The Last of Us (PS3): a cena que mudou o rumo da narrativa

De todas as reviravoltas da jornada de Joel e Ellie, existe uma que mudou o significado da narrativa para todos os personagens.



Naughty Dog saiu da sexta geração com saga de Jak para entrar na sétima de cabeça com as aventuras mirabolantes de Nathan Drake em Uncharted: Drake's Fortune (PS3). Os primeiros jogos da série tinham seus pesos dramáticos, mas sempre foram focados nas explosões e saltos impossíveis. Ao final da vida do PlayStation 3, a desenvolvedora separou seu time em dois. Um deles ficou responsável por tentar coisas diferentes, então eles se focaram em sobrevivência, violência, amor, família e sobre o peso da jornada.
The Last of Us (PS3) chegou em 2013 contando uma história pós-apocalíptica na qual um fungo parasita conseguiu se desenvolver ao ponto de dominar pessoas, as tornando violentas e canibais. Joel foi um dos sobreviventes, que após perder tanto com o ocorrido, se tornou frio e distante. Isso mudou quando a garota Ellie entrou em sua vida, e a sua jornada com ela transformou o ódio em algo diferente. Há uma cena, uma conversa, que mudou as coisas, e é sobre ela que vamos falar.

Spoilers à frente.

A carga chamada Ellie

Alguns anos depois do início da calamidade do fungo, Ellie nasceu. Sem conhecer seus pais, ela cresceu indo de um posto militar a outro aos cuidados de Marlene, a atual líder dos Vagalumes, uma milícia anti-governamental que luta contra a tirania e controle do governo, ou do que restou dele. Ellie nunca procurou se rebelar contra o sistema, mas ela conhecia muitas pessoas que iam contra as convenções, e uma delas é Riley, sua melhor amiga.

Em um último encontro de despedida, Riley leva Ellie para passear em um shopping abandonado. Talvez as horas ali tenham sido mais tranquilas e reveladoras para as duas, que com o passar do tempo realizavam jogos, conversavam sobre sua comunidade, os perigos de ser um Vagalume, e a frustração de ficar longe de um amigo. Até aquele ponto era claro que nenhuma das duas queria dizer adeus, principalmente depois que Ellie revela seus verdadeiros sentimos com um beijo, e pede para ela ficar.



Elas sabiam que o mundo era cruel, difícil e até desumano. Mas foi fugindo dos infectados que as duas conheceram a dor e desespero na pele: infelizmente as garotas foram mordidas ao fim dessa jornada. Sem esperanças, foi decidido esperar para enlouquecerem juntas — um fim poético que não aconteceu como esperado.

Ellie, até aquele momento, se via imune do maior mal que atingiu a humanidade. Marlene então tinha que tentar mais uma vez conseguir uma cura para esse problema, quem sabe uma vacina. Então, em troca de muito contrabando de armas, ela conseguiu convencer Tess e Joel a levaram ela para fora da barreira militar e entregá-la para outros membros dos Vagalumes. Ellie não via muita escolha para si nesse momento, ela confiava em sua tutora, e a partir dali tinha que acreditar que dois estranhos poderiam ajudá-la, e até a suprir a nova responsabilidade que tinha, com poucos momentos para respirar e tentar ser criança.


A força chamada Joel

Antes de tudo dar errado, Joel vivia com sua filha Sarah, e tentava manter tudo certo trabalhando com construção. Seu relacionamento dentro de casa é carinhoso, amoroso, e nos poucos minutos que vemos isso é possível sentir a forte conexão entre eles. E é por isso que é tão difícil acompanhar a loucura tomando conta do mundo, e ver em uma cena violenta e triste a pequena Sarah morrer com um tiro. Joel sentiu essa perda como nunca na vida, e isso lhe transformou.



Esse vazio agora é preenchido com ódio, rancor e ressentimento, trazendo a força necessária para que ele e seu irmão, Tommy, sobrevivessem ao caos instalado no mundo, mesmo que isso trouxesse vários pesadelos mais tarde. Em algum ponto do caminho, Tommy tomou um caminho diferente, e Joel conheceu Tess, uma parceira de contrabando. Esse trabalho não exigia compaixão ou mesmo alguma conexão com alguém além de sua sócia, algo que veio a calhar depois de tudo.

Após uma perseguição a um homem que os devia a muito tempo, Marlene os encontram para lhes fazer uma proposta de levar uma carga para fora da cidade, e em troca os Vagalumes entregariam suas armas contrabandeadas. Isso parecia uma boa ideia, até a revelação de que Ellie é a carga. Mas ao aceitar o pedido, eles prosseguem em uma jornada difícil contra o novo mundo, enfrentando infectados e humanos tão terríveis quanto Joel.


A longa jornada

A missão de entregar Ellie tomou outros rumos quando a garota se revelou infectada, mas imune aos efeitos do fungo, algo provado na prática quando Tess é mordida e seus sintomas ficaram consideravelmente piores. Mesmo no desespero, a parceira de Joel o súplica para levar Ellie para o Tommy, antigo membro dos Vagalumes. Ele aceita com relutância, e os dois continuam a jornada, passando pela cidade do Bill para conseguir um carro, conhecendo Henry e Sam, enfrentando infectados, militares, até finalmente chegar a uma antiga usina elétrica.

O relacionamento de Ellie e Joel nesse ponto da história não é dos melhores. Ele tenta não depender dela, e ela procura se provar capaz sempre que pode, até se mostrando uma garota muito leal. Fica claro que existe um singelo respeito pelos seus feitos e força durante a jornada, um reconhecimento que ele não demonstra, pois está sempre focado na missão de manter ela viva e entregar a responsabilidade de protegê-la para outra pessoa.



Na usina elétrica vive Tommy e sua esposa Maria, lideres de uma grande comunidade que está tentando restaurar a eletricidade do local. Joel rapidamente se prontifica em contar o estado de Ellie, e pede para levá-la para os Vagalumes, como também suprimentos para voltar para casa. Essa conversa não vai muito bem, pois seu irmão mais novo não pode simplesmente abandonar seu pessoal e sua esposa em uma jornada tão arriscada.

Depois de um grande problema com saqueadores na usina, Ellie foge com um cavalo até uma casa abandonada em uma fazenda. Tommy e Joel seguem para buscá-la, enfrentando alguns problemas no caminho. E ao finalmente entrar com ela em um quarto que pertencia a alguma menina, começa o diálogo mais significativo para o amadurecimento desse relacionamento.

Ellie sempre tentou criar uma conexão com o Joel, mas ele sempre a afastou, e nessa cena, mostra até de forma infantil como ele usa suas palavras simplesmente para atingi-la, para afastá-la. Ele não foi capaz de proteger Sarah, seu maior amor, lhe fazendo seguir sozinho, afastando tudo e todos que poderiam lhe entregar algo além de raiva e violência. Demorou, mas finalmente as palavras daquela garotinha o atingiram, e ele finalmente conseguiu aceitar ela em sua vida.

A jornada ganhou um clima melhor depois disso, com Joel seguindo atrás dos Vagalumes junto de Ellie. Suas conversas ganharam um sentido diferente, como se fossem amigos dispostos a conhecer de forma íntima seus gostos, sonhos e medos. Não temos muito tempo para apreciar essas conversas tão descontraídas e interessantes, pois depois desse ponto a narrativa leva os dois de volta a crueldade do novo mundo: Joel sai de um combate ferido, e depois de um tempo cuidando dele, Ellie é raptada por canibais.


Tudo por ela

O momento final dessa longa jornada inverte alguns papéis. Ellie, sofreu para vencer seus sequestradores, algo que nem Joel conseguiu consolar. Ela ficou mais distante, pensativa, mesmo com seu amigo tentando abertamente lhe trazer mais para perto, dizendo que vai ensinar ela a tocar violão, por exemplo. Depois de tudo que ela passou, de tudo que fez, não poderia ser em vão, um pensamento que a fez ir até o fim.

Esse novo amor de Joel e a necessidade de proteger Ellie, o fez lutar contra tudo: pessoas boas, ruins e até com a possibilidade de salvar a humanidade nas custas da vida de sua garotinha. Isso gerou algumas mentiras, que ele estava preparado para contar, tudo em troca de sua segurança.



Revisão: Farley Santos

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook