Jogamos

Análise: Double Kick Heroes (PC) traz muito metal em um ótimo game musical

Trilha sonora de qualidade e ótimo nível de desafio são os destaques do jogo.

Games musicais normalmente são polarizados. Tem aqueles que adoram e aqueles que detestam. Sendo um jogador eclético, me incluo no primeiro grupo, sobretudo se o título for divertido e tiver uma trilha sonora empolgante. Double Kick Heroes (PC) oferece exatamente isso, com uma proposta radical e original. Pegue a sua bateria, afine a sua guitarra e não esqueça o baixo, pois vamos começar o show, digo análise.

Mais um jogo musical?

Em uma prática bastante comum nos jogos para computador, Double Kick Heroes esteve disponível como acesso antecipado até o seu lançamento. Ou seja, desde abril de 2018 o game podia ser experimentado pelos jogadores e, assim, melhorado através do feedback dos mesmos. Realmente uma longa e dedica produção.
Depois de muita espera, finalmente a versão final do título chegou
Finalmente no dia 13 de agosto o título foi oficialmente lançado para PC. Produzido pela Headbang Club, o game do tipo musical coloca o jogador no controle de uma banda de heavy metal em meio a um apocalipse zumbi. Para conseguir sobreviver e explorar o novo e destruído mundo, o grupo utiliza o poder da música para derrotar os mortos-vivos.
Fique ligado para derrotar os zumbis enquanto a música rola
Como de praxe em jogos do gênero, as partidas giram em torno de acertar o tempo das notas das músicas. Para isso, o jogador deve apertar o botão correto no momento certo. O diferencial de Double Kick Heroes está no objetivo dessa mecânica rítmica: a ideia aqui não é manter a música tocando, mas utilizá-la para atacar os zumbis.
Notas das músicas em detalhe
Admito que fiquei impressionado com a proposta. Ela não é revolucionária, mas é original e divertida. Além disso, utilizar somente o rock, sobretudo na sua variação heavy metal, para embalar o game foi uma decisão acertada. Os ritmos e a ambientação combinam bem, sendo dinâmica e eletrizante, como veremos a seguir.

Uma premissa simples para um ótimo game

Mesmo que o foco do game seja a sua jogabilidade, ele conta com um modo história interessante. A viagem da banda em meio a um mundo arrasado é repleta de diálogos legais, algumas reviravoltas interessantes e uma narrativa agradável. Cada fase é uma das mais de 30 músicas diferentes, onde temos que acertar o máximo de notas e derrotar os zumbis.
O modo história traz um enredo interessante aos combates musicais contra zumbis
Os membros da banda são os seguintes: Randie (baixo), Derek (baterista), Lincoln (gerente), James (guitarrista) e Snake (teclado). Eles viajam em um carro chamado Gundillac, que, assim como os personagens, é composto por típicos estereótipos de roqueiros. Na realidade, todos os visuais do jogo tem uma ótima pegada heavy metal.

As partidas ocorrem da seguinte forma. A banda viaja no carro em uma longa estrada, até começar a ser perseguida por mortos-vivos de todas as formas. Nisso, a música começa e, a cada nota acertada, uma das duas armas do Gundillac dispara em direção aos inimigos. A escolha de qual opção depende de qual botão o jogador utilizou para acertar a nota.
Uma banda de peso
Mesmo sendo uma premissa simples, ela casa muito bem com a jogabilidade proposta. Arrebentar zumbis, dinossauros e galinhas assassinas ao som de vários estilos de rock, sobretudo o heavy metal, é uma experiência empolgante. Double Kick Heroes possibilita utilizar teclado, controle e até baterias e guitarras eletrônicas feitas para jogos musicais.

O poder do Rock ‘n’ Roll!

Ao completar várias notas sem errar, o jogador libera armas mais poderosas. Começamos o game com uma pistola, que pode evoluir para uma escopeta, depois para um canhão e assim por diante. Os membros da banda também têm os seus recursos, como, por exemplo, as granadas da baixista e o tecladista franco-atirador.
Prepare-se para enfrentar toda sorte de inimigos
Quero deixar claro que, tal como a maioria dos jogos do gênero, Double Kick Heroes é bastante desafiador. Ele oferece cinco níveis de dificuldade, sendo que mesmo o inicial é razoavelmente exigente. A razão pela dificuldade é que, além de cuidar das notas, o jogador precisa prestar atenção nos zumbis.

Como o carro possui duas armas, é preciso ficar atento de qual posição os inimigos estão avançando. Quanto mais rápidas as notas, ou maior a quantidade de botões, mais difícil manter a atenção nos monstros, sobretudo porque errar notas diminui o contador e pode retroceder uma escopeta para uma pistola. Isso é ainda pior nas fases onde podemos deslocar o carro verticalmente.
As batalhas contra os chefes são ainda mais desafiadoras
Esse acréscimo de tarefas, que aumenta ainda mais conforme um nível de dificuldade maior é selecionado, é claramente explicado pelo game. Ou seja, escolha aquele que lhe agradar mais. O próprio jogo, que usa e abusa do bom humor em todos os segmentos, admite que o nível Extremo é “brutal” e somente para “superjogadores ou alienígenas octópodes”.
Adrenalina do princípio ao fim
Particularmente, fiquei na segunda opção de baixo para cima. Ela ofereceu desafios equilibrados, onde eu consegui curtir as ótimas canções sem sofrer (muito). Isso, aliás, precisa ser explicitado: Double Kick Heroes é puro rock ‘n’ roll de alta qualidade, em todas as suas formas, com foco principal no heavy metal. Se você não curte esse gênero, ou não está disposto a aprender a gostar, então fique longe dele.

Um game para pedir bis!

Além de uma campanha, o game também oferece um modo arcade. A única diferença é que não temos as cenas e diálogos, pois as sequências de músicas são as mesmas. Seria legal se eles compartilhassem o mesmo progresso, mas paciência. Além desses, também o modo Estrada da Fúria.
Conforme os desafios vão aumentando, temos acesso a habilidades mais poderosas
Nele, o jogador é colocado em uma maratona de músicas. A cada partida vitoriosa, uma carta de habilidade pode ser escolhida. Elas incluem aumento de dano da pistola, reforço na vida do Gundillac e assim por diante. Gostei bastante dessa estrutura, que proporciona ainda mais incentivo para continuar jogando.

Double Kick Heroes também uma valiosa abordagem online. Ele tem um editor, que permite aos jogadores criarem e compartilharem os seus próprios desafios musicais. Assim, temos, na prática, uma quase sem fim fonte de canções para continuar se divertindo (e sofrendo um pouco também).
Não vão faltar músicas para jogar em Double Kick Heroes com os modos online
Outro ponto importante é que praticamente todos os modos de jogo tem um sistema de ranking. Duas listas são disponibilizadas: os recordes dos amigos e a classificação global. Perfeito para aqueles que buscam a perfeição em cada música, ou então que adoram uma competição saudável com uma turma que curte rock.

Are you ready to rock?

Fazia tempo que eu não me divertia tanto com um game rítmico. Como um verdadeiro fã de Guitar Hero e semelhantes, posso com propriedade dizer que Double Kick Heroes (PC) é um ótimo título musical e não deve nada aos títulos mais famosos do gênero. Sua proposta de combater mortos-vivos com o poder da música é divertida e original, oferecendo partidas eletrizantes. A não ser que você não curta rock e altos desafios, esse jogo é obrigatório para a sua biblioteca.
Detonando tudo em Double Kick Heroes!

Prós

  • Proposta divertida e desafiadora;
  • Músicas no estilo rock, com foco no heavy metal, de alta qualidade;
  • Jogabilidade funciona bem;
  • Ambientação e personagens tem um visual cheio de estilo;
  • Muitas missões e desafios para jogar, além de rankings online e modo editor.

Contras

  • Jogador precisa ser fã de rock;
  • Nível de dificuldade é bastante acentuado.
Double Kick Heroes – PC – Nota: 8.5
Revisão: Emanoelly Rozas
Análise produzida com cópia digital cedida pela Hound Picked Games

é redator de matérias sobre games desde julho de 2016 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.


Disqus
Facebook
Google