Vem aí

Prévia: FIFA 21 (Multi) é um dos títulos mais pressionados da franquia de futebol da EA

Game enfrentará uma série de questões e dificuldades para manter seu posto de destaque no mercado.

Desde que assumiu o topo do gênero, a série FIFA conseguiu manter sua dominância nos últimos anos. Isso, entretanto, talvez esteja prestes a mudar: o seu mais novo título, FIFA 21 (Multi), irá chegar em um dos momentos mais complicados que a franquia já enfrentou até hoje. Nesta matéria, vamos explorar as atrações que o game promete entregar para se manter na liderança e quais são as dificuldades que podem dificultar a campanha do futebol eletrônico da EA.

Um ano bastante movimentado

Não é preciso lembrar como 2020 está sendo profundamente afetado pela pandemia da COVID-19. Os impactos afetaram todos os setores da economia, incluindo os videogames. Dentre muitos problemas, o adiamento de títulos foi um dos mais comuns. E a famosa franquia de futebol da Electronic Arts não foi uma exceção.

FIFA 21 irá chegar no dia 9 de outubro de 2020, aproximadamente um mês depois do lançamento no ano passado. A questão é que o “atraso” é apenas mais um fator que irá afetar o jogo neste ano turbulento. A chegada da nova geração de consoles, com o PlayStation 5 e os Xbox Series X e S, também chacoalhou a indústria e afetou diretamente o game.
Capa do game para PS4
Ao comprar o novo título da EA para PS4 ou Xbox One (também haverá versões para PC e Switch), o jogador terá direito a uma cópia gratuita para o respectivo console da nova geração. A campanha, chamada Direito Duplo, parece interessante na teoria, mas na prática ela acabou afetando um ponto crucial de qualquer produto: o preço.

O jogo de futebol custa aproximadamente 300 reais, 25% mais caro que seu predecessor do ano passado. Embora a produtora não confirme a razão, especula-se (com razão, na minha opinião) que a garantia de uma cópia futura acabou encarecendo o preço final. As versões especiais do game, inclusive, acabaram recebendo aumentos ainda maiores.
FIFA 21 chega com muita desconfiança
Em tempos onde muitas pessoas perderam poder aquisitivo, cobrar mais caro por um game é um alto risco. E apostar em uma cópia para a nova geração como diferencial é, no mínimo, duvidoso, visto que a maioria dos jogadores não irá trocar de videogame imediatamente. A data próxima dos lançamentos prejudica ainda mais essa ideia, pois esperar alguns poucos meses pode até garantir algum desconto interessante ao comprar um PS5, por exemplo.

Jogo atualizado e melhorado, mas não renovado

Feitas as primeiras considerações mais gerais sobre a polêmica do preço, vamos passar para o que realmente importa: o jogo em si. Infelizmente, as perspectivas não são muito mais animadoras. FIFA 21 trará uma série de novidades para a sua jogabilidade, mas nenhuma delas parece ser particularmente significativa.

Vale lembrar que FIFA 20 foi significativamente criticado pela sua jogabilidade, que foi considerada polêmica ao longo de seu tempo de vida. Logo, mudanças e melhorias eram quase uma obrigação para o novo título. Entre elas, uma condução mais ágil dos atletas virtuais promete jogadas mais dinâmicas e criativas.

Outra novidade é que o jogadores terão uma inteligência artificial, com o perdão da redundância, mais inteligente. Atacantes irão se posicionar melhor para evitar impedimentos, armadores terão mais facilidade para fazer enfiadas de bola e volantes ficarão melhor postados em campo para interceptar passes e ataques.

Os ataques prometem ser mais variados, contando com mais opções para passes precisos, direcionamento da corrida dos companheiros e até travar o controle para um atleta específico. Outro ponto relevante é o sistema de colisão, que, em minha opinião, sempre foi um pouco aleatório na série FIFA. Agora, ele tentará ser mais natural e menos travado.

Em outras palavras, ainda que bem-vindas, as novidades estão mais no campo do aprimoramento e não da renovação. Dada a já comentada chegada da nova geração, essa política é coerente no sentido de que as reais novidades poderão chegar na próxima versão, considerando um hardware mais poderoso. O problema é que essa proposta me parece incoerente com o aumento no preço de um jogo da atualidade.

A grama do vizinho...

Outro ponto relevante são as licenças dos clubes e jogadores. Várias equipes terão marcas genéricas, visto que acordos especiais garantiram ao eFootball PES 2021 Season Update (Multi) diversas exclusividades. Em particular, o futebol brasileiro está muito bem representado no game da Konami, incluindo Séries A e B. FIFA 21 terá a marca Libertadores da América, mas os jogadores provavelmente serão genéricos graças à concorrente.
Não adianta ter muitas ligas com vários clubes genéricos (sem contar a falta do Brasileirão)
Concorrente, aliás, que precisa ser levada em conta ao falarmos de FIFA 21. O novo PES chega ao mercado com uma proposta honesta, que diz claramente que o game é apenas uma atualização do predecessor do ano passado. Além disso, o título trouxe um desconto interessante no seu lançamento no mercado, ficando bem abaixo do concorrente da EA.

Sendo uma versão atualizada do PES 2020, o game conta com as qualidades, como a jogabilidade sólida e belos visuais, já existentes e algumas melhorias pontuais. Enquanto isso, FIFA 21 não traz muitos atrativos. Não há menção a melhorias técnicas, como gráficos e carregamentos, para o PS4 e Xbox One; somente para a próxima geração. Talvez uma das maiores promessas seja o modo Futebol Volta, que estreou no ano passado.
O Volta Futebol foi uma boa ideia, mas não espere por grandes novidades
Ele consiste em um modo de jogo fortemente baseado no clássico FIFA Street. Embora elogiado pela proposta, diversas críticas pontuais foram feitas anteriormente; agora, ele promete ser ainda mais completo, trazendo uma experiência mais robusta. Partidas online poderão ser disputadas com vários jogadores e o Elenco Volta irá contar com grandes nomes do futebol mundial, como Mbappé e Kaká.

Mais polêmicas para o pacote

Quebrando uma tradição da franquia, FIFA 21 será lançado sem uma versão de demonstração. A justificativa oficial dessa escolha é dar mais tempo ao produtores para prepararem o game completo. Na prática, fãs e jogadores temem por uma manobra para esconder possíveis problemas e a provável falta de novidades significativas.

Em minha opinião, essa explicação do “foco no produto final” é um pouco capenga. Quer dizer que nos anos passados os games não foram prejudicados pelas respectivas demos? O mês extra no lançamento não ajudou em nada na produção? É até possível obter um acesso antecipado em três dias para FIFA 21, mas os preços aumentam na falta da assinatura da EA Play, plataforma de jogos e descontos da EA.
João Félix, Erling Haaland e Trent Alexander-Arnold em destaque
Para terminar, temos a polêmica das loot boxes e da moeda virtual FIFA Points. Elas estão presentes no maior destaque da franquia nos últimos anos, o FIFA Ultimate Team (ou FUT). Mesmo com elas limitando o progresso dos jogadores, admito que as mecânicas desse modo são muito divertidas. A questão é que a cada novo game elas parecem mais e mais presentes e necessárias para obter sucesso na jogatina.

Declarações do diretor do game foram bastante vagas nesse ponto, levando a crer que comprar FIFA Points e adquirir pacotes no estilo loot boxes ainda será quase obrigatório para ir mais longe no FUT. Isso vai na contramão das críticas dos jogadores, mas essas políticas não devem mudar enquanto o título não sofrer uma queda significativa nas vendas. Esse é mais um fator que torna a garantia de sucesso de FIFA 21 cada vez menor.
FUT pode ser tão divertido quanto explorador
Não há como negar que a franquia é bastante popular; basta olhar para os vários vídeos e matérias sobre os games. Parece, entretanto, que a EA está abusando da popularidade, trazendo poucas novidades importantes e ignorando críticas ao jogo. Ter uma boa base instalada e o viciante modo FUT ao seu lado é ótimo, mas FIFA 21 passará por um teste que a série há muito tempo não havia tido.

Será que a liderança está com os dias contados?

São muitos os fatores que irão afetar o lançamento de FIFA 21 (Multi). Eles incluem preço aumentado em meio à pandemia, ausência de uma demonstração, poucas novidades significativas e concorrência ainda mais equilibrada. Mesmo com perspectivas um pouco pessimistas, o jogo de futebol da EA ainda tem potencial para ser um ótimo título, sobretudo graças ao FUT, seu maior destaque. Agora é esperar para ver, pois, como diz o ditado futebolístico, “futebol se ganha no campo”.
FIFA 21 – PC/PS4/Xbox One
Desenvolvedor:
Electronic Arts
Gênero:
Esporte
Lançamento:
9 de outubro de 2020
Expectativa:
3/5
Revisão: Ives Boitano

é redator de matérias sobre games desde julho de 2016 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.


Disqus
Facebook
Google