Jogamos

Análise: Need for Speed Heat (Multi) é um excelente jogo de corrida graças à sua variedade de eventos e opções de personalização de veículos

A Ghost Games faz um trabalho extremamente competente ao mesclar cenários de dia e à noite e ao trazer uma bela variedade de eventos, carros e opções de customização.


Need for Speed Heat (Multi) é o mais novo título da franquia de corrida da Electronic Arts. Desenvolvido pela Ghost Games, Heat consegue trazer uma experiência divertida, variada e com excelentes opções de customizações para os diversos veículos presentes no jogo. Sua história principal é acima da média e seu visual primoroso enriquece a jogatina de qualquer amante de velocidade.

Rachas e corrupção

Ao iniciar o modo campanha, o jogador deve escolher um avatar pré-definido que servirá como protagonista na história de NFS Heat. Curiosamente, tal protagonista é completamente dublado(a), embora não possua nome. É um ponto positivo, visto que tal personagem é ativo na história e interage a todo momento com outros personagens.

Também é possível comprar roupas para a(o) protagonista


A trama, no geral, é bem competente para um jogo de corrida. O jogador começa com o objetivo de correr, ganhar dinheiro e aumentar sua fama para conseguir competir com a equipe de corredores League. Porém Palm City, a cidade costeira fictícia dos Estados Unidos muito semelhante à Miami onde a história se passa, é vigiada por uma equipe de policiais corruptos lideradas pelo Tenente Frank Mercer e fortalecida por seus subordinados, Danny Shaw e Eva Torres.

Quando o carro de Ana Rivera, uma das amigas do personagem principal, é apreendido por Shaw, o objetivo principal fica por conta de descobrir o paradeiro do veículo. Conforme a história avança, o jogador é apresentado de forma mais ávida à perversidade e corrupção presentes no Departamento de Polícia de Palm City. Ainda que os personagens “bonzinhos” cumpram bem o seu papel, o destaque fica por conta dos vilões. É completamente possível odiar a presença de Mercer e Shaw, babacas como nenhum outro personagem em jogos da franquia.

Algo que incomoda bastante durante a aventura é a repetição de conversas entre os personagens e o(a) protagonista. Além da repetição, certas situações criam incongruências na história, como quando o irmão de Ana, Lucas, pergunta se o(a) protagonista a viu e ele(a) responde que não, indagando se Ana deu um sumiço. Alguns minutos depois, a mesma conversa acontece novamente. E então Ana aparece e a história principal segue em frente. O que acontece depois? Lucas liga e repete toda a conversa, mesmo ele tendo acabado de ver a irmã na cutscene anterior. A variedade de conversas é baixa, no geral. Agregaria mais valor ao título ter maiores possibilidades de opções de interação entre personagens.

Correndo dia e noite

A história principal ocorre em dois períodos distintos: dia e noite. De dia, Palm City é preenchida por eventos oficiais de automobilismo, com diversos circuitos fechados, corridas cronometradas e locais para drift espalhados pela cidade. À noite, a clandestinidade dos rachas se torna presente e os corredores dividem espaço com viaturas policiais prontas para intercepta-los a todo custo.

Dia e noite não são apenas uma opção estética em Heat. Cada período difere, principalmente, nas recompensas dadas ao jogador ao concluir os eventos pela cidade. O período diurno concede dinheiro para o jogador, enquanto o noturno oferece Reputação como prêmio. É uma excelente maneira de balancear atividades em diferentes “cenários”.  Além disso, o jogo conta com uma grande variedade de eventos em percursos variados e divertidos. Destaque para as corridas contra o tempo, que oferecem rotas bastante únicas



Reputação (REP) é o nível geral do jogador. Quanto maior a Reputação, mais carros e peças de customização de desempenho são liberados para aquisição com o dinheiro ganho no game. Todo evento concluído à noite gera pontos de REP, e quanto maior for o nível de procurado do jogador (1 a 5), maior é o multiplicador de pontos. Para registrar os pontos, o jogador deve estar fora de perseguição policial e entrar em um esconderijo para encerrar a noite e resetar o nível de procurado.

Como parte do título, ser perseguido por policiais pode ser um desafio e tanto para qualquer jogador que encare o título. A inteligência artificial é implacável e agressiva. Em níveis mais altos, os policiais atacam com carros ainda mais fortes e velozes, minando a “saúde” do carro do jogador com extrema facilidade. A sensação que fica é que a I.A. é eficiente um pouquinho acima do ideal. Mesmo com carros velozes, o jogador pode ter dificuldade de escapar das viaturas por conta do rubberbanding utilizado no título (isto é, os carros dos policiais estão quase sempre alcançando o do jogador).



Personalizando o possante

Customizar um carro é praticamente parte fundamental do DNA de Need for Speed. Em Heat não é diferente, e as possibilidades de personalização são inúmeras. O dinheiro ganho nas corridas pode ser usado tanto na aquisição de peças de desempenho, que não apenas melhoram as características do veículo, mas também podem alterar sua performance em diferentes tipos de terrenos e funções (como pista, drift, estrada e off-road).

Terrenos diferentes exigem adaptação de pneus e outras modificações para serem vencidos


O progresso em Heat funciona por meio de novas peças de desempenho nos carros. Conforme o jogador progride, novos eventos são desbloqueados e existe a chance de eles exigirem níveis de potência geral mais altos que o carro atual do jogador. Basta adquirir e equipar novas peças para subir o nível geral de performance dos veículos.

Para dar personalidade aos carros, é possível comprar novas peças visuais e modificar a aparência dos carangos de acordo com o gosto pessoal, alterando itens como saias laterais, pára-choques, retrovisores e capô. Como toque final, é possível escolher entre diversas cores e opções de adesivos e decalques e deixar o artista interior aflorar. Caso o jogador queira algo mais prático, pode utilizar a opção de baixar visuais feitos pela comunidade do jogo e aplicá-los diretamente em seus veículos.



O grande mérito de Heat, nesse aspecto de customizações, é se afastar da mecânica de loot boxes de seu antecessor, Need for Speed Payback (Multi). O jogador é recompensado de forma justa por completar eventos diversos, coletar colecionáveis por Palm City e subir seu nível de Reputação. Nada em Heat depende de sorte. Basta jogar, explorar e vencer.

Bug for Speed 

Minha experiência com Heat foi… difícil, por assim dizer. Quando funcionava, sua variedade de eventos e controles responsivos e fáceis me divertiam bastante. O grande problema fica por conta de problemas que simplesmente não deveriam estar presentes.

O problema em maior evidência fica por conta de congelamentos de tela  e crashes que fechavam o jogo automaticamente. Essas interrupções aconteceram basicamente em eventos à noite, forçando-me a reiniciar o jogo e recomeçar minha busca por pontos de Reputação. Por serem problemas frequentes, foi preciso entrar em contato com a Electronic Arts, distribuidora do jogo, para dar feedback e buscar uma solução. Curiosamente, a solução oferecida pelo perfil de ajuda da distribuidora no Twitter foi retirar todas as opções de customização dos meus veículos, visto que isso teria ajudado diversos outros jogadores a progredirem no jogo.

Embora a solução oferecida tenha ajudado em minhas jogatinas, ela torna inutilizável um dos principais componentes do título, que é sua customização visual de carros. Isso é inadmissível, e espera-se que a desenvolvedora do título (Ghost Games) corrija o problema o mais rápido possível. (Atualização: um pacote de correções foi disponibilizado nesta quinta, 21 de novembro, em todas as plataformas, no intuito de corrigir o problema de congelamento de tela ao utilizar veículos customizados).

Visualmente, o jogo é maravilhoso, com destaque para os cenários durante a noite, repletos de neon e muito azul e rosa brilhando pelos circuitos. O visual dos carros é riquíssimo, e cada modelo parece quase atingir um nível fotorrealista. A cidade de Palm City, embora vistosa, parece meio “morta” na maioria do tempo. O tráfego é mínimo e a presença de pedestres é basicamente nula. Prejudica de forma mínima a imersão, mas é válido notar pois é um quesito que piorou com relação ao título anterior.



Um NFS à altura de qualquer outro da série

Need for Speed Heat (Multi) finalmente coloca a franquia nos trilhos. Visual impecável, sistema de corridas de dia e à noite e controles responsivos e simples fazem deste Need for Speed uma experiência tão agradável quanto os melhores títulos lançados na franquia. Infelizmente, durante meu período de análise, contava com um bug que praticamente inutilizava um de seus maiores charmes, que é a customização visual de veículos. Felizmente é um problema já corrigido, o que torna o título ainda mais recomendado.

Prós

  • Sistema de eventos diferentes de dia e de noite;
  • Amplas possibilidades de personalização, tanto de desempenho quanto visual;
  • Dirigibilidade simples, gostosa e divertida;
  • Grande variedade de carros;
  • Ausência de microtransações;
  • Visuais belíssimos, especialmente pela estética com neons à noite.

Contras

  • Inteligência artificial dos policiais parece agressiva e implacável um pouco acima do ideal.
Need for Speed Heat — PS4/XBO/PC — Nota: 8.5
Versão utilizada para análise: Xbox One
Revisão: Farley Santos
Análise produzida com cópia digital gentilmente cedida pela EA 

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook