Blast from the Past

Star Wars Jedi Knight: Dark Forces II (PC) e as ramificações da Força que criaram um novo herói

Neste Star Wars Day, relembramos a história que fez do mercenário Kyle Katarn um dos personagens mais populares do antigo Universo Expandido.


Hello there
, jovens Padawans e honoráveis Mestres! Hoje celebramos mais um Star Wars Day de uma das formas mais honestas que existem: relembrando clássicos desta rica mitologia na forma de jogos eletrônicos. Ano passado tivemos o prazer de falar sobre Star Wars Episode III – Revenge of the Sith (PS2/Xbox), um dos últimos títulos que adaptaram fielmente uma obra da série principal para o videogames.


Este ano vamos voltar um pouco mais no tempo, até 1997, quando foi lançado Star Wars Jedi Knight: Dark Forces II, sequência de uma das mais bem sucedidas experiências da saudosa LucasArts no gênero de tiro em primeira pessoa, que se popularizou nos PCs da época com outros clássicos como Quake, Doom, Duke Nukem e outros.

O antigo Universo Expandido

Antes de mais nada, é sempre bom lembrar sobre um dos mais valiosos legados de Star Wars até a aquisição da propriedade intelectual pela Disney em 2012: o Universo Expandido. Diversos contos e histórias paralelas foram criadas, em sua maioria via obras literárias, expandindo o universo da franquia criada por George Lucas. A sede dos fãs por mais histórias dentro desta mitologia espacial foi tanta que surgiram diversos lugares, personagens e lendas sobre o universo. A grande maioria foi abraçada por Lucas, que possibilitou a tradução de várias em outras mídias, como histórias em quadrinhos, áudio livros e, claro, videogames.

Com a aquisição dos direitos por "Mickey Mouse", a Disney optou por desconsiderar praticamente tudo o que não estivesse diretamente relacionado com as obras cinematográficas, prometendo criar, ou adaptar, materiais que se alinhariam com a saga principal. O antigo Universo Expandido passou a ser conhecido apenas pelo selo de Lendas, não podendo mais ser usado para associar seus fatos com os filmes. Se tornaram, falando a grosso modo, um universo paralelo.


Alguns acontecimentos considerados marcantes pela comunidade de Star Wars não teriam mais nexo com a linha temporal considerada real, como a existência de Mara Jade Skywalker, esposa de Luke e mãe de Ben Skywalker; o treinamento de Leia Organa para se tornar uma Jedi; o pacto secreto do Império com o criminoso Xizor e a existência de Kyle Katarn, considerado um dos principais personagens que surgiram nesta época.



Kyle foi um importante e exemplar oficial do Império que desertou e se tornou um mercenário. Por causa de seu conhecimento, foi contratado pela Aliança Rebelde para se infiltrar no Império para roubar informações e descobre sobre um projeto chamado Dark Troppers, super soldados aprimorados que seriam usados pelos imperiais para virar o jogo no conflito contra as forças rebeldes no período da Guerra Civil Galáctica. Estes acontecimentos ocorreram após os eventos do primeiro filme, 'Uma Nova Esperança', e foi o primeiro jogo no segmento de tiro em primeira pessoa da franquia cinematográfica produzido pela LucasArts.

Lançado em 1995, se tornou um sucesso de vendas e crítica na época, principalmente por conseguir ser mais que um "DOOM com skin de Star Wars", pois apresentava uma história bem contada, marca registrada da LucasArts na época, e até mesmo a apresentação de cutscenes entre algumas fases, dando um ar mais cinematográfico à experiência. Em 1997 veio a surpreendente sequência, Star Wars Jedi Knight: Dark Forces II.

O inesperado chamado da Força

Estamos agora no período após o Episódio VI, 'O Retorno de Jedi', e Kyle está em Nar Shaddaa, um local que ficou conhecido durante o período da Guerra Civil Galáctica por ser o principal ponto de encontro de ladrões, mercenários e contrabandistas na região da Orla Exterior, fora da jurisdição da República. Kyle está em busca de informações que levem ao assassino de seu pai, Morgan Katarn, e descobre que ele foi morto por Jerec, um Jedi Negro.
O ameaçador Jerec
Os Jedi Negros são indivíduos sensitivos à Força que não seguem a doutrina Jedi mas também não se denominam Siths. Podemos dizer que são como renegados, que lutam por suas próprias causas, geralmente de caráter político. Jerec é o líder de um grupo com mais seis Jedi Negros simpatizantes com o Império que estão em busca de um local sagrado chamado Vale dos Jedi, que guarda um imenso poder relacionado à própria Força.

Por ter conhecimento sobre o Vale, Morgan e outros Jedi que sabiam da existência e localização deste santuário morreram para proteger os segredos do lugar para que não caísse em mãos erradas. Kyle descobre a relação do assassinato de seu pai e Jerec por meio de um droid chamado 8T88, que entregou Kyle para Jerec ao descobrir sobre um disco de dados contendo informações valiosas sobre o Vale. Kyle então começa a uma luta pela própria vida para escapar das garras imperiais, encontrar o mapa e consequentemente dar início a sua caminhada nos ensinamentos da Força.

Dois caminhos, um destino

Star Wars Jedi Knight: Dark Forces II foi lançado em 1997 e eleva em todos os aspectos a experiência apresentada por seu antecessor, mas sem deixar de lado sua principal característica: a jogabilidade em primeira pessoa que o consagrou. O game agora contava com gráficos totalmente feitos em 3D, um dos principais saltos tecnológicos do final da década de 1990, a opção de jogar em terceira pessoa, permitindo uma abordagem diferente da apresentada no game de 1995. As cutscenes traziam trechos filmados com atores reais, elevando o nível de entretenimento em um jogo para PC a níveis altíssimos para aquela época, e isso é uma das coisas que mais agregou valor ao jogo.


No decorrer de 21 fases, Kyle visita diferentes mundos do universo de Star Wars enquanto explora vários ambientes na luta contra os imperiais e os Jedi Negros. Assim como no jogo anterior, o mercenário tem a sua disposição um variado arsenal de armas, incluindo algumas icônicas como o rifle blaster dos Stormtroppers, a balestra laser típica dos Wookies, detonadores térmicos e, claro, o sabre de luz. Os imensos mapas escondem segredos que premiam Kyle com itens para ajudar em sua jornada, além de adicionar um grau de desafio formidável ao jogo, sem esquecer das épicas batalhas contra os chefes.


Também foi um dos poucos jogos da época que permitiam uma jogabilidade online via modem com mais jogadores, seja em uma rede local ou na rudimentar internet da época. Atualmente o game está disponível no Steam, mas com algumas limitações sobre essa funcionalidade, e sem a localização em português que destacou ainda mais o título aqui no Brasil.


O ponto alto da história é quando Kyle descobre a relação de seu pai com os Jedi e sua importância para guardar o segredo do Vale. Kyle então recebe um sabre de luz e começa a trilhar seu caminho para se tornar um cavaleiro. A partir daí, o rapaz vai aprendendo a fazer uso das habilidades da Força e em determinado momento do jogo é obrigado a escolher um lado: seguir o caminho da Luz, derrotar Jerec e impedir os Jedi Negros de obterem os poderes ocultos no Vale dos Jedi, ou cair na escuridão e tomar para si todos os segredos do local.

Essa dualidade, raramente vista em um videogame até então, foi o que marcou a experiência de Jedi Knight: Dark Forces II, pois deixava nas mãos do jogador a difícil opção que Kyle deveria escolher. Ao seguir pelo lado iluminado, o jogo se torna mais fácil, porém mais longo, pois Kyle deve continuar lutando contra os demais Jedi Negros sob o comando de Jerec, culminando em um embate final no território sagrado almejado pelo vilão.
Kyle e Jerec se enfrentam no Vale dos Jedi
Escolher se corromper pelo lado sombrio deixava o jogo mais difícil, e ligeiramente mais curto, pois agora os objetivos de Kyle eram outros. Ao invés de vingar a morte de seu pai e proteger os segredos do Vale, Katarn agora deseja cegamente o mesmo objetivo de seu inimigo, transformando a perseguição em uma corrida onde apenas um sobreviverá para usar o poder do Vale e se tornar a pessoa mais poderosa da galáxia.
Kyle sucumbe ao lado negro e se torna o novo ditador da galáxia

Os herdeiros de Kyle Katarn

Kyle Katarn se tornou rapidamente um dos personagens mais populares da mitologia graças a Star Wars Jedi Knight: Dark Forces II. O título, inclusive, foi o que mais gerou frutos na LucasArts, com várias continuações protagonizadas pelo herói:

Mysteries of the Sith

A aventura é uma expansão de Dark Forces II e se passa cinco anos após a triunfante vitória de Kyle contra os Jedi Negros, o final bom da história. Aqui vemos Kyle, já um Mestre Jedi, treinando Mara Jade, que no Universo Expandido foi uma herdeira do Império e futuramente se tornou a esposa de Luke Skywalker. Sua importância no passado ainda lhe causava problemas e aqui assumimos o controle de Mara enquanto Kyle busca segredos envoltos em um misterioso templo Sith.


Novas fases, poderes e armas são o destaque desta aventura que teve aprovação mista dos jogadores na época, mas tem sua importância por ser a primeira vez que uma expansão para um jogo já existente dentro da franquia foi produzido, ao invés de uma nova entrada.

Jedi Knight II: Jedi Outcast

Dois anos após os acontecimentos de Mysteries of the Sith, Kyle cortou seus laços com a Força e voltou a ser um mercenário a serviço da Nova República. Entretanto, é forçado a reaprender os caminhos da Força quando um Jedi Negro chamado Desann, membro de uma ramificação do então caído Império está ganhando força e se torna uma ameaça para a paz.


Uma continuação direta do jogo de 1997, aqui temos uma reformulação de tudo que tornou seu antecessor um clássico. Novas armas e técnicas são o destaque desta nova experiência no universo de Star Wars. A jogabilidade online, por conta da época, foi mais explorada neste título, tornando-o um popular jogo de ação multiplayer.

Jedi Knight: Jedi Academy

Aqui deixamos o papel de mestre e voltamos a ser um pupilo. Na pele de Jaden Korr, somos treinados por Katarn que, junto com Luke Skywalker, estão trabalhando para criar a uma nova geração de Jedi. O modo single player nos coloca em missões designadas pelos lendários heróis da Nova República. O multiplayer online também se difundiu mais com este jogo, se tornando o ponto alto da experiência nesta que foi a última entrada da série.



Legado inesquecível

A importância de Kyle Katarn, mesmo que tenha sido apagada com a venda dos direitos para a Disney, se mantém viva como uma chama que se recusa a apagar nas lembranças dos fãs de longa data de Star Wars. O principal responsável por isso foi justamente o jogo tema de nossa coluna neste 4 de maio.

Dedicar um tempo para falar sobre ele é uma honra, por isso, neste Star Wars Day, dedicamos este momento para relembrar um importante título da história dos videogames, e que felizmente ainda está disponível para as gerações atuais: Star Wars Jedi Knight: Dark Forces II. #MayTheFourthBeWithYou


Revisão: José Carlos Alves

Tecnólogo em Gestão Ambiental, produtor do BlastCast e sincero até demais. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora jogos multiplayer que causam discórdia e fogo no parquinho. @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google