Jogamos

Análise: Sniper Ships: Shoot'em Up on Rails (PC) é um jogo de nave minimalista (quase) ao extremo

Game até tem uma base interessante, mas não oferece praticamente nada além disso.


Dado o imenso volume de lançamentos, é difícil para novos games se destacarem ao público. Jogos de nave não fogem a essa regra, sobretudo graças ao gênero remontar às origens dos videogames. Sniper Ships: Shoot'em Up on Rails (PC) é um dos mais recentes títulos a chegar ao mercado, oferecendo uma experiência mais próxima das suas raízes. Vamos conferir um pouco sobre ele e suas características nesta análise.

Arcade arcaico

Lançado em 26 de março de 2021, Sniper Ships: Shoot'em Up on Rails foi produzido e publicado pela Sensen Games para PC, via Steam, uma produtora brasileira formada por dois irmãos. Infelizmente, ao contrário de tantos outros ótimos exemplos de jogos Made in Brazil, aqui temos um título, embora funcional, pouco interessante. E são várias as razões para isso, conforme veremos a seguir.
Bonito por fora, mas simples demais por dentro
O game em questão consiste em um jogo de nave, no qual o objetivo é obter a maior pontuação possível. Para isso, o jogador conta com duas armas diferentes para enfrentar vários tipos de inimigos e obstáculos. Os desafios exigem bons reflexos e agilidade para clicar o mais rápido possível enquanto desviamos dos vilões e de seus ataques.
Algumas jogadas proporcionam espetáculos interessantes
A proposta é relativamente comum, sendo semelhante a tantos outros títulos que permeiam o mercado. Ela até conta com certos pontos positivos interessantes, mas que acabam sendo minados devido aos vários quesitos negativos. Não sei ao certo se faltou tempo de produção ou se a intenção realmente foi focar na simplicidade absoluta, mas o resultado é o mesmo.

Algumas qualidades interessantes...

Vamos começar com as boas notícias: Sniper Ships é um bom jogo no que mais importa. A base sólida é composta por uma jogabilidade suave e funcional, empolgantes visuais em estilo neon e uma trilha sonora roqueira de qualidade. Naves e disparos, embora às vezes se confundam com o cenário, são interessantes e contribuem para que o jogador tenha uma boa experiência.
É preciso ficar atento a todos os elementos na tela
A variedade de inimigos e obstáculos é considerável, sempre gerando bons desafios. Equilibrar os tiros da metralhadora e da carabina da nave é o segredo do sucesso, visto que uma depende do teclado e a outra do mouse. Gostei do ritmo exigido para controlar a nave e mirar nos vilões, que aparecem em ondas e incluem três chefes diferentes.
 
O suporte para controle, ainda que um pouquinho limitado, é adequado e o sistema de ranking online é perfeito para quem busca obter as melhores pontuações. Ressalto que nenhum elemento é incrível ou muito original, mas tudo funciona bem e a jogatina é suficientemente divertida e desafiadora. Aliás, o nível de dificuldade é elevado, mas não injusto.
Buscar a melhor pontuação é o único objetivo do game
O problema é que não temos uma configuração dele, o que exige bastante do jogador caso ele não esteja habituado a jogos de nave mais frenéticos. A sensibilidade, sobretudo para a carabina, é alta e também se beneficiaria de alguma customização. É uma pena que esse não seja o único ponto negativo do game, como veremos a seguir.

... e nada mais!

Explicadas as principais qualidades de Sniper Ships: Shoot'em Up on Rails, vamos passar para o seu maior problema. Na verdade, de certa forma, seria mais como um conjunto de pequenos problemas. Ele é demasiadamente simples, sem contar com muitos elementos que hoje são praticamente obrigatórios em jogos eletrônicos. O jogo até cita a política de “direto para a ação” como uma qualidade na sua descrição na Steam, mas na prática isso não é tão bom assim.
Prepare-se para um desafio à moda antiga
O game parece aqueles títulos mais antigos, em Flash ou do tempo do Nintendinho, nos quais, na maioria das vezes, tínhamos “somente o jogo”. Ou seja, nada de enredo, tutoriais ou modos extras, além de um número mínimo de menus e opções. Infelizmente, além da já citada dificuldade fixa, parece que Sniper Ships seguiu à risca a ideia de ser simples ao extremo.
 
Quero deixar claro que a ausência de elementos como menus, enredo, customizações, tutoriais ou modos extras não tornam um jogo ruim necessariamente. A questão é que Sniper Ships é tão simplista ao não ter nenhum deles, que parece ainda estar em estágio de demonstração. Se o game fosse revolucionário, ou tivesse um alto nível de qualidade na sua jogatina, seria razoável aceitar essa situação.
Ficou faltando mais para o game brasileiro
Como este não é o caso, tais recursos fizeram falta para encorpar o conteúdo e a apresentação do jogo. Futuras atualizações podem mitigar parte dessas críticas, embora, no momento, não existam previsões para isso. Eu entendo as dificuldades de uma produtora indie, sobretudo no Brasil, mas isso não esconde o estado atual do título. No final das contas, ele se torna recomendável somente para os fãs mais ardorosos de jogos de nave.

Game limitado para limitados jogadores

Considerando o mercado concorrido e a grande quantidade de opções semelhantes, Sniper Ships: Shoot'em Up on Rails (PC) fica devendo em apresentar destaques e qualidades relevantes. O jogo funciona bem, possui visuais legais e uma trilha sonora com potencial, mas esses poucos pontos positivos são sabotados pela dificuldade exagerada e ausência de diversos elementos básicos. Se você não curte muito o gênero, jogue por sua conta em risco.
Para os fãs do gênero (e olhe lá)

Prós

  • Proposta de jogo de nave divertida e desafiadora;
  • Visuais no estilo neon são interessantes;
  • Trilha sonora do gênero rock é empolgante;
  • Jogabilidade, embora exigente, funciona bem;
  • Dificuldade dos desafios e sistema de ranking online incentivam a jogatina.

Contras

  • Jogo é limitado, sem possuir vários elementos importantes como menus, enredo, tutoriais e modos extras;
  • Nível de dificuldade é elevado e não conta com opções de customização.
Sniper Ships: Shoot'em Up on Rails – PC – Nota: 5.5
Revisão: Felipe Fina Franco
Análise produzida com chave cedida pela Sensen Games

é produtor de conteúdo sobre games desde julho de 2016 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, CoD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank. @MatheusSO02


Disqus
Facebook
Google