Jogamos

Análise: Romance of the Three Kingdoms XIV: Diplomacy and Strategy Expansion Pack (Multi) é uma curiosa representação da China antiga

Porém o jogo de estratégia explica mal o seu funcionamento.

A série Romance of the Three Kingdoms é um importante representante do gênero estratégia no Japão. Iniciada em 1985, a obra da Koei também deu origem a uma variedade de spin-offs, como a famosa série Dynasty Warriors.

Romance of the Three Kingdoms XIV foi lançado para PC e PS4 em 2020, mas agora recebeu uma edição expandida, a Diplomacy and Strategy Expansion Pack. Com mais opções estratégicas e modos de jogo, além de alguns DLCs, a nova edição infelizmente não é o suficiente para corrigir os problemas mais sérios do jogo-base.

Uma viagem ao período dos Três Reinos

Escrito por Luo Guanzhong, o Romance dos Três Reinos é um romance histórico que aborda o período entre o fim da dinastia Han e a unificação sob a bandeira da dinastia Jin. Durante cerca de 100 anos, muitas guerras ocorreram, estabelecendo um fértil campo para explorar a complexidade da natureza humana.

Parcialmente baseada em fatos reais, a obra conta com forte romantização dos atos heróicos dos guerreiros e generais do período. Sua relevância para a história da China é enorme e trata-se de um de seus grandes clássicos, sendo a literatura chinesa mais divulgada no exterior.

A série de jogos da Koei Tecmo se baseia nessa história para criar um grande épico de estratégia. Como a obra original envolve um longo período, o jogo recorta alguns de seus momentos centrais em mapas. Cada um deles permite vivenciar certos eventos históricos, dependendo das ações do jogador.

Esse retrato é bastante interessante, com a possibilidade de comandar tropas com personagens históricos importantes como Lu Bu, Cao Cao, entre outros. Antes de começar um mapa, você pode escolher o seu líder e alterar totalmente o cenário ao seu redor. É possível até mesmo adicionar personagens originais ou que não poderiam estar presentes naquele período.

No entanto, caso o jogador prefira ter uma experiência mais representativa e realista daquele período histórico, existe uma variedade de opções. Ao abrir um mapa, há a opção de customizar a experiência da partida com alguns fatores.

Além da dificuldade, é possível retirar mecânicas baseadas na amizade dos personagens e na conexão com áreas aliadas, eliminar as agentes femininas e definir a ativação de eventos históricos. Esses detalhes ajudam a dar ao jogador bastante controle sobre a simulação desejada.

Por outro lado, também é possível adaptar as guerras com outros elementos e criar um desenrolar bastante original para os eventos. Por exemplo, um dos aspectos mais interessantes do jogo é o seu criador de personagens. Nele, temos a opção de utilizar artes prontas ou até mesmo importar imagens do computador em um menu externo.

Além da aparência e do nome, é possível definir as habilidades entre todas as opções presentes no jogo e os atributos do personagem. Para concluir as possibilidades da criação, dá até mesmo para criar laços de parentesco, definir o período histórico em que o personagem teria vivido e descrever a sua história pessoal.

Caso você queira campanhas mais curtas e diretas, a expansão Diplomacy and Strategy inclui também os mapas War Chronicles. Enquanto nos mapas normais a limitação de tempo pode ser customizada (com opções de morrer no ano registrado na história, vida estendida ou ilimitada), o War Chronicles coloca uma quantidade limite de turnos e oferece experiências pré-montadas nas quais o jogador apenas escolhe um general e começa a sua estratégia de conquista.

Muitos sistemas e uma experiência hermética



Infelizmente, apesar da grande variedade de opções, a experiência em Romance of the Three Kingdoms XIV é bastante complexa e de difícil entrada. Mesmo dentro do gênero estratégia, o jogo oferece muitas opções e as explica mal, não deixando nem ao menos claro quando certas escolhas que fazemos são contraditórias e cancelam ações anteriormente tomadas no mesmo turno.

No início, o jogador possui um determinado território, que varia de acordo com o comandante selecionado. Além de pelo menos uma grande cidade, ele tem em seu domínio vários pequenos lugarejos. Apesar de possuir algumas variações, seu objetivo é usualmente assumir o controle do máximo de áreas possível.

Para isso, é necessário enviar tropas para os locais que se deseja dominar. Esses grupos de guerreiros são comandados por uma figura importante e consomem suprimentos enquanto estão em movimento. O jogador pode conduzi-los pelo mapa e oferecer um norte para suas ações, mesmo não controlando-os diretamente.

Ao andar pelos tiles hexagonais dos mapas, as tropas também conquistam territórios. Existem múltiplas formações possíveis; algumas são melhores para o combate, outras para dominar áreas, entre outras funções. Também é possível definir uma quantidade específica de guerreiros para a tropa, cujo limite superior depende da capacidade de comando do líder.

Porém, não é apenas de combate que as estratégias são feitas. Além das tropas, é preciso gerenciar o ouro e os suprimentos obtidos dos terrenos conquistados. Idealmente, o jogador deve colorir todos os tiles de uma região com a sua cor, aumentando os benefícios de possuir o controle daquela área.

Ryza e seus amigos são parte de um dos DLCs do jogo.
Para melhorar os ganhos, também dá para atribuir líderes para cada área. Dependendo dos seus atributos (como força e inteligência), valerá mais a pena atribuí-los ao desenvolvimento do comércio local, da agricultura ou das barracas das tropas.

Na expansão, o domínio de novos territórios também inclui as chamadas Geographic Advantages. Com elas você pode, por exemplo, melhorar suas relações com povos poderosos sem afiliação e realizar trocas com outros países.


Outro elemento importante é a administração, que possibilita obter efeitos variados ao oferecer cargos de governo aos seus grandes guerreiros. É possível ativar habilidades como o fortalecimento de formações específicas das tropas, aumento da moral e da ordem no território, entre muitas outras.

O ouro arrecadado também pode ser usado para atender a pedidos de personagens aliados. Com isso, conseguimos sabotar inimigos, melhorar rapidamente atributos variados, salvar tropas do perigo iminente, e muito mais. Dependendo do mapa, o dinheiro também é útil para artimanhas, que podem ser executadas para motivar áreas a se libertar do seu regime atual, envenenamentos e várias outras atividades moralmente questionáveis.

No entanto, tudo que mencionei aqui é apenas a superfície do jogo. Existem muitos outros elementos para prestar atenção, como a moral das tropas, o contentamento dos aliados, a sinergia entre guerreiros e a possibilidade de realizar duelos contra os oponentes.

O jogo conta com mapas de tutorial que explicam as bases do jogo, incluindo as novidades da expansão. Porém, mesmo entendendo esses aspectos, é necessário investir boas dezenas de horas para dominar minimamente o jogo. E os ocasionais errinhos de escrita, mesmo raros, não ajudam.

Mesmo os trechos de feedback semanal, que deveriam dar um panorama detalhado das mudanças que ocorreram durante o período, são ruins. Seria importante que eles oferecessem gráficos e indicadores de fácil absorção para que o jogador tivesse parâmetros para comparar os períodos, mas seus únicos índices objetivos são os três recursos básicos, e algumas mudanças relevantes são omitidas.

Para fãs mais fervorosos do gênero, Romance of the Three Kingdoms XIV: Diplomacy and Strategy Expansion Pack pode ser um rico tesouro a explorar. No entanto, a dedicação necessária para entender as ações significativas no emaranhado complexo do jogo dificulta o seu aproveitamento para praticamente qualquer outro tipo de jogador.

Prós

  • Retrata de forma interessante os aspectos históricos do Romance dos Três Reinos;
  • Conta com múltiplas opções para customizar a experiência;
  • Sistema de edição de personagens e uma grande variedade de guerreiros.

Contras

  • Os múltiplos sistemas de estratégia são confusos e seus benefícios são mal explicados;
  • É possível realizar ações contraditórias sem que o jogo mostre isso com clareza;
  • Feedback semanal pouco útil por não mostrar adequadamente todas as mudanças relevantes;
  • Alguns errinhos de escrita ocasionais.

Romance of the Three Kingdoms XIV: Diplomacy and Strategy Expansion Pack – PC/PS4/Switch – Nota: 6.5
Versão utilizada para análise: PC

Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela Koei Tecmo


é formado em Comunicação Social pela UFMG e costumava trabalhar numa equipe de desenvolvimento de jogos. Obcecado por jogos japoneses, é raro que ele não tenha em mãos um videogame portátil, sua principal paixão desde a infância.


Disqus
Facebook
Google