes; coelhos, de cenouras; seres humanos, de cachorro-quente, e por aí vai. Cada ambiente possui inimigos temáticos e estratégias únicas para distraí-los.

Em praticamente todas as áreas existem "clones" de Jack que devem ser resgatados. Ao salvá-los, você receberá uma fita adesiva que é utilizada para realizar upgrades nos seus equipamentos, sendo eles os tênis, que permitem andar mais rápido e melhoram a esquiva; a mochila, que aumenta seu inventário; o escudo, que permite usar tampas de lata de lixo como proteção à ataques; e o estilingue, que melhora a habilidade de arremesso de itens.




É importante destacar um ponto: Mayhem in Single Valley é um jogo difícil, naquele estilo de morrer inúmeras vezes no mesmo local, com respawn rápido no último save automático. Você levará um bom tempo tentando entender o comportamento de cada uma das criaturas zumbificadas e durante esses momentos serão muitas mortes seguidas.

Um aspecto legal é que existem muitas animações de mortes, semelhante ao que ocorre em Crash Bandicoot, sempre variando de acordo com o inimigo que te ataca. Em muitos casos vale a pena deixar que os inimigos ataquem apenas para ver como será a morte do protagonista.

Uma história épica e maluca

Desde o início, Mayhem in Single Valley mostra que a sua história é algo que não se deve levar a sério. O jogo brinca com portais dimensionais, quebra de quarta parede, diálogos engraçados e, principalmente, o comportamento de pessoas e animais em meio à catástrofe.




Todo o desenvolvimento é feito de maneira simples, porém bem-executada, sempre trazendo curiosidade ao jogador, além de introduzir reviravoltas interessantes no final. Em determinado momento, você encontrará um idoso que sabe como reverter a situação e ele se torna seu aliado no combate aos zumbis. Porém, é necessário um ingrediente secreto disponível apenas na escola e só você poderá correr atrás deste item.

O desenrolar da história é totalmente linear e sem múltiplos finais, porém existem diversas sidequests espalhadas pelo jogo.A sua execução normalmente não interfere em nada na progressão, servindo apenas para desbloquear conquistas. No entanto, realizá-las induz o jogador a explorar todo o cenário, sempre tendo como recompensa o encontro de um clone para salvar ou colecionáveis.

O destaque dessa parte vai para os diálogos, principalmente os que quebram a quarta parede. Tudo é levado para o bom humor, chegando ao ponto de, em determinado momento, os personagens “entenderem” que estão dentro de um jogo e que existe uma “força maior” os controlando. Além disso, existe uma determinada parte em que você deve “modificar a programação" do game para prosseguir. Tudo é executado de maneira inteligente, além de possuir uma ótima localização para português brasileiro.



Problemas de performance e jogabilidade

Durante as minhas horas de jogo, notei, em diversos momentos, quedas de quadros mesmo quando não havia muita coisa no cenário. Por mais bonito que seja, Mayhem in Single Valley tem ambientes simples e não existem motivos para esse problema de performance, mesmo quando havia muitos inimigos em um só local.

Além disso, a jogabilidade da plataforma apresenta um problema muito recorrente. Não é exatamente na mecânica em si, mas sim na disposição das plataformas. A câmera do jogo é fixa e, em muitos casos, as plataformas ficam quase que camufladas no cenário devido à perspectiva de visão. Houve inúmeros casos onde eu caí em abismos por não entender a posição exata desses elementos. 




Alguns ambientes mais fechados também eram problemáticos. Muitas áreas de jogo são compostas por salas com múltiplas portas. Em alguns casos, as saídas não eram tão simples de ver, tanto pelo posicionamento da câmera quanto pela indicação, por parte do cenário, de que havia uma porta no local. Esses foram momentos frustrantes, pois eu perdi muito tempo andando em círculos procurando o lugar para prosseguir.

Uma aventura memorável e divertida

Mayhem in Single Valley é curto e simples, porém muito divertido e criativo. Apesar dos pequenos problemas com as plataformas e performance, o jogo apresenta uma aventura cativante e desafiadora que te prende até o final. Todos os aspectos criativos são bem-feitos, com cenários vivos, personagens carismáticos e diálogos engraçados. Tudo foi feito para encantar e divertir. É uma excelente opção para aqueles que procuram um jogo simples para rir e passar o tempo.  

Prós

  • Visuais belíssimos, com destaque para a iluminação;
  • Diálogos bem-construídos;
  • Personagens carismáticos;
  • Puzzles criativos e desafiadores;
  • Muitos colecionáveis disponíveis para coletar.

Contras

  • Problemas de performance;
  • O posicionamento da câmera interfere nas seções de plataforma;
  • O design de alguns ambientes não é muito intuitivo.
Mayhem in Single Valley – PC – Nota: 8.5
Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela tinyBuild


Graduando em Engenharia Geológica pela UFOP, viciado em café, RPG e GeoGuessr. Não dispensa uma partida de CS:GO e normalmente está navegando sem rumo pelo Twitter.


Disqus
Facebook
Google