Jogamos

Análise: 8bitdo Zero 2: conheça o controle que tem o tamanho de um chaveiro

O joystick pra quem precisa de portabilidade a todo custo


Em minha última análise de acessórios, escrevi sobre um controle excepcionalmente grande. Hoje vou no sentido oposto e falarei sobre um controle extraordinariamente pequeno, o 8bitdo Zero 2, voltado para aqueles que precisam de um acessório extremamente portátil.


Chaveirinho

A primeira coisa que chama a atenção neste controle é seu tamanho diminuto: 7,4 cm de comprimento, 3,7 cm de largura e 0,15 cm de espessura, pesando apenas 20 gramas. Cabe facilmente naquele bolsinho pequeno da calça jeans que você não usa pra nada. Ele é tão pequeno, que faz o joy-con do Switch parecer “grande” em comparação.

O produto acompanha um cabo micro-USB bem curtinho e um strap de silicone, o qual permite que o controle seja usado como um chaveirinho. Mas, apesar do tamanho reduzido, ele possui todos os botões que existem num controle de Super Nintendo: quatro botões de face ABXY, start e select, botões de ombro L e R e um d-pad.




O aparelho é compatível com Nintendo Switch, Android, Windows e macOS. Nos meus testes a bateria durou cerca de oito horas, mais que o suficiente para uma boa jogatina. Ela também recarregou rápido: pouco mais de uma hora para a recarga total.

O Zero 2 é fabricado pela 8bitdo e distribuído oficialmente no Brasil pela TecToy, com garantia e manual em português incluso.

Vá de retro!

O controlinho saiu-se muito bem para jogos retrô como Sonic, Golden Axe e Altered Beast, que joguei nos emuladores oficiais Sega Classics no Android e Sega Genesis Classics no Switch e PC. O jogo de corrida Horizon Chase também rendeu uma jogatina boa e razoavelmente confortável, nas mesmas plataformas citadas anteriormente. Ele se mostrou igualmente bom para RPGs de turno e visual novels.

Mas pra jogos de luta… aí não deu. Soltar o shoryuken do Ryu foi um sofrimento em todas as versões testadas de Street Fighter II. Títulos que dependem de controles analógicos precisos como FPSs não puderam ser jogados de forma satisfatória.



Nintendo Switch: dá pra usar, mas não com todos os jogos

A principal novidade do Zero 2 em relação ao modelo anterior é a capacidade de se conectar ao Nintendo Switch. Não só isso, ele possui algumas funcionalidades específicas para este console.

Existe um problema bastante comum em controles alternativos para o Switch que é a ausência do botão Home. Este problema foi solucionado de forma engenhosa no 8bitdo, que entende a combinação ↓+Select como o pressionar do botão Home. Parece estranho, mas funciona bem. Da mesma forma, o pressionar simultâneo de Select+Start é entendido como o pressionar dos botões ZL+ZR.

O minicontrole é uma opção interessante para donos do Nintendo Switch Lite que queiram levar um acessório extra e não tenham espaço para um Pro Controller. Neste caso, o Zero 2 possui uma vantagem sobre um joy-con avulso, que é a possibilidade de ser carregado em uma porta USB e ainda cabe em qualquer cantinho no case de transporte do aparelho.

Como a maior parte da biblioteca do meu Switch é composta por jogos indie, consegui usar o acessório sem dificuldades na maioria deles. Tive boas experiências com clássicos retro como R-Type Dimensions, o Sega Genesis Classics e Thunder Force AC. Os adventures da Ratalaika também funcionaram bem. Já os jogos de luta Street Fighter 30th Anniversary Collection, The King of Fighters 98 e Dragon Ball FighterZ não foram experiências boas. Super Mario Odyssey também não, o analógico que controla a câmera fez uma falta imensa. Dá pra jogar, mas fica longe do ideal.

Ah, ele não tem sensores de movimento. Então não é possível jogar títulos que dependam desta funcionalidade, como Just Dance.


Android: a melhor experiência

No celular Android foi a plataforma em que obtive as melhores experiências com o Zero 2. Todos os emuladores que testei funcionaram excepcionalmente bem, em especial a linha Sega Classics, disponível gratuitamente na Play Store. Jogos de corrida como Asphalt 8 e Horizon Chase se saíram muito bem também. Por outro lado, jogos de tiro como Call of Duty Mobile não aceitaram o controle. Genshin Impact também não, mas até onde sei, este jogo não é compatível com controle algum nos celulares Android.


No PC: por bluetooth ou cabo

Para uso no PC temos algo a considerar: o único motivo para comprar este acessório é a sua ultra-portabilidade, característica faz todo sentido no celular e no Switch, mas não no PC. Pra que comprar um controle ultraportátil para um equipamento que não o é? Eu vejo a compatibilidade com computadores como um bônus e não um motivo para comprá-lo.

No PC é possível usar o controle através de conexão bluetooth ou com um cabo no ultrapassado padrão micro-USB. Bem que poderiam ter adotado o padrão USB-C, mais atual, que permitiria uma conexão direta mais fácil com o Nintendo Switch, celulares modernos e seus carregadores.


Sobre o cabo que acompanha o produto, fiquei com dúvida se deveria listá-lo como ponto positivo ou negativo. Explico: ele é extremamente curto, medindo apenas 9 cm de comprimento. Logo, sua utilidade é limitada apenas a carregar a bateria do acessório, não servindo como conexão de dados ao PC. Por outro lado, a proposta deste controle é ser o mais portátil possível, então o cabo incluso está seguindo este conceito. Um cabo maior precisaria ser enrolado e acabaria ocupando um espaço maior que o próprio controle, sacrificando a portabilidade.

Mãozinha de dinossauro

No decorrer dos testes, percebi claramente que o tamanho diminuto do Zero 2 acaba cobrando seu preço. Como as mãos ficam muito juntas e o acessório não tem um grip pra facilitar a pegada, a atividade acaba gerando um desconforto após alguns minutos. É um controle bom pra usar rapidinho num intervalo, mas não dá pra imaginar ficar horas a fio jogando em posição de mãozinha de dinossauro.




Podemos dizer que o 8bitdo Zero 2 é um acessório com uso muito específico, para pessoas que queiram jogar emuladores ou jogos retrô e precisam de portabilidade a todo custo. É um acessório que de forma alguma substitui um controle tradicional, mas também é o único que realmente pode ser levado para todo lugar sem tomar um espaço incômodo no seu bolso ou bolsa.

Prós

  • Extremamente portátil e leve;
  • Boa autonomia de bateria;
  • Compatível com Nintendo Switch, PC, Android e macOS;
  • Funciona por cabo USB em PCs que não tem bluetooth.

Contras

  • Desconfortável para uso prolongado;
  • Não possui alavancas analógicas;
  • Não possui botões de ombro secundários;
  • Conector micro-USB, poderia ser USB-C.
Controle 8bitdo Zero 2 - Switch/PC/Android/macOS - Nota 7.5
Plataformas utilizadas no teste: Switch, Android e PC
Revisão: Felipe Fina Franco
Análise produzida com acessório adquirido pelo redator

é engenheiro eletrônico e tem uma filha fofinha que tenta morder os controles do papai. Curte jogos de luta, corrida e ação.


Disqus
Facebook
Google