Jogamos

Análise: WRC 9 (Multi) traz poucas novidades, mas é um excelente título para os fãs da categoria

Percorra trajetos variados pelo mundo, gerencie sua equipe e tente não capotar pela pista.

A pandemia cancelou diversas disputas esportivas pelo mundo, como os ralis. Porém, para alívio dos fãs, o mundo dos games consegue preencher o vazio deixado com o excelente WRC 9 (Multi). Com uma enorme diversidade de pistas e carros, o jogo consegue manter o padrão alto de qualidade da série.

Volta ao mundo em 80 pistas… ou mais!

WRC 9 te leva a uma verdadeira volta ao mundo por mais de 90 pistas em 17 países diferentes. O grande diferencial aqui é que em vez de corridas em pistas fechadas com um número determinado de voltas, os trajetos sempre vão de um ponto A a um ponto B. 

Fazer um mesmo trajeto invertido também demanda uma estratégia diferenciada, uma vez que pontos de aceleração e frenagem mudam drasticamente. Outra diferença marcante entre cada lugar é o terreno. Eles podem ser de asfalto, cascalho, neve ou até mesmo mistos, exigindo atenção na hora da pilotagem.

Para complementar o ambiente, os trajetos possuem belas paisagens que conseguem roubar a cena. Seja nas florestas congeladas da Suécia, ou nas planícies áridas do México, cada cenário possui um charme único.

Os efeitos sonoros também ajudam bastante a criar o clima local. É possível escutar as pedras batendo na lataria em trajetos arenosos ou o barulho das poças e aquaplanagem durante corridas sob chuva intensa. 

Além das inúmeras provas, o número de carros também é bastante convidativo. São mais de 50, incluindo veículos históricos, fielmente reproduzidos. O manejo de cada um possui suas peculiaridades, mas no geral todos se comportam de maneira bastante similar.

Freie mais e acelere com cuidado

Apesar de não trazer grandes inovações em relação ao anterior, a jogabilidade se manteve muito boa e convidativa para iniciantes. O equilíbrio entre aceleração e freios pode ser treinado livremente em um espaço que possui diversos obstáculos e mais de um tipo de solo, antes de começar a aventura em cada prova.

A medida que batemos nosso carro, os problemas começam e é perceptível a diferença na direção. O volante começa a puxar para os lados, as marchas demoram para entrar, a aceleração fica falha e até o motor muda seu ronco, como se fosse um pedido de socorro. Isto aumenta em muito o realismo durante cada etapa e reforça a importância de sempre mantermos a cautela as provas.

Como não corremos contra outros pilotos na pista, é no relógio que a dificuldade se encontra. Quanto mais afiada a inteligência artificial, mais perfeitas serão suas marcas. Por essa razão, é importante dominar cada particularidade dos trajetos.

A única coisa que permanece estranha nas corridas é o efeito de algumas colisões, que lançam o carro para longe ou fazem ele derrapar descontroladamente em direção a uma ribanceira ou penhasco. Isto pode acabar resultando em um frustrante fim de prova.

Outro fator que pode ser uma barreira limitante é a linguagem. Todos os menus e textos estão em português, porém as indicações do copiloto durante a corrida só podem ser em inglês, espanhol ou francês. Isto pode ser um problema para quem é novato com ralis e não entende os termos que definem cada curva. Deveria existir pelo menos um glossário geral que explicasse os termos mais importantes.

Trabalho em equipe

WRC 9 conta com diversos modos de jogo, como multijogador online e local, disputas rápidas, treino e até desafios específicos. Porém, é o modo Carreira que chama atenção.

Como um jovem piloto, começamos nas categorias mais baixas, podendo ser JWRC ou WRC 3, e buscamos ascender para a principal. Ao integrarmos um time, é possível participar de todo seu gerenciamento, indo desde o aprimoramento de setores, como o de desempenho, trabalho em equipe e confiabilidade, até também contratar profissionais como mecânicos, engenheiros, meteorologistas e fisioterapeutas. Cada um deles irá contribuir no rendimento da equipe como um todo.

Também existe a possibilidade de escolher quais serão os eventos em que participaremos ao longo de uma temporada. Além das etapas do campeonato de rali, pode-se treinar, fazer manutenção, participar de corridas com carros históricos, descansar e fazer testes com outras montadoras.

Não é necessário terminar essa temporada para ser promovido. Ao ter um bom desempenho nos testes com outras montadoras, elas podem nos desafiar e, em caso de sucesso, somos convidados a entrar em um novo time. Se fizermos isso, seguimos para a categoria de cima e um novo ano começa. É uma maneira mais dinâmica de prosseguir, sem a sensação de ter que cumprir tabela e ficar arrastando algo até ficar cansativo.

Para quem quiser jogar apenas as etapas de cada categoria sem fazer o gerenciamento de equipes, como nos jogos anteriores, existe modo Temporada. Neste sim, você só irá subir de categoria caso tenha bons resultados ao final de todas as provas que disputar.

Levantando poeira

WRC 9 não é tão inovador quanto seu antecessor, mas mantém a mesma excelência. Seja você um veterano da franquia ou um novato que quer se aventurar com velocidade em uma nova forma, aqui você encontrará um título com uma experiência bastante completa.

Prós

  • Grande número de veículos e pistas;
  • Belos visuais e efeitos sonoros;
  • Modo Carreira bastante dinâmico e completo;
  • Excelente jogabilidade.

Contras

  • Algumas batidas causam efeitos exagerados e derrapagens malucas;
  • Ausência de dublagem do copiloto em português ou de um glossário com termos técnicos.
WRC 9 — PC/PS4/Switch/XBO — Nota: 8.5
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: João Pedro Boaventura
Análise feita com cópia digital cedida pela Nacon


é pai do próximo Batman, tio de uma princesa e viúva da Sega. Só sabe jogar títulos de luta, se mata frequentemente em FPS e adora uma velharia (que todo mundo agora gosta de chamar de retrô). Ah, ele está esperando até agora pelo Ridge Racer dessa geração também.


Disqus
Facebook
Google