Persona 5 Royal (PS4) e suas principais novidades

Atlus está revisitando Persona 5 depois de anos de seu lançamento, prometendo fazer essa enorme atualização valer a pena.

O Japão conheceu Persona 5 em 2016, quando, depois de muito esperar, o jogo foi lançado para PS3 e PS4, e para o resto do mundo isso aconteceu em 2017. Muito foi elogiado nesse novo título da Atlus: seu design, personagens, enredo e jogabilidade, fazendo dele um enorme sucesso mesmo sendo um título de nicho. Mas, mesmo com o enorme conteúdo presente no título, a desenvolvedora preparou uma grande atualização chamada Persona 5 Royal, trazendo várias novidades na história, mecânicas e exploração.

Como o jogo já estreou no Japão, existem vários spoilers significativos já rolando pela internet a fora. O que não será o caso aqui, podem ficar despreocupados.

Elementos novos em uma velha história

Uma das maiores diferenças na versão Royal com certeza é a adição da personagem Kasumi Yoshizawa, uma nova estudante de cabelos vermelhos que estuda na academia Shujin. Os trailers revelam que ela terá um bom relacionamento com o protagonista, fazendo até algumas brincadeiras com ele. Mas isso não vai ajudá-la a ter bons olhos sobre a filosofia e a metodologia dos Phantom Thieves — felizmente quando ela entrar para o grupo dos ladrões, sua perspectiva pode mudar. Quando a garota se torna uma Phantom Thief, ela adquire a persona Cendrillon, que é baseada nos contos da Cinderela. Além do uso de espadas de esgrimas na luta contra os Shadows, seus outros poderes são incertos, mas é inegável que é ela o motivo de Royal existir, pelo menos, narrativamente.



Takuto Maruki é outro personagem inédito. Após um dos eventos iniciais, ele começa a trabalhar como tutor dos alunos de Shujin. Dentro das mecânicas do jogo, ele é um novo Confidant, o que indica que teremos muito contato com ele durante a nossa jornada. Mas talvez a adição mais misteriosa até o momento seja José, um pequeno menino de cabelos cinza que vive sem memórias no Mementos, o “Palácio” da consciência coletiva da sociedade. Podemos ajudá-lo encontrando selos perdidos pelos túneis do local, e sua existência cria uma nova mecânica de troca de itens dentro dessas dungeons aleatórias.

Para aqueles que conhecem a longa jornada dos Phantom Thieves, sabem que existe um grave problema de gerenciamento de tempo para conseguir conhecer todas as histórias e eventos do jogo. Aqui teremos um semestre novo para conseguirmos ver tudo, além de alguns acontecimentos bizarros. Isso vem junto com as novas formas de interação com os personagens do jogo, como por ligação no celular, fotos no chat e até novos encontros. Será divertido ver como esses personagens vão afetar todo o enredo e suas interações.


Mecanicamente reformulado

Em sua base, mecanicamente Persona 5 se mantém o mesmo. No entanto, a desenvolvedora melhorou alguns pontos em que os jogadores reclamaram bastante e adicionaram novos sistemas para gastar o tempo e adquirir novos itens. Um dos mais chamativos com certeza é o “My Palace”, uma espécie de galeria pessoal onde será possível exibir estátuas, quadros, troféus, musicais, personas, entre outras coisas. Tudo isso poderá ser encontrado, trocado com José ou comprado no próprio Palace usando um dinheiro especial adquirido ao realizar ações específicas na história principal.

O My Palace ainda possui outras mecânicas interessantes, como ser possível participar de jogos de carta com os membros do Phantom Thieves, apostando o dinheiro para comprar mais coisas para sua galeria. Os desenvolvedores ainda deram a oportunidade de trocar de personagem enquanto explora os itens, como Haru, ou mesmo o gato Morgana. E tudo isso poderá ser exibido online para seus amigos.


Falando em novos minigames, Royal adicionou uma área nova para explorarmos, como também um estabelecimento onde podemos interagir com os personagens do título: é possível participar de um jogo de lançamento de dardos ou até mesmo uma partida de bilhar. Já para nos aventurarmos nos Palaces alheios, temos a adição de um grappling hooks, um gancho que dá a possibilidade de alcançar lugares mais altos. Podendo até ser usado para iniciar os combater em vantagem.Infelizmente não vimos se isso poderá ser usado em batalhas ou não. Também já foi revelado que todas as dungeons foram reestruturadas e possuem coisas novas para se fazer, isso impacta também nas ações dos chefes, que sofreram algumas alterações.

Para as lutas contra os Shadows. também temos algumas novidades interessantes: Futaba ganhou um próprio All-Out Attack, assim como Kasumi; foi adicionado um novo modo de ataque chamado showtime, que libera uma cutscene no meio da batalha na qual dois personagens usam ataques combinados; já na Velvet Room, poderemos entrar em uma Challenge Battle, na qual lutaremos contra vários Shadows consecutivos ao troco de várias recompensas interessantes. Além disso, há uma mecânica nova na qual a sala fica vermelha e então podemos realizar fusões de personas mais fortes e com habilidades diferentes.


No novo semestre foi adicionado mais um Palece, com temática mais urbana e minimalista, lembrando algumas misturas de outros Palaces. Pelas imagens não dá pra saber de quem ele é exatamente, mas ele também traz de volta um velho persona chamado Biyarky, sendo a sua última aparição em Persona 2: Eternal Punishment (PS/PSP). Tirando isso, pouco se sabe sobre esse novo lugar.

Feito para a atual geração

Persona 5 foi desenvolvido pensando no PS3, isso fica claro quando vemos que são poucas as diferenças para o PS4: a versão da atual geração tem uma performance mais estável e uma resolução mais alta apenas. Essas poucas nuances já foram o suficiente para essa plataforma ser a preferida entre os jogadores, mesmo ainda tendo aspectos do console passado. Agora com a chegada de Royal, a desenvolvedora conseguiu trazer uma melhoria visual interessante, até fazendo uso do poder extra do PS4 PRO, isso tudo usando do mesmo motor gráfico. Já sua trilha sonora receberá mais de 20 faixas novas.


Quando?

No Japão Persona 5 Royal já  pode ser adquirido, e aqui, do outro lado do globo, vamos recebê-lo em algum momento do primeiro semestre de 2020. Ele virá com opções de vozes do inglês e japonês, e para aqueles que já tem o jogo original, terão que adquiri-lo em seu preço cheio novamente, o que pode decepcionar um pouco. Porém, é inegável a qualidade das adições e melhorias do jogo, o que com certeza já vai valer a pena esse gasto todo, além, dos dois serem uma experiência diferente.

Só pelo fato de que Morgana vai mandar o protagonista ir dormir menos, já é motivo pra fazer a pré-venda.



Revisão: Farley Santos

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook