Jogamos

Análise: Fairy Tail (Multi) é um RPG divertido e digno da famosa série japonesa

Game oferece uma bela, divertida e mágica aventura com Natsu e toda a sua turma.

O mercado dos jogos eletrônicos oferece muitas opções baseadas em obras japonesas. Dentre tantos nomes famosos, um dos shonen mais relevantes ainda não havia recebido um grande game. Finalmente, a hora dele chegou: Fairy Tail (Multi) é um rico e divertido RPG baseado na ótima obra homônima. Prepare o seu cachecol, pegue as suas chaves estelares e não esqueça o seu peixe, pois a análise vai começar!

Uma (muito esperada) história de aventura e de magia

Produzido pela Gust Studios e publicado pela Koei Tecmo, Fairy Tail foi lançado em 31 de julho de 2020 para PlayStation 4, PC e Nintendo Switch. Para os fãs, essa data demorou uma eternidade para chegar, sobretudo no ocidente. Afinal, esse é o primeiro game, baseado na obra, a ser disponibilizado oficialmente fora do Japão.
Finalmente podemos ver essa turma em alta definição
O título teve muitos adiamentos, sendo que a data inicial de lançamento era em março de 2020. Boa parte da demora foi atribuída à necessidade de um maior cuidado com a tradução, além dos efeitos da pandemia. Seja como for, a paciência valeu a pena, pois o game é ótimo e reúne muitas qualidades para os mais diferentes públicos.

Fairy Tail é um RPG clássico, com batalhas por turnos e sistema de níveis para melhorar os personagens. Engana-se, entretanto, quem pensa ele é apenas um game genérico com uma temática famosa. O título conta com várias mecânicas e elementos que o diferenciam de outras opções do mercado, tornando a sua experiência divertida para ambos os fãs do mangá/anime e de um bom jogo no geral.
"Eu tô pegando fogo!"
Cada ponto do game apresenta qualidades interessantes, demonstrando o esmero da produtora em oferecer uma experiência completa e divertida. Fiquei impressionado com isso, pois muitos títulos baseados em franquias muitas vezes são capengas em vários pontos. Ainda que ele tenha alguns problemas, visuais, jogabilidade, batalhas e mecânicas de jogo são competentes.

Um incrível conto de fadas

Não há como falar do game sem lembrar a sua obra original. Fairy Tail, do autor Hiro Mashima, é um mangá que surgiu em 2006 e que foi publicado por onze anos. O sucesso rendeu séries de anime, filmes, brinquedos e games, resultando no título desta análise. O enredo gira em torno de uma guilda de magos chamada Fairy Tail, sendo que os personagens principais são Natsu Dragneel e Lucy Heartfilia.
Uma das grandes qualidades de Fairy Tail são os seus muitos e interessantes personagens
Dada à longa história, o game adapta boa parte dos arcos finais da série: Tenrou Island, Grand Magic Games, Tartaros e Avatar. Eles são ótimos e importantes para a obra como um todo, sendo que pequenas passagens relativas a outros pontos da obra aparecem pela campanha. Infelizmente, é aqui que Fairy Tail encontra sua maior deficiência.

Por “começar no final”, jogadores não familiarizados com a série, seja pelo mangá ou pelo anime, provavelmente vão ficar perdidos. O game até conta com um compêndio interessante e com várias apresentações e pequenas retrospectivas, mas longe de ser o suficiente. Talvez um vídeo de abertura com um “resumão” ajudasse a mitigar esse problema.
O começo da aventura é um dos momentos chave do jogo e da série
Para aqueles que conhecem o mundo de Fairy Tail, ou que estão dispostos a mergulhar nele e seguir nadando com a maré, o game é uma incrível aventura. A introdução coloca o jogador contra um poderoso vilão, apresentando as principais mecânicas de combate e os belos visuais (mais sobre esses pontos em seguida).

Após um acontecimento crítico, tal como na história original, o jogador se vê obrigado a recomeçar do zero. A guilda precisa ser reerguida, os personagens precisam recuperar seus poderes e, obviamente, ameaças novas e ainda mais perigosas surgem. Embora clichê, esse recurso funciona bem, sobretudo por fazer uso direto da ótima obra e de suas várias surpresas e reviravoltas interessantes.
O game contém várias das piadas da obra original

Monte o seu Dream Team

Conforme vamos avançando na história, novos magos e habilidades são liberadas. Embora somente alguns dos personagens mais famosos, como Natsu, Lucy, Gray e Erza, estejam disponíveis no começo, logo em seguida temos acesso a outras figurinhas carimbadas. Como uma das maiores qualidades de Fairy Tail são os seus personagens originais e divertidos, essa possibilidade é ótima.
Prepare-se para viver grandes momentos da história de Fairy Tail
Particularmente, gosto muito da Juvia, elemental da água, Erza, a titânia da guilda, e Laxus, um mago que utiliza relâmpagos. Cada uma das opções disponíveis é bastante distinta e interessante, contando com visuais, golpes, habilidades e frases características. Determinadas parcerias, inclusive, podem render movimentos únicos, como os poderosos ataques Unison Raids.
Sting (esquerda) e Rogue em um ataque Unison Raid
A promessa de que poderíamos montar a nossa equipe dos sonhos foi cumprida, pois temos uma generosa lista de magos para escolher. São 16 personagens iniciais, sendo que mais estão planejados para DLCs no futuro. Seja o seu critério estilo, sinergia ou força bruta, criar, customizar e fortalecer o seu time é sempre muito divertido.
Muitas opções para montar o seu time dos sonhos
É uma pena que os NPCs e inimigos genéricos não tenham recebido a mesma atenção. Os modelos deles, em alguns casos, são repetidos à exaustão, sem nenhuma variação nem mesmo nas cores. Esse fato não chega a comprometer a experiência, mas jogadores mais atentos podem ficar um pouco incomodados.

Que abra o portão da diversão!

Além dos personagens, outro destaque de Fairy Tail é o sistema de combates. Ele funciona através de uma grade 3x3, onde os inimigos são dispostos dentro das nove posições possíveis. Os ataques e movimentos especiais, além da força e efeito extra, como congelar e queimar, também possuem uma informação sobre a área de acerto.
Também é possível realizar golpes sequenciais, resultando em combos poderosos
Alguns golpes irão atingir apenas um quadrado da grade, enquanto outros terão o formato de um “L”, um “+” e assim por diante. Também será possível deslocar os inimigos para obter uma formação mais vantajosa. Essas mecânicas adicionam mais um nível de estratégia ao tradicional combate por turnos dos RPGs, resultando em partidas ainda mais interessantes.

Ao passar de nível, o personagem fica mais forte, libera novos movimentos e melhora os golpes já disponíveis. Além disso, temos um sistema de ranks e de afinidades. O primeiro libera habilidades especiais e skins novas para os magos, enquanto o segundo permite que certas parcerias sejam ainda mais poderosas.
Fortalecer os laços dos membros do time é muito importante
O jogador também pode coletar dinheiro e itens, que por sua vez podem ser usados na batalha ou para reerguer a guilda. Novas instalações podem ser construídas e melhoradas, conferindo recursos inéditos ao jogador. Além da campanha, são muitas missões secundárias para completar e atividades para realizar.

Finalmente um jogo digno da franquia

Fairy Tail também é muito competente no quesito técnico. Os visuais são coloridos e bonitos, no melhor estilo anime. Embora exista uma visível diferença na qualidade dos personagens principais e dos demais elementos, tudo mantém um nível adequado. Alguns cenários se destacam, principalmente em momentos chave da história.
As animações dos golpes são bem caprichadas
A dublagem é a original japonesa, que é divertida e, obviamente, fiel ao anime. As músicas são um deleite para os fãs, pois são muito familiares e agradáveis de ouvir. Seja nas lutas, menus ou exploração, sempre temos boas canções para desfrutar.

Outro ponto louvável é o desempenho. Feito o primeiro carregamento, as telas de loading são pouco frequentes e curtas. Além disso, o jogador pode utilizar vários pontos de fast travel para facilitar os deslocamentos, desligar a animação dos golpes nas lutas e deixar a máquina fazer as escolhas. O game também manda bem ao ajustar automaticamente a sua equipe para missões que exigem membros específicos.
A montagem automática das equipes é uma pequena, mas ótima adição
A sensação que tive é que Fairy Tail foi cuidadosamente otimizado, de forma que o jogador pudesse gastar o tempo no que realmente importa: lutas, interações e customizações. Alguns pontos secundários, como os já citados NPCs e a ausência de modelos 3D e dublagens para certos personagens, incomodam, mas arranham pouco o pacote como um todo.

Vale lembrar que o próprio autor da série, Hiro Mashima, supervisionou a produção. Logo, o título realmente é fiel à obra original. O game também traz uma coletânea de artes, músicas e vídeos, além do Photo Mode, que permite a criação de cenas customizadas. Embora eu gostaria de ter visto mais materiais saídos do mangá e anime, os disponíveis no game são bem legais.
O game traz algumas imagens saídas diretamente do anime

Afinal: fadas têm ou não têm caudas?

Se você for um fã, então Fairy Tail (Multi) é um título obrigatório. Se não for, saiba que ele possui muitas qualidades para todos os jogadores: gráficos bonitos, história divertida e interessante, boas mecânicas de luta e níveis, ótima trilha sonora e um charme digno da obra original. Ainda que alguns poucos pontos pudessem ser melhores, o game ainda é uma boa pedida para a sua biblioteca.
Uma grande, divertida e mágica aventura

Prós

  • Ótima utilização do universo Fairy Tail, incluindo história e interações entre personagens;
  • Visuais e trilha sonora bonitas e dignas da série;
  • Sistema de combate competente;
  • Muitas opções para montar e customizar a sua equipe;
  • Boa quantidade de missões e atividades.

Contras

  • Jogador precisa conhecer uma boa parte da série para realmente aproveitar o game;
  • Vários pontos secundários, como NPCs e modelos e dublagens de certos personagens, ficaram devendo.
Fairy Tail – PC/PS4/Switch – Nota: 7.5
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: Emanoelly Rozas
Análise produzida com cópia digital cedida pela Koei Tecmo

é redator de matérias sobre games desde julho de 2016 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.


Disqus
Facebook
Google