Jogamos

Análise: Rival Megagun (Multi) traz duelos no espaço em uma competição dinâmica e divertida

Prepare-se para disputas cheias de emoção entre poderosas naves espaciais.

O gênero de jogos de nave é um dos mais antigos da indústria. Logo, frequentemente temos o lançamento de novos títulos utilizando essa temática clássica. Rival Megagun (Multi) é um game que apresenta combates espaciais divertidos e desafiadores. A grande sacada é a mecânica de duelos, que oferece partidas bastante dinâmicas e competitivas, conforme vamos conferir nesta análise.

Lançamentos e atualizações

Rival Megagun foi lançado originalmente no final de 2018, sendo produzido pela Spacewave Software e publicado pela Degica para PC (via Steam), PlayStation 4, Nintendo Switch e Xbox One. Apesar de bastante interessante, ele ainda carecia de algumas melhorias pontuais. Finalmente, em junho de 2020, o título recebeu uma série de atualizações e modificações, se tornando ainda mais robusto e completo.

A ideia básica do game é a seguinte: o jogador escolhe um personagem com sua espaçonave e deve duelar contra um adversário. Quem ganhar o maior número de rodadas vence, sendo que, além do combate direto entre os participantes, é preciso derrotar monstros e alienígenas. A tela é dividida em duas, permitindo aos participantes ficar de olho no oponente.
Muita ação do início ao fim das partidas
Embora não faça muita diferença para o jogo em si, visto que ele é voltado para as disputas e o combate, o game conta com uma história que justifica as partidas. Num futuro distante, uma invasão de monstros alienígenas dominou os satélites e estações espaciais do planeta. Embora um contra-ataque tenha sido lançado, ele não surtiu o efeito esperado.

Os alienígenas conseguiram copiar a tecnologia das naves e suas armas, tornando-se ainda mais mortais. Depois de muito tempo em “cativeiro”, a Terra cria uma competição, organizada para encontrar um salvador para o planeta. A ideia é colocar os pretendentes para se enfrentar em duelos enquanto combatem os invasores, tal que o sobrevivente seja o maior herói.
A história é meia-boca, mas não chega a fazer falta

Jogabilidade sobre profundidade

Como deve ter ficado claro, o enredo não é o forte de Rival Megagun, servindo apenas como bengala para o modo campanha e os personagens. Falando neles, todos têm alguma temática tradicional, como “jovem impetuoso”, “robô engraçadinho”, “especialista em computador”, “vilão reformado”, etc. Nenhum deles é particularmente ruim, mas tampouco são muito interessantes.
Não espere muita originalidade dos personagens
Logo, a escolha se deve apenas pelo tipo de habilidade de cada um deles. Algumas criam minas explosivas e outras mísseis rastreadores. Elas podem ser ativadas conforme um contador de acertos, que aumenta conforme o jogador acerta inimigos em sequência. Quanto maior o número de acertos, mais fortes os ataques que podem ser disparados em direção ao oponente.

Os monstros e alienígenas, de certa forma, são somente uma fonte de pontos para obter as habilidades e eliminar o adversário. Obviamente, é preciso ficar atento aos monstros e suas ondas de ataques, que aumentam cada vez mais com o passar do tempo. Cada participante só conta com uma vida, perdendo a rodada caso seja atingido duas vezes, por quem quer que seja.
No final da campanha enfrentamos um grande chefe
Tudo isso ocorre de forma dinâmica e divertida. Na realidade, não importa muito o porquê de termos que enfrentar os invasores ou os adversários; o importante mesmo é que o game é muito bom. Claro que história e personagens mais interessantes seriam melhores para o pacote completo, mas no final das contas não comprometem a proposta básica do desafio e diversão.

Quase dois games em um só

Além dos disparos comuns e dos ataques especiais, o jogador conta com uma bomba de emergência. Ela destrói todos os inimigos na tela, assim como os disparos perigosos, sejam dos alienígenas ou do oponente. Finalmente, temos a habilidade Mega; com ela, a partida muda completamente de figura.
Fique atento aos ataques inimigos e nunca pare de atirar!
O jogador que consegue juntar pontos suficientes para ativá-la tem sua nave modificada para uma poderosa máquina voadora gigante, que é transportada para a tela do oponente. Contando com vários ataques especiais, a mega espaçonave ganha uma barra de vida e somente um objetivo: derrotar o inimigo.

Na prática, é quase como se o jogador que ativa a habilidade Mega se tornasse um chefe. A nave modificada conta com novos e poderosos ataques, que novamente dependem do personagem escolhido. Gostei muito dessa mecânica, que realmente faz com que Rival Megagun não seja só mais um “jogo de nave”.
A transformação das naves é a melhor parte das disputas
Creio que algumas coisas poderiam ser melhoradas e expandidas. Mais personagens, ajuste de velocidade, variações estéticas das naves e suas formas Mega e cenários mais variados são alguns exemplos. O jogo já é muito bom, mas tem muito potencial e esses elementos o tornariam ainda melhor.

Desafiador, divertido e bonito

Ao jogar Rival Megagun pela primeira vez, não pude deixar de lembrar do Battle Mode de Guitar Hero. Para quem não sabe (ou lembra), esse modo do jogo musical exige duas habilidades dos jogadores. Além de ter que lidar com as notas da música, é preciso ter atenção aos ataques do oponente, tal qual no jogo de nave.
As partidas começam fáceis, com poucos inimigos


Desviar dos disparos, tanto dos alienígenas quanto do oponente, manter o contador alto para liberar ataques poderosos e, finalmente, atacar com a mega nave é uma ótima experiência. O nível de dificuldade é balanceado, exigindo bons reflexos e coordenação, mas sem deixar de lado a diversão. Toda partida é sempre muito boa.

Conforme jogamos, novas cartas e itens são liberados. As primeiras são colecionáveis interessantes, que contam um pouco mais dos personagens e do mundo onde se passa o jogo. Já os itens podem ser equipados nas naves, conferindo atributos únicos como maior poder de fogo e uma espécie de ímã para atrair itens na tela.
Conforme o tempo passa, espere por desafios cada vez maiores
Tudo isso conta com um visual retrô bonito, com gráficos competentes e design interessantes. Mesmo os menus são bem animados e coloridos. Também destaco a trilha sonora, que é dinâmica assim como as partidas. Não espere nenhuma revolução em ambos os quesitos, mas tudo funciona bem e de forma suave.

Foco no multiplayer prejudicado

Dadas às boas mecânicas do sistema de combate de Rival Megagun, você deve estar pensando: “nossa, então esse game é uma ótima opção multiplayer”. Realmente esse é um raciocínio lógico, pois colocar jogador contra jogador em duelos emocionantes deveria ser uma ótima atração. Infelizmente, as coisas não funcionam tão bem assim.
O game foi lançado até com versões especiais repletas de brindes
Localmente, o título funciona perfeitamente. Como não temos uma grande quantidade de botões para controlar a nave, dois jogadores podem tranquilamente compartilhar um teclado durante as partidas. Lembrando que a utilização de controles, tal como em boa parte dos títulos da Steam, torna tudo ainda mais fácil e divertido.
Os extras ajudam a completar o pacote de Rival Megagun
A questão é o modo online. Tive muitas dificuldades para encontrar oponentes disponíveis para começar as partidas. Pelo menos o game coloca o jogador contra a máquina enquanto ele aguarda (possibilidade adicionada na última grande atualização), o que minimiza o tédio. É uma pena que essas partidas de espera duram mais do que deveriam.

Pronto para o duelo?

Com uma proposta bastante interessante, Rival Megagun (Multi) é um ótimo jogo de nave. O principal objetivo do jogador é enfrentar um rival em meio a uma invasão alienígena, tarefa que exige habilidade e precisão. Embora não seja revolucionário e tenha alguns problemas em seu modo online, o game é divertido e tem um bom nível de dificuldade, contando com bons gráficos, trilha sonora e jogabilidade. Se você é um fã do gênero, então o título é uma boa pedida.
Garantia de muita diversão e emoção

Prós

  • Proposta divertida e com boa dose de desafio;
  • Jogabilidade funcional;
  • Gráficos bonitos, misturando visuais clássicos e modernos;
  • Trilha sonora embala as partidas com qualidade.

Contras

  • Modo história é genérico e nada interessante;
  • Poucos jogadores disponíveis para jogar online.
Rival Megagun – PC/PS4/Switch/XBO – Nota: 7.0
Versão utilizada para análise: PC
 Revisão: José Carlos Alves
Análise produzida com cópia digital cedida pela Degica

é redator de matérias sobre games desde julho de 2016 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.


Disqus
Facebook
Google