Blast from the Past

Shinobi III: Return of the Ninja Master (Mega Drive) transforma o jogador num verdadeiro mestre ninja

Relembre um dos principais títulos do saudoso console da SEGA em um dos jogos de ninja mais legais da década de 90.

Em uma época em que ninjas não se resumiam a garotos loiros tagarelas que usam moletom laranja, estes mestres assassinos foram uma verdadeira febre da cultura pop, assim como os vampiros brilhantes do cinema ou os zumbis de alguns filmes e séries de televisão. Shows protagonizados por estes seres da cultura japonesa brilharam durante um bom tempo e se tornaram um ícone pop da última década de 90 em todo o mundo.




Nos games, a cultura dos ninjas também foi cultuada com vários jogos, a maioria pelos principais representantes da categoria, as Tartarugas Ninja. Mas hoje vamos relembrar um jogo que explora melhor o cerne do que realmente significa ser um ninja. Shinobi III: Return of the Ninja Master foi a última entrada da franquia da SEGA no saudoso Mega Drive e mostrou que, mesmo depois de tanto tempo, ainda exige que o jogador se torne um verdadeiro mestre das artes ninjas, pelo menos com um controle na mão.

No auge do Mega Drive

Lançado em 22 de agosto de 1993 na América do Norte, Shinobi III: Return of the Ninja Master é uma sequência direta de The Revenge of the Shinobi, um dos games de lançamento do Mega Drive em 1989. O jogo é do gênero plataforma, com foco na ação e velocidade. Já aproveitando bem mais do hardware do console da SEGA, a equipe de desenvolvimento resolveu tirar um pouco do foco na dificuldade, que era marcante no antecessor, e apostar em um jogo mais ágil e veloz, dando ao jogador mais atenção à ação e às novas habilidades de Joe Musashi.

Um dos pontos que chamou a atenção em Shinobi III foi a saída de Yuzo Koshiro, notório compositor que trabalhou no título de 1989 e nos jogos da série Streets of Rage. Koshiro passou a bola para Hirofumi Murasaki, Morihiko Akiyama e Masayuki Nagao, que juntos conseguiram criar uma trilha sonora que não chega a superar a de Yuzo, mas ainda transmite a identidade mais amadurecida do game, usando bem as características que levam a marca sonora do hardware da SEGA. Confira algumas das excelentes músicas que compõem a trilha de Shinobi III:

He Runs


Idaten

Whirlwind

Graficamente, a diferença entre Shinobi III e seu antecessor é brutal, dado o espaço de tempo entre os dois jogos, que chega a quase 4 anos. Os sprites são mais detalhados e animados, os cenários com maior riqueza em detalhes e os inimigos bem mais característicos, com design mais intimidador. O destaque neste departamento fica para o protagonista Joe Musashi, com um visual mais moderno e animações que enaltecem suas habilidades, tanto as clássicas quanto as novas.

Neo Zeed voltou

Em Shinobi III, a organização criminosa Neo Zeed voltou a aterrorizar o mundo sob o comando de um novo líder, conhecido como Shadow Master. Mestre Musashi, ao perceber que o mal voltou a ameaçar a todos, retorna à ativa para enfrentar o perigo e restabelecer a paz. Armado com suas inseparáveis shurikens e sua fiel katana, o mestre ninja agora conta com novas habilidades a disposição do jogador em uma nova batalha contra as forças do mal.


O característico salto mortal está de volta, permitindo que Joe lance shurikens em um arco de 90o, ainda sendo o mais tradicional dos movimentos ofensivos do mestre ninja. Voadoras, ataques corpo a corpo com sua espada, rasteiras e a capacidade de se defender manualmente também estão à disposição do jogador para dominar e usar à vontade durante a aventura.

Além de estar ofensivamente mais letal, Joe agora também tira vantagem do terreno para se locomover, podendo realizar saltos nas paredes e se pendurar em tetos e demais superfícies horizontais para surpreender inimigos e evitar armadilhas.


Os Ninjutsus, artes especiais ninja de Joe ao empunhar sua katana e esbravejar seu grito, continuam disponíveis para auxiliar o mestre na luta contra a Neo Zeed:
  • Jutsu of Ikazuchi, a arte do trovão: Joe é coberto com um escudo de pura eletricidade, fornecendo uma invencibilidade temporária que suporta até três ataques;
  • Jutsu of Karyu, a arte do dragão de fogo: Joe invoca quatro dragões de fogo que envolvem a tela, causando dano a todos os inimigos;
  • Jutsu of Fushin, a arte do corpo flutuante: Joe reduz consideravelmente o peso de seu corpo, permitindo que ele realize saltos maiores sem dificuldade;
  • Jutsu of Mijin, a arte da partícula: Joe crava sua espada no chão e torna-se um com a Terra, condensando seu corpo e explodindo, causando dano extremamente elevado aos inimigos na tela. Custa uma vida por uso e é a técnica mais poderosa do jogo.
Shinobi III é dividido em 7 fases, cada uma subdividida em 3 etapas, sendo a terceira dedicada ao confronto contra o chefe. Algumas contam com segmentos que deixam de lado a jogabilidade tradicional de plataforma e colocam Joe em situações diferentes, como na segunda fase, onde começamos galopando por uma vasta paisagem enquanto lutamos contra inimigos que surgem voando em pipas gigantes; ou na quarta fase, surfando em altíssima velocidade em uma prancha motorizada.


Outras fases testam as habilidades ninjas de Joe, como a sexta, onde o desafio é escalar uma montanha usando apenas os detritos que estão em queda, ou a última fase, que, mesmo sem inimigos, põe à prova toda a habilidade que absorvemos durante o jogo para atravessar o desafiante segmento final do game antes da batalha decisiva contra Shadow Master.


Os chefes são igualmente desafiadores e com alguns truques para que possamos derrotá-los. Desde demônios samurais até gigantescas aberrações estão na lista de adversários formidáveis no final de cada fase. Completá-las sem receber dano, não utilizando shurikens e sem executar os jutsus premia o jogador com muitos pontos bônus, que são convertidos em vidas para dar sempre uma chance a mais ao jogador.


O game não conta com um sistema de passwords e cada sessão de jogo dá ao jogador três continues. É possível finalizá-lo em cerca de uma hora sem muitos problemas, mas sempre há a possibilidade de elevar a dificuldade nas opções do jogo para se desafiar a cada nova sessão.

A lenda persiste

Shinobi III: Return of the Ninja Master ainda pode ser jogado hoje em todas as plataformas da atualidade mas já foi relançado algumas vezes. Nos consoles da Nintendo, foi disponibilizado no Wii para ser jogado via Virtual Console em 2007 e no Nintendo 3DS recebeu uma versão em 2013 com suporte à tecnologia 3D do portátil.

Atualmente está disponível no PC, integrando a coletânea SEGA Genesis and Mega Drive Collection, no Steam. Os donos de um PS4, Xbox One ou Switch também têm a oportunidade de jogar Shinobi III na coletânea SEGA Genesis Collection, juntamente com outros 52 jogos do Mega Drive. As versões para PC e PS4 contam com suporte a dispositivos VR para uma experiência mais imersiva. E claro, também faz parte da lineup do Sega Genesis Mini, a versão miniaturizada do console da SEGA.


Com isso, deixo um humilde convite a você, leitor, para experimentar esta pérola que é, sem dúvidas, não apenas um dos melhores títulos da biblioteca do Mega Drive, mas também um dos jogos de ninja mais legais da história dos games.

Revisão: Davi Sousa

Tecnólogo em Gestão Ambiental, produtor do BlastCast e sincero até demais. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora jogos multiplayer que causam discórdia e fogo no parquinho. @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google