Jogamos

Review: GXT 430 Ironn Gaming Headset une segurança e qualidade em um excelente periférico

Novo headset da Trust inova com um design diferenciado e muita potência em seus alto-falantes.



Jogar videogame é um hobby capaz de proporcionar prazer, satisfação e muito aprendizado, independente se o seu foco estiver em passar o tempo de maneira descontraída ou enfrentar um desafio. E todo esse universo de múltiplas experiências está intimamente ligado com as sensações transmitidas pelos jogos. Para extrair o máximo desse potencial, contamos com ferramentas que incrementam o nosso lazer e, tão importante quanto questões visuais e  mecânicas proporcionados por uma boa TV/monitor e controles, está o fator sonoro. Nós do GameBlast tivemos a satisfação de analisar o GXT 430 Ironn Gaming Headset produzido pela empresa Trust.

Segurança e confiabilidade 


O uso do headset se mostra cada vez mais popular entre o público gamer, deixando de ser apenas uma saída para aqueles que não podem arcar com aparelhos de som caros ou possuem limitações locais para volumes elevados. Com tecnologias cada vez mais apuradas e que trazem total concentração e imersão no jogo, esse item passou a ser tão necessário quanto qualquer outro periférico para muitos de vocês.



A Trust entra nesse cenário como uma marca capaz de proporcionar total segurança na hora de escolher o seu headset, afinal de contas, ela está ativa no mercado internacional desde 1983. Estamos falando de uma trajetória de 37 anos de experiência e toda essa reputação se reflete na prática ao oferecer 3 anos de garantia em seus produtos no solo brasileiro por meio de sua parceria com a empresa Softronic. Como muitos de vocês, eu sei que um bom headset requer um investimento considerável e poder contar com a segurança que o seu produto estará coberto por esse período torna-se um fator determinante na hora de escolher o modelo desejado.



Potência de respeito


E não é apenas no pós-venda que o GXT 430 mantém seu brilho. Na prática, o headset esbanja poderio em seus drivers de áudio de 50 mm, colocando-o em um patamar competitivo no mercado. Embora ele não apresente tecnologias como controle do grave ou o efeito surrounding 7.1, isso pode pesar como o aspecto positivo, já que esses atributos é que são considerados como indesejáveis por muitos jogadores por nem sempre o efeito ter um resultado satisfatório. O que mantém o bom e velho som stereo 2.0 como a escolha preferida da maioria. Nos testes técnicos realizados em site especializado em aferir capacidade e qualidade sonora, seus resultados foram satisfatórios:
  • Grave - 20-30 Hz (padrão desejado: 20Hz);
  • Agudo - 19-18 KHz (padrão esperado: 20 KHz);
  • Nivelamento espectral - OK;
  • Alcance dinâmico - 16 dBFS (quanto menor o número, maior o isolamento proporcionado);
  • Testes de posicionamento do som e realismo sonoro responderam perfeitamente. 
Como podemos ver, seus resultados atingiram os níveis esperados ou ao menos ficaram muito próximos em alguns aspectos pontuais. E de fato, ao testar diversos gêneros, com propostas diferentes, tive uma experiência agradável. Em Final Fantasy VII Remake (PS4), durante as batalhas temos uma série de ações acontecendo ao mesmo tempo, cada uma com sua fala e sonoplastia característica. Não houve redução da performance ou perda de qualidade sonora em função do volume elevado. Ao testar Resident Evil 3 Remake (Multi), nos momentos de maior suspense, como o trecho da delegacia e do hospital, o efeito 2.0 foi mais que suficiente para me auxiliar na localização de cada ruído no ambiente.


Conforto e design interessante


Enquanto a maioria dos modelos de headset aposta no tradicional design robusto, com predominância na cor preta e efeitos luminosos chamativos, o GXT 430 inova nesse aspecto por meio da temática metálica característica da linha Ironn Gaming. O tom metalizado traz um charme mais reservado e peculiar que fica ainda mais enfatizado com a presença dos parafusos expostos em ambas as laterais.



Não se engane quanto a sua aparência. Apesar do nome e de seu visual remeterem a algo pesado, o headset pesa apenas 375 gramas, o que é algo bem leve se olharmos para as tendências do mercado com versões cada vez maiores. E essa beleza inusitada vem acompanhada de muito conforto. As almofadas, além de abafarem muito bem o som externo, são bastante confortáveis e isso se estende até a aba superior.


O padrão em muitos modelos de headset é o famoso ajuste lateral a fim de moldá-lo de acordo com o tamanho da cabeça, o GXT 430 possui uma aba automaticamente ajustável. Basta colocar o periférico que ele se molda sozinho por meio de tiras laterais e uma haste limitadora, conforme visto na imagem abaixo. Foram longas horas de testes diários e, mesmo após grandes períodos de uso contínuo, ele não causou qualquer tipo de desconforto, seja nas orelhas, seja na cabeça. 


Chat de qualidade


O microfone é acoplado de forma fixa na estrutura do headset, podendo ser moldado livremente para qualquer direção. Ele não possui tecnologia de redução de eco ou de ruídos externos, mas em compensação traz uma espuma em sua ponta para cuidar, ou ao menos minimizar, esses efeitos indesejáveis. Ela pode ser retirada facilmente, revelando o microfone que apresenta um botão de liga/desliga em sua ponta.


No primeiro teste com o microfone, fizemos uma pequena gravação de áudio que mostrou um resultado positivo. A espuma presente no dispositivo veio a calhar, pois reduz muito bem o barulho de sopro decorrente da nossa própria fala. Já em outro cenário, ao testá-lo no chat em grupo, tive relatos de que a minha voz estava saindo em alto e bom som, mesmo sem apresentar qualquer ajuste para essa finalidade.

Ótima escolha entre custo e benefício


O modelo GXT 430 Ironn Gaming não é a escolha mais barata encontrada no mercado, porém, está longe de ser a mais cara. Em uma pesquisa na internet encontramos ofertas entre R$ 240,00 e até R$ 330,00. Um rápido comparativo pessoal com outros headsets que já utilizei: Pulse Elite 7.1 da Sony e o Turtle Beach XO Four Stealth. O modelo da Trust ficou bem acima do modelo da Sony em termos de qualidade sonora e conforto, mesmo com o Pulse Elite repleto de ajustes e tecnologias de som.



Já em comparação ao modelo da Turtle Beach, a vantagem é ligeiramente superior para a concorrente por ela apresentar a mesma potência sonora, conforto e ainda possuir um controle para balanceamento do áudio entre o chat e o som do jogo. Contudo, é preciso levar em consideração que o modelo da Trust tem um preço mais acessível e ainda traz um cabo extensor de um metro para os computadores que possuem entradas separadas de microfone e de fone de ouvido.



O único aspecto que não considero negativo, mas algo a ficar atento é que as almofadas do GXT 430 são feitas de material sintético. Mesmo com o uso constante durante todos esses dias, elas não me deram indícios de que irão descascar com o tempo, algo muito frequente na maioria dos headset que fazem uso desse material. Por via das dúvidas, fica a recomendação de secar o material após o uso para uma conservação adequada.

Prós


  • Design diferenciado do resto do mercado;
  • Excelente qualidade sonora;
  • Microfone ajustável;
  • Aba com ajuste automático, evitando necessidade de regulagens;
  • Leve e confortável, mesmo após longos períodos de jogatina;
  • Compátivel com diversas plataformas (PC, consoles, tablets e smartphones);
  • Bom custo-benefício.
  • Três anos de garantia;

Contras


  • Material das almofadas é feito de material sintético, podendo descascar com o tempo;
  • Função liga/desliga do microfone fica escondido pela espuma, o que pode atrapalhar durante a partida.
GXT 430 Ironn Gaming - Nota: 9.0
Análise produzida com dispositivo cedido pela Trust Gaming
Revisão: Ives Boitano 


Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google