Discussão

Como Among Us (Multi) se tornou o jogo mais popular do mundo

Com cerca de meio bilhão de jogadores em novembro, o jogo tornou-se o mais popular de todos os tempos no quesito usuários mensais.

Se você perguntasse a qualquer pessoa em dezembro de 2019 "qual será o grande jogo de 2020?", a resposta muito provavelmente seria Cyberpunk 2077, ou The Last of Us Part 2, ou Final Fantasy VII Remake. Você com certeza não escutaria ninguém citando um jogo lançado há mais de dois anos e gratuito nas plataformas mobile. Mas foi o que aconteceu.

Among Us acumulou mais de um bilhão de jogadores em 2020. O jogo cooperativo de traição e trabalho em grupo teve cerca de 500 milhões de jogadores ativos só em novembro, de acordo com um relatório da SuperData, empresa de pesquisa em tecnologia da Nielsen. O número é um recorde, nenhum outro jogo na história alcançou essa quantidade de usuários ativos em um único mês.

“Há 1 impostor entre nós”

Quatro desenvolvedores da Innersloth, pequeno estúdio independente americano, criaram o jogo. Among Us foi originalmente planejado para celulares e lançado em junho de 2018 só para plataformas mobile. Em agosto do mesmo ano, chegou à Steam e manteve uma pequena base de jogadores até explodir na metade de 2020. Em 2018, segundo os próprios desenvolvedores, o maior pico de pessoas conectadas simultaneamente ao jogo foi de pouco mais de 1800 usuários.

Among Us é uma reimaginação de jogos clássicos de estratégia e mentira, como Máfia e Cidade Dorme, jogados com cartas. Nele, entre quatro e dez jogadores, online ou em multiplayer local, assumem o papel de tripulantes em uma espaçonave, com o objetivo de completar tarefas e consertar o veículo. Porém, até três dos jogadores são designados aleatoriamente como impostores, que sabotam a nave, esgueiram-se por dutos e tentam matar os demais tripulantes sem serem descobertos.
No início de cada partida, até três jogadores são designados aleatoriamente com o papel de impostor.
No site oficial da Innersloth, os impostores são descritos como “parasitas metaformos” que teriam assumido a forma de um tripulante. O conceito parece ser inspirado no filme clássico de terror “O Enigma de Outro Mundo”. Na obra de John Carpenter, uma criatura ataca cientistas em uma base na Antártida e assume a aparência deles. Um dos mapas de Among Us, o Polus, é semelhante aos cenários glaciais e científicos do filme.

Para vencer uma partida, os tripulantes devem terminar as atividades estabelecidas na nave ou identificar e ejetar os impostores. Já os impostores vencem se matarem os demais tripulantes ou se uma das sabotagens não for consertada a tempo.

Among Us brilha de verdade nos momentos de interação entre os tripulantes. Sempre que um corpo é avistado por um jogador, ele pode chamar uma reunião entre os integrantes da nave. Nessa reunião, os jogadores discutem quem podem ser os impostores e, ao final, votam para eliminar ou não alguém da nave. Eles podem se abster da votação caso não tenham certeza e não queiram prejudicar os inocentes. Também existe a opção de chamar uma reunião de emergência a qualquer momento do jogo, basta apertar o botão vermelho na sala de reuniões do mapa.
Durante as reuniões, tripulantes e impostores duelam entre verdades e mentiras para decidir quem será lançado ao espaço.


E assim se dá a dinâmica do jogo. Impostores fingem estar fazendo tarefas enquanto procuram por oportunidades para matar, enquanto tripulantes tentam completar a lista de afazeres ao mesmo tempo em que brincam de detetive. Durante as reuniões, os impostores mentem sobre suas localizações no jogo e tentam manipular os outros jogadores, e cabe aos tripulantes encontrar suspeitos, fazer acusações e combinar votos para ejetar os possíveis malfeitores.

Sucesso tardio

A popularidade de Among Us atingiu em 2020 níveis nunca antes imaginados por seus desenvolvedores. Até então conhecido apenas por um público nichado, o jogo tornou-se um fenômeno em agosto, quando o número de downloads do game passou de 2.4 milhões, em julho, para 18.4 milhões, um crescimento de 661% de acordo com estimativas da Sensor Tower. No mês seguinte, Among Us cresceu mais 127%, com 41.9 milhões de download só em setembro.

Mas como Among Us se tornou tão popular mais de dois anos depois do seu lançamento? Com um sucesso tão grande a ponto de se tornar o jogo mais transmitido na Twitch em setembro? A resposta mais curta são as próprias streams na Twitch, onde criadores de conteúdo com milhões de seguidores ajudaram a pivotar Among Us rumo ao inesperado. Mas o sucesso também passa por outros fatores, como a gratuidade do jogo para celulares, o baixo valor na Steam, a simplicidade e, é claro, a pandemia de Covid-19.
Segundo dados da Sentor Tower, o número de downloads de Among Us cresceu 661% entre julho e agosto de 2020.

Interação social a distância

A OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou a pandemia de coronavírus em março de 2020. Com salas de cinema e estádios de futebol fechados, a indústria de videogames movimentou mais de 179 bilhões de dólares somente no último ano, um crescimento de 20% se comparado a 2019, de acordo com dados da IDC (International Data Corporation).

Com milhões de pessoas sem poder sair de casa no mundo todo, os videogames assumiram um novo papel no entretenimento. Jogos com mecânicas de interação social se tornaram ainda mais importantes para reunir amigos e criar novos laços. Foi assim que Fall Guys e Animal Crossing: New Horizons conseguiram um lugar entre os principais jogos do ano, e é assim com Among Us.
Em meio à solidão, jogos com mecânicas de interação social, como Fall Guys, Animal Crossing: New Horizons e Among Us, possibilitaram momentos de reconforto.


No momento em que uma reunião é convocada em Among Us, começa a batalha social entre os jogadores. Os tripulantes podem conversar por meio de mensagens de texto em um chat in-game, mas muitos preferem discutir em voz por meio de uma das milhares de salas no Discord dedicadas ao jogo. O aplicativo de chamadas acompanhou o crescimento de Among Us.

A plataforma bateu o recorde de downloads diários para um aplicativo em setembro, segundo dados da Apptopia, alcançando cerca de 800 mil downloads diários naquele mês. O “Among Us Brasil”, maior servidor do Discord dedicado a Among Us do país, tem mais de 160 mil membros. O motivo desse crescimento em conjunto é simples: Among Us é muito mais complexo e desafiador quando as reuniões são feitas em voz.
O servidor "Among Us Brasil" disponibiliza 110 salas para os jogadores.


Acessibilidade

A ideia de um jogo de interação social que consiste em descobrir um traidor entre os jogadores existe desde os anos 80, na União Soviética, como conta reportagem de Margaret Robertson para a Wired. O ano era 1987; Dimitry Davidoff estudava psicologia na Universidade Estadual de Moscou e dava aulas a alunos do Ensino Médio. Em busca de formas mais didáticas para ensinar seus estudantes adolescentes, o jovem russo criou um jogo com cartas e papel. Nascia ali o Máfia.

Parte do sucesso de Among Us pode facilmente ser explicada pelo sucesso de Máfia. É um conceito conhecido, fácil de se aprender e que pode ser jogado infinitamente, afinal, as partidas sempre são diferentes.
Quem será o impostor da vez? Uma partida de Among Us nunca é igual à outra.
Among Us está disponível gratuitamente para dispositivos Android e iOS, e mesmo as versões pagas são acessíveis, com o jogo custando R$ 10,89 na Steam e R$ 18,50 na versão para Nintendo Switch, lançada em dezembro de 2020. Além disso, o jogo também está disponível no GamePass para PC e futuramente para Xbox One e Xbox Series. O jogo é leve e tem ótima performance mesmo em smartphones e notebooks antigos. Todos esses fatores permitem que um público enorme e jovem tenha acesso a Among Us. De acordo com dados divulgados pela Apple, o jogo da Innersloth foi o mais baixado da App Store em 2020.

Devido à acessibilidade e ao apelo popular, Among Us fez parte até de campanhas políticas no Brasil em 2020. Arthur “Mamãe Falei” do Val (Patriota), Marina Helou (Rede) e Guilherme Boulos (PSOL), todos candidatos à prefeitura de São Paulo, fizeram lives jogando Among Us durante as eleições como forma de atrair público e debater propostas. Nos Estados Unidos, a congressista Alexandria Ocasio-Cortez, conhecida como AOC, também streamou o jogo enquanto fazia campanhas para que os estadunidenses votassem nas eleições presidenciais.

O futuro

Os próximos trabalhos da Innersloth parecem estar todos atrelados a Among Us. Em setembro de 2020, o estúdio anunciou uma sequência para o jogo, mas, poucas semanas depois, voltou atrás. Among Us 2 foi cancelado e os desenvolvedores disseram que continuarão a trabalhar no game de forma a aproveitar o grande número de usuários ativos, resolvendo bugs, implementando melhorias e mecânicas.

Durante o The Game Awards, em dezembro, foi anunciado um novo mapa para o jogo, o Airship: maior, com novas tarefas e mecânicas, e que será lançado ainda no começo de 2021. O cenário é um dirigível inspirado pela série de jogos em flash Henry Stickman, também da Innesloth.

Entre as novidades, elevadores, escadas, plataformas móveis e provavelmente a possibilidade de jogar com mais de dez tripulantes. Além disso, no Airship os jogadores poderão escolher entre três diferentes salas para nascer depois de cada reunião. Com um mapa maior, mais tarefas e pessoas, a tendência é vermos partidas mais longas e estratégicas.

Outra novidade anunciada pela Innersloth é um sistema de contas e amizade a ser implementada ainda no começo desse ano. O intuito é fortalecer os laços entre os jogadores, diminuir o número de hackers e a toxicidade.

Para o futuro ainda mais distante, espera-se que o estúdio continue trabalhando para aumentar a diversidade de mapas e formas de jogo, além de resolver os bugs rotineiros. Among Us, como grande parte dos games multiplayers mais populares, possui uma comunidade de mods ativa. Uma ideia interessante para a Innersloth seria a de implementar uma dessas modificações oficialmente ao jogo, como o popular mod de chat por proximidade ou, enfim, desenvolver um conversa por voz in-game.

Revisão: Davi Sousa


Jornalista londrinense se aventurando na terra dos Beatles. Fã de metroidvanias e survival horrors, tentando entrar no mundo dos JRPGs. Opino sobre coisas que ninguém quer saber no Twitter.


Disqus
Facebook
Google