Jogamos

Análise: Dark Mist (PC/Mobile) – combatendo hordas em um desafiante roguelike de cartas

Proteja suas cartas, pois elas são, literalmente, sua vida neste engenhoso título da Pixel Cattle Games.


Dark Mist
(no Steam o jogo se chama Blood Card 2: Dark Mist) é um jogo de cartas que combina elementos de roguelike e construção de baralhos com uma ambientação que remete aos RPGs de mesa. Aqui enfrentamos inimigos que chegam em ondas e o mais importante é não ficar sem cartas, pois elas são, literalmente, sua vida. Confira na análise de hoje um pouco mais sobre este desafiante jogo.

Sua vida são suas cartas

A principal característica de Dark Mist é a forma como seus pontos de vida são mensurados. Utilizando um personagem que vai definir o seu estilo de jogo, o objetivo é derrotar ondas de inimigos que vão tomar suas cartas a cada vez que você receber dano. Sendo assim, entende-se de cara que, ao ficar sem cartas, você está morto e deverá recomeçar sua jornada da estaca zero.
Fique sempre de olho em suas pilhas de compra e descarte
Os inimigos avançam em grupos de três e posteriormente quatro. Cada vez que o jogador utiliza uma carta, seja de ataque ou habilidade, ela vai para um baralho de descarte, que funciona como um deck de defesa, protegendo seus pontos de vida oriundos do deck principal do qual você compra mais cartas. Quando você compra a última carta dele, o baralho de descarte, que funciona como defesa, é embaralhado e volta a ficar disponível para comprar mais cartas, mas você fica temporariamente sem defesa até que use mais ações e crie uma nova pilha de descarte.

Sempre que um inimigo ataca o jogador, ele toma uma quantidade de cartas igual aos pontos de ataque que possui, ou seja, se ele tem 3 pontos para atacar, tomará 3 cartas do jogador. Essas cartas são tomadas prioritariamente da pilha de descarte, e se ela se esgotar, as cartas tomadas serão diretamente da pilha de compra. Ao derrotar um inimigo, as cartas em seu poder são devolvidas na hora para o baralho de compra.



O principal ponto que merece atenção do jogador é o cuidado na hora de executar ações de compra, principalmente se estiver com cartas que aceleram seu jogo com compras em demasia. Ficar com defesa baixa em meio a vários inimigos que estejam prontos para atacar pode ser perigoso por também acelerar a perda de pontos de vida e ser derrotado.

Uma das estratégias mais eficientes é manter sua pilha de defesa sempre ativa e com uma quantidade considerável de cartas, visto que você estará sujeito a ataques inimigos durante todo o tempo. Isso garante que seus pontos de vida não sejam imediatamente consumidos e ainda agiliza a rotatividade de cartas úteis no combate. Claro, dependendo do personagem que você está usando e do seu ritmo de jogo, isso pode variar, mas é uma estratégia básica que com certeza ajudará muito.

Montando um deck na hora

O modo principal de Dark Mist possui seis classes de personagem para representá-lo na arena. Cada uma conta com um estilo principal de jogo e eles não ficam todos disponíveis de cara. O Berserker, que é especialista em ataques críticos e receber dano, é o primeiro disponível. Para desbloquear os demais, é preciso vencer todos os combates do primeiro nível de dificuldade. Sendo assim, concluindo essa tarefa com o Berserker libera-se a Bugmaster para jogar e assim por diante. Os demais personagens são a Prophet, o Chaos Knight, a Beastmaster e a Vampire.

Destes, os que mais gostei de jogar foram o Berserker; a Bugmaster, que tem cartas que ajudam no controle de multidões; e a Beastmaster, que pode invocar animais para realizar ataques adicionais. Os demais personagens não fizeram muito meu estilo ou não consegui jogar muito bem com eles. Ao vencer o primeiro nível de dificuldade, uma maior é liberada para que você se desafie novamente.
Além de liberar uma dificuldade maior, concluir um campanha adiciona uma nova habilidade ao rol do jogo
Cada um dos personagens de Dark Mist começa com um baralho inicial de 12 cartas, contendo cartões básicos de ataque e habilidades. Ao derrotar inimigos, o jogador acumula pontos de experiência e, ao subir de nível, pode adicionar novos movimentos ao seu deck. Se não desejar comprar uma ao subir de nível, pode receber 10 moedas de ouro em vez disso e continuar com as que já possui.

No intervalo entre uma onda e outra, somos levados a uma loja na qual é possível usar o ouro obtido nas lutas para comprar cartas de raridade superior, obter habilidades passivas, fazer melhorias nas cartas já obtidas e até mesmo remover as que não te servem mais do seu baralho, deixando-o menos inflado.
Na loja você pode comprar novas cartas e habilidades, aprimorar as que já tem ou descartar o que não te serve mais.
Há grande diversidade de habilidades passivas com efeitos diversos: poder comprar mais de uma carta ao subir de nível, receber pontos de experiência ou moedas de ouro adicionais ao derrotar inimigos, ativar ações especiais ao realizar determinadas ações, dentre várias outras. Escolher as que mais favorecem seu estilo de combate dificultam o trabalho dos inimigos que querem derrotá-lo.
Aprimore cartas para deixá-las mais poderosas ou eficientes

Batendo muito, e apanhando também

Em Dark Mist, por padrão, você só pode acertar quem está na fileira da frente, a não ser que uma habilidade, carta ou condição permita que você ataque alguém na fileira de trás. Quando um inimigo está com seu indicador de ataque aceso (em verde) significa que ele o atacará no fim de sua rodada de ação. Isso torna estes oponentes prioritários, pois ao derrotá-lo o que está atrás dele avança e não poderá atacar até a próxima rodada, exceto se ele também possuir alguma condição ou efeito que permita que ele te acerte ao passar a vez.

Alguns inimigos são classificados como Elite. Eles são mais fortes, mas também oferecem boas recompensas ao serem vencidos na forma de ouro, pontos de experiência adicionais ou mesmo habilidades passivas e cartas. O jogador deve escolher sua recompensa assim que ele é derrotado. O objetivo principal é chegar até o Boss da onda, que costuma apresentar um nível de dificuldade bem mais elevado, e derrotá-lo para prosseguir no jogo. Alguns deles são relativamente fáceis nos primeiros encontros, ficando cada vez mais complicados e fortes nas últimas batalhas.
Ao derrotar inimigos de elite você pode obter recompensas melhores.
Outro ponto importante, e já mencionado, é atacar os inimigos que já tomaram cartas do jogador, o que vai recuperar suas cartas para o jogo e, consequentemente, pontos de vida. Da mesma forma, condições, habilidades ou cartas permitem que você recupere essas cartas até mesmo ao causar algum dano. As possibilidades são muitas, e jogar diversas partidas ajuda muito no entendimento das nuances.

Ao iniciar uma nova partida no modo Standard, o jogador tem a opção de ativar alguns modificadores positivos, negativos e neutros para regular ainda mais o grau de desafio. São vários, como aumentar a taxa de aparição de cartas de raridade e habilidades passivas superiores, deixar os inimigos mais agressivos, limitar as compras na loja e até desativar a principal característica do jogo, que é usar suas cartas como pontos de vida, substituindo por um marcador à parte que é reabastecido após cada combate.

Um modo diário também está presente. Ele fixa modificadores e personagens para serem usados durante o dia, não podendo ser ajustados. Esse modo conta com um ranking online para comparar seu desempenho com outros jogadores pela internet. Porém, não há um modo versus ou coisa do tipo, suas batalhas são apenas contra os inimigos do jogo.
Desafios diários possuem modificadores para deixar as partidas mais desafiadoras
No meu caso, com a versão mobile do game, por se tratar essencialmente de um roguelike, as partidas costumam ser bem rápidas. Principalmente as que eu perdi em poucos minutos enquanto estava aprendendo a jogar. Uma comodidade nesta versão de Dark Mist é a capacidade de ser jogado tanto com o celular na horizontal quanto na vertical, o que me permitiu jogar com apenas uma das mãos. Outro ponto relevante é não possuir algum mecanismo de anúncio por se tratar de um jogo premium (pago). Acho importante enfatizar isso, pois também sou do tipo que odeia ver um anúncio de 15 segundos a cada rodada num jogo para mobile.

Em contrapartida, mesmo ativando um modo de economia de energia nativo do jogo, o consumo de bateria foi alto no meu aparelho, um Motorola Moto X4. Minha suspeita é de que isso se dá pelo fato do jogo permanecer conectado à internet para atualizar os dados de rankings online. Na dúvida, se possível, desative seus dados na hora de jogar para economizar um pouco mais de energia que possa fazer falta no restante do dia. Também não notei nenhum tipo de prêmio como títulos ou recompensas que me estimulam a querer ter uma pontuação alta. Não passa de uma funcionalidade para inflar o ego mesmo.

Um ótimo desafio para carregar no bolso

Dark Mist atendeu minhas expectativas ao trazer uma ótima e desafiante experiência de jogo para um dispositivo móvel. Nada contra jogos mais simples ou casuais, mas tem horas que a gente tem preguiça de ligar o PC ou o console só pra jogar algo que vá te entreter mais por conta do desafio. Uma ótima recomendação de jogo para se ter no bolso com garantia de várias horas de diversão.
Com tempo e prática, Dark Mist se torna um desafio viciante

Prós

  • Mecânicas de roguelike bem aproveitadas no gênero de construção de baralhos;
  • Modificadores para tornar o jogo mais acessível ou mais desafiador;
  • Comodidade para jogar com o dispositivo na horizontal ou vertical.

Contras

  • Consumo de bateria alto;
  • Ausência de recompensas para estimular os jogadores a obter altas pontuações dos rankings online.
Dark Mist – PC/Android/iOS – Nota: 8.0
Versão utilizada para análise: Android
Revisão: Farley Santos
Análise feita com cópia digital adquirida pelo redator

Tecnólogo em Gestão Ambiental, produtor do BlastCast e sincero até demais. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora jogos multiplayer que causam discórdia e fogo no parquinho. @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google