Blast Test

Cloud Gardens (PC) é um interessante jogo sobre construir jardins em ruínas urbanas

Este título indie conquista com suas mecânicas simples e atmosfera aconchegante.


Cloud Gardens apresenta um conceito no mínimo inusitado: o objetivo é transformar locais abandonados em pequenos jardins. Idealizado pelo mesmo criador do título de estratégia minimalista Kingdom, Cloud Gardens oferece uma experiência descompromissada e relaxante em uma mescla de puzzle e ferramenta de criação. Lançado no PC em Acesso Antecipado, o jogo já conta com base sólida e ares de completude.

O verde tomando locais abandonados

Inúmeros pequenos cenários urbanos abandonados que lembram pequenas maquetes são as áreas de criação de Cloud Gardens. Em cada um destes locais precisamos fazer com que plantas tomem conta de objetos e ruínas, resultando, no final, em exuberantes jardins selvagens.

As mecânicas são extremamente simples. Primeiro, plantamos sementes nos pontos desejados e, em seguida, posicionamos diferentes objetos pelo cenário para fazer a vegetação crescer. Frutas nascem quando as plantas se desenvolvem o bastante e podemos utilizá-las para obter mais sementes. Há diferentes tipos de vegetais para cultivar, cada qual com comportamento distinto: samambaias cobrem superfícies, como paredes e sucata; cactos crescem verticalmente, evitando obstáculos; e uma planta de folhas grandes vira uma pequena árvore aos poucos.


Essa ideia é explorada no modo campanha, em que cada fase apresenta um pequeno puzzle. Nelas, o objetivo é preencher um “medidor de verde” e, para isso, é necessário desenvolver o máximo de plantas possível. Cada estágio conta com um número específico de objetos para fazer crescer os vegetais, logo a dificuldade está em usar com inteligência os recursos disponíveis e o espaço livre. É um modo bem tranquilo, mas alguns puzzles exigem um pouco de estratégia para serem resolvidos.

Fora isso, há o modo sandbox, que permite criar livremente diferentes cenários. Podemos utilizar qualquer objeto ou planta já liberado no modo campanha, assim como escolher o tamanho da área. Não há metas e tarefas nele, a intenção é simplesmente exercitar a criatividade.


Deslumbre minimalista

Cloud Gardens é mais uma daquelas experiências relaxantes e descompromissadas capazes de nos prender por horas. O título é mais uma ferramenta de criação do que jogo propriamente dito, por mais que haja um pouquinho de cada coisa. E isso não é algo ruim, pelo contrário: a diversão é justamente explorar as opções e brincar com os objetos e sementes.

Apreciei bastante a atmosfera do jogo. Os cenários abandonados esbanjam um charme minimalista com seu visual propositalmente retrô, com objetos e texturas em baixa resolução. Gostei, em especial, da constante expansão do verde: é hipnotizante ver a transformação dos pequenos locais de simples ruínas em jardins tomados por natureza selvagem. O tema de “locais urbanos abandonados” é inusitado e conta com cenas interessantes, principalmente depois que a vegetação se expande, como um vagão de metrô abandonado, uma estufa quebrada, um ferro-velho repleto de carro e lixo, prédios em ruínas e mais.

O modo sandbox é bastante versátil e permite montar todo tipo de cenário com uma infinidade de objetos. Além disso, é bem fácil de usar, bastando poucos cliques para posicionar os elementos. O jogo conta com ferramentas que permitem compartilhar as criações na forma de imagens ou pequenos vídeos, sendo possível, inclusive, mostrar o processo de crescimento das plantas. Com pouco esforço, consegui montar cenas visualmente belas e me diverti bastante experimentando as possibilidades no modo sandbox.


Cloud Gardens foi lançado em Acesso Antecipado e, dentro de sua proposta, já se revela bem completo. Já há uma boa quantidade de estágios para completar no modo campanha, assim como inúmeros itens no modo sandbox, e mais conteúdo deve ser adicionado no futuro. Há alguns pequenos pontos que precisam de ajustes, como imprecisão na hora de lançar sementes ou colocar certos objetos, e também vi bugs, como plantas flutuando no ar, mas são questões que devem ser resolvidas nas atualizações futuras.

Jardinagem inusitada e envolvente

Cloud Gardens conquista com seu conceito único e charmoso. Mecânicas simples tornam fácil transformar pequenos cenários abandonados em jardins repletos de vegetação selvagem em um título que combina puzzle e construção. Criatividade, experimentação e deslumbre ditam o ritmo, e uma atmosfera minimalista deixa a experiência adorável e relaxante. Em especial, é incrível ver as ruínas em miniatura se transformando em elaborados parques tomados de verde, e ferramentas embutidas permitem compartilhar com facilidade as criações. No fim, Cloud Gardens é uma ótima opção para exercitar a criatividade e para curtir alguns puzzles tranquilos e descompromissados.

Revisão: José Carlos Alves

Texto de impressões produzido com cópia digital cedida pela noio games

é brasiliense e gosta de explorar games indie e títulos obscuros. Fã de Yoko Shimomura, Yuzo Koshiro e Masashi Hamauzu, é apreciador de roguelikes, game music, fotografia e livros. Pode ser encontrado no seu blog pessoal e nas redes sociais por meio do nick FaruSantos.


Disqus
Facebook
Google