Jogamos

Análise: Kingdom Hearts HD 2.8 Final Chapter Prologue (Multi) é um pacote pouco expressivo que chega ao PC

Com opções básicas para ajustar performance e controles, o pacote conta com títulos indicados apenas para quem já aproveitou os anteriores.

Como mencionado na análise de Kingdom Hearts HD 1.5 + 2.5 ReMIX, a série Kingdom Hearts agora está disponível na Epic Store. São ao todo quatro lançamentos, com duas coletâneas e os dois jogos mais recentes da franquia.

Kingdom Hearts HD 2.8 Final Chapter Prologue é um pacote com dois jogos e um vídeo adicional. Lançada originalmente em 2017 para PS4, a coletânea foi elaborada como uma espécie de reta final para Kingdom Hearts III, que na época ainda estava em produção.

De forma geral, é um pacote menos expressivo, mas cujo conteúdo também é bastante relevante para os fãs da série. Em sua versão de PC, o jogo conta com um menu de configurações extra, mas apenas para definir o básico da sua performance.

O caminho para o fim da saga

Após os eventos dos jogos do pacote anterior, foi estabelecida uma missão para Sora e Riku: mergulhar no reino dos sonhos como teste para alcançar a Mark of Mastery. Apenas assim a dupla estaria preparada para o confronto derradeiro contra Xehanort. Essa é a premissa de Kingdom Hearts: Dream Drop Distance, lançado originalmente para 3DS.

No jogo, é necessário controlar tanto Sora quanto Riku em histórias alternadas. O título conta com uma mecânica controversa chamada Drop, que força os personagens a serem trocados após um tempo. Graças a isso, é possível, por exemplo, estar no meio de um chefe e ser forçado a trocar de personagem.

Fora isso, o jogo conta com uma mecânica de comandos similar à de Birth by Sleep. Em vez de MP, há um cooldown para todas as técnicas e magias equipadas. Junto com esse sistema, o título introduz o Flowmotion, permitindo uma movimentação bem rápida pelo cenário que também pode ser bem útil no combate.

Em termos de controle, movimentação e combate, o título é um avanço nítido em relação aos seus antecessores. No entanto, o sistema de Drop que restringe o tempo máximo de jogar com cada personagem acaba sendo um incômodo desnecessário. Além disso, a proposta de um roteiro mais fragmentado, por se tratar do reino dos sonhos, pode ser um incômodo para alguns jogadores.

Uma demonstração e um vídeo para montar a coletânea

O pacote também inclui dois conteúdos exclusivos: 0.2 Birth by Sleep – A fragmentary passage – e χ Back Cover. O primeiro é uma continuação de Birth by Sleep, mostrando o que aconteceu com Aqua no Reino das Trevas.

O jogo é curtinho, sendo fácil terminá-lo em até 4 horas, no máximo. Caso o jogador queira aproveitar o jogo por mais tempo, há algumas tarefas opcionais, como derrotar um certo número de inimigos ou bater em objetos do cenário. Realizá-las libera roupas e acessórios estéticos para a protagonista.

O gameplay também é bastante fluido, sendo Aqua uma personagem com várias habilidades e uma movimentação ágil. No entanto, mesmo com isso, o título é mais uma demonstração do que a equipe estava desenvolvendo para Kingdom Hearts III do que propriamente um novo jogo. De forma geral, há pouco a se explorar aqui.

Por fim, χ Back Cover é um vídeo que cobre uma parte importante do passado da série. Ao contrário dos vídeos de Kingdom Hearts HD 1.5 + 2.5 ReMIX, este conteúdo é na prática novo, apesar de ser baseado no lore do jogo mobile Kingdom Hearts Union χ.

Como mencionado em Birth by Sleep, no passado ocorreu uma guerra entre os Keyblade Wielders. Nessa época remota, existiam grandes grupos de pessoas que empunhavam essa arma e treinavam sob a tutela de cinco mestres que comandavam as Unions.

Enquanto o jogo de celular cobre a história sob a perspectiva de um desses guerreiros, o vídeo criado para a coletânea apresenta a perspectiva dos mestres. Com isso, ele não cobre efetivamente o lore do jogo de celular, mas adiciona outras revelações importantes sobre a história geral da série que impactam os eventos de Kingdom Hearts III e futuros jogos.

Por se tratar de um vídeo feito para novas plataformas, em vez de uma versão remasterizada de cutscenes de jogos de DS, a qualidade visual dele é claramente superior. Não há problemas de aliasing e os cenários são impressionantes.

Um pacote que demanda mais

Em termos de performance, foi curioso notar que Dream Drop Distance teve uma performance pior no meu computador (que usa uma GTX 1050 Ti) do que 0.2 e Kingdom Hearts III. Quando há múltiplos inimigos na tela, as quedas de framerate são consideráveis, enquanto os outros jogos conseguem manter as taxas de forma mais constante. Também encontrei um bug que desconectou o meu controle logo antes de um boss.

Como opções para o PC, o jogo conta com um menu extra simplório igual ao de Kingdom Hearts 1.5 + 2.5 HD ReMIX. Há opções para ajustar display, som, gamepad e teclado. Enquanto o remapeamento de botões é ideal, com opções simples e possibilidade de ajustar sensibilidade do mouse e utilizar os padrões Xbox e PlayStation para o controle, display e som são mais básicos.

Em display é possível fazer os ajustes esperados (alternar entre fullscreen e janela, escolher entre opções de taxas de frames e ativar ou desativar V-Sync). Também é possível ajustar o brilho e usar filtros para daltônicos (protanopia, deuteranopia e tritanopia), uma opção legal de acessibilidade que é o único detalhe inesperado de função extra para o jogo.

Infelizmente, não há nenhum outro aspecto de ajuste fino. Caso houvesse configurações mais detalhadas, seria muito mais simples resolver a questão da performance do Dream Drop Distance. Especialmente porque limitar o FPS e/ou ativar o V-Sync não resolve esse problema das quedas, mesmo o jogo performando acima dos 120 FPS quando sua taxa é desbloqueada.

Outra ausência é a dublagem japonesa, que é mencionada na página da loja. As únicas opções de ajuste são os volumes de músicas de fundo, efeitos sonoros e vozes, assim como o master volume (que afeta o som de todos os aspectos dos jogos).

Kingdom Hearts HD 2.8 Final Chapter Prologue é um pacote caro (com preço acima da coletânea 1.5 + 2.5) e difícil de recomendar para quem não mergulhou de cabeça na franquia. Para os fãs que não tiveram a oportunidade de jogá-lo ainda, há um conteúdo exclusivo pequeno, porém interessante de explorar. Infelizmente, a versão de PC especificamente conta com poucas opções de configuração gráfica, enfraquecendo o apelo de ter acesso a essa versão.

Prós

  • RPGs com controle moderno e combate fluido;
  • Controle de resolução com opção de desbloquear o FPS;
  • Remapeamento simples para teclado, mouse e controles.

Contras

  • Dream Drop Distance tem dificuldade para manter suas taxas de frames;
  • 0.2 é um título curto que serve mais como demonstração para KH3;
  • Menu de configurações gráficas modesto que não cobre todas as necessidades dos jogos;
  • Coletânea mais cara, porém com menos conteúdo em comparação com 1.5 + 2.5 ReMIX.
Kingdom Hearts HD 2.8 Final Chapter Prologue – PC/PS4/XBO – Nota: 7.0
Versão utilizada para análise: PC

Revisão: Ives Boitano
Análise produzida com cópia digital cedida pela Square Enix


é formado em Comunicação Social pela UFMG e costumava trabalhar numa equipe de desenvolvimento de jogos. Obcecado por jogos japoneses, é raro que ele não tenha em mãos um videogame portátil, sua principal paixão desde a infância.


Disqus
Facebook
Google