Jogamos

Análise: Bladed Fury (Multi) é um belo conto chinês com muita ação e diversão

Um jogo curto, bonito e divertido, mas com poucos desafios no decorrer das fases.


Bladed Fury é um frenético jogo de ação hack-and-slash inspirado na cultura chinesa, que conta a história de Ji Jiang, princesa mais nova do reino de Qi. Para apaziguar as sangrentas brigas entre dois reinos rivais, a irmã mais velha de Ji foi prometida como noiva do lorde de Tien. Porém, ocorre uma traição e a filha mais nova é acusada injustamente de matar o próprio pai. A princesa foge e agora busca vingança contra o homem que lhe tomou tudo.

Em 2018 fizemos a análise de Bladed Fury para PC e agora analisaremos a versão para consoles deste belo e divertido jogo que está chegando para PlayStation 4, Xbox One e Switch.

Um conto histórico

Desenvolvido pelo estúdio chinês NEXT, a cultura do país está muito bem representada neste título, principalmente nos belíssimos gráficos, que lembram antigas pinturas, bem como a trilha sonora e o roteiro, reforçados pela dublagem no idioma local.




A história se passa durante o Período dos Estados Combatentes na China e faz referências a vários aspectos importantes da sociedade e cultura daquela época, como o pensador Confúcio e histórias do folclore local.

Segundo a tradição, pessoas da família real de Qi possuem sangue celestial, que permite que façam proezas que humanos normais não conseguem. Isso explica os golpes acrobáticos de Ji e sua capacidade em empunhar as armas celestiais, heranças da família Jiang.




Bladed Fury tem uma clara inspiração nos jogos Muramasa, sobretudo no aspecto estético, mas as mecânicas de jogo e a ambientação folclórica chinesa fazem com que o jogo tenha sua própria identidade.

Divertido e dinâmico

O ponto alto de Bladed Fury é sua jogabilidade, extremamente prazerosa e divertida. Os combos são muito variados, visualmente bonitos e fáceis de dominar. Você pode ser criativo e criar sua própria sequência de combos a partir dos conceitos básicos.

A princesa tem a sua disposição as espadas gêmeas Fiendbane, que permitem ataques rápidos e combos acrobáticos, mas que causam pouco dano e não podem rebater projéteis. Também pode usar a enorme lâmina Crimson Mass, capaz de rebater projéteis e lançar seus inimigos no ar, mas é pesada e lenta.




A combinação dos ataques destas armas permite criar combos divertidos, em que quebramos as defesas dos inimigos, os arremessamos no ar, realizamos combos aéreos que desafiam a gravidade e caímos rolando ou fazendo um ataque pesado. Os combos são visualmente muito bonitos e bastante fáceis de serem executados.

A melhor defesa é o contra-ataque

Além do divertido sistema de ataque, o jogo chama a atenção pelas suas mecânicas defensivas, oferecendo três opções: bloqueio, interceptação e esquiva.

O bloqueio é feito com as Asas de Cigarra, nosso escudo, que é o método defensivo mais fácil de usar, bastando segurar o escudo antes de receber o impacto. Este método não protege totalmente o corpo de Ji, fazendo a princesa perder um pouco de vida mesmo efetuando o comando corretamente.




O sistema de interrupção de golpes (parry), lento e problemático na versão para PC, foi corrigido nos consoles e está funcionando rapidamente, sendo agora a melhor opção para defesa e contra-ataque para a maioria dos inimigos menores. A interceptação funciona ao acionar as Asas de Cigarra um instante antes de receber o golpe, abrindo a possibilidade de um contra-ataque fulminante.






O sistema é bem rápido e, depois de um certo treino, torna-se muito satisfatório de realizar. Infelizmente, alguns golpes mais pesados, especialmente de chefes, não podem ser interrompidos com essa técnica.

A terceira opção de defesa é a esquiva, que requer um certo timing e posicionamento, mas é bastante segura e evita totalmente o dano, se executada da forma correta. Este será seu método principal de defesa contra os chefes de fase, que possuem golpes que não podem ser bloqueados nem interceptados.

Muitos inimigos disparam projéteis que podem ser rebatidos com a Crimson Mass ou com as Asas de Cigarra, acionando-as pouco antes de ser atingido. Projéteis rebatidos voltam para quem os disparou, causando um bom dano. É extremamente satisfatório aprender o timing certo de rebater os projéteis e derrotar inimigos com seus próprios ataques.




Inimigos abatidos rendem almas verdes, que recuperam parte da sua vida e almas amarelas, uma espécie de “dinheiro” que serve para comprar melhorias nas armas e habilidades de Ji Jiang.

Um caminho curto, porém muito bonito

Os diálogos são todos dublados em chinês, que combinados com as lindas artes do jogo, contribuem para gerar uma atmosfera rica, que faz parecer que você está vivendo um antigo romance lendário. Por outro lado, não há opção para legendas em português, então se você não entender um pouco de inglês deixará de curtir a história da princesa. Isso não prejudica a jogabilidade, mas tira parte da graça do jogo.

A aventura é bem curtinha, eu levei quatro horas para finalizar a jornada pela primeira vez, no modo normal. O roteiro é bem linear e, em alguns momentos é necessário resolver puzzles para prosseguir, mas eu achei os quebra-cabeças muito óbvios. Existem algumas poucas fases de plataforma, também bastante simples e que podem ser vencidas logo nas primeiras tentativas.



Talvez o sangue celestial seja poderoso demais: a princesa oblitera os inimigos durante as fases sem grandes dificuldades, fazendo com que estes oponentes não representem um desafio de fato. Os combates realmente empolgantes ficam por conta dos chefes, que são oponentes bem fortes e, ao contrário de seus lacaios, não são óbvios de derrotar. Os chefes atacam em padrões que, quando compreendidos, mostram aberturas na defesa com possibilidade de contra-ataque.
 
Alguns dos inimigos derrotados tornam-se espíritos que podem ser invocados para ajudar no combate. Existem seis deles, mas você pode escolher até quatro por vez para levar consigo. Esses "poderes espirituais" são muito legais de se invocar porque são bem fortes e visualmente chamativos. Cada poder tem uma quantidade de cargas limitada para se usar, que são restauradas nos pontos de salvamento.




Ao terminar o jogo pela primeira vez, fica disponível o modo Difícil e o Challenge, que permite enfrentar os nove chefes em sequência. Este modo confere uma certa rejogabilidade, já que as batalhas contra os chefes são as partes mais interessantes da aventura.

Bladed Fury é um jogo de ação bastante gostoso, bem ambientado, com mecânicas simples e divertidas. Peca um pouco pela linearidade e por ter pouco desafio no meio das fases, mas possui batalhas marcantes contra chefes, uma jogabilidade muito agradável e um visual lindo, que lembra uma obra de arte. É uma aventura curtinha e interessante para quem busca uma diversão simples e satisfatória.

Prós

  • Jogabilidade extremamente divertida;
  • Muitas opções de ataques, defesas e poderes especiais;
  • Aprimoramentos destraváveis e poderes especiais conferem um bom senso de progressão;
  • Lutas empolgantes contra os chefes;
  • Artisticamente muito bonito.

Contras

  • Inimigos comuns fáceis demais de derrotar;
  • Puzzles elementares;
  • Conteúdo linear e pouco variado.
Bladed Fury - PS4/XBO/Switch/PC - Nota 7.5
Versão utilizada para a análise: Xbox One
Revisão: Felipe Fina Franco
Análise produzida com cópia digital cedida pela PM Studios


é engenheiro eletrônico e tem uma filha fofinha que tenta morder os controles do papai. Curte jogos de luta, corrida e ação. Gosta de acompanhar a evolução da indústria dos games e considera-os um dos melhores entretenimentos do mundo.


Disqus
Facebook
Google