BGS 2019: Conheça a equipe campeã da Brasil Game Jam 2019

Com o jogo Valiant Warrior, estudantes da Anhembi Morumbi receberam um cartão pré-pago do Banco do Brasil no valor de R$ 6 mil e estágio de um mês na Skullfish Studios.

Com apoio do Banco do Brasil, a Brasil Game Show (BGS) realizou a BGS Jam 2019, principal competição nacional para descoberta de novos talentos no desenvolvimento de jogos digitais.  Durante a Jam, dez equipes com três estudantes universitários trabalham 48 horas seguidas para desenvolver um projeto de jogo baseado em um tema anunciado apenas no início do desafio. Após o fim desses dois dias, o trabalho de cada equipe é disponibilizado para que o público da feira experimente e possa eleger seu favorito.


Na edição deste ano, o objetivo da competição era criar um jogo com a mecânica “Seek and Find” (procurar e achar) e a equipe que melhor desenvolvesse essa proposta seria premiada com um cartão pré-pago do Banco do Brasil, com crédito de R$ 6 mil; Clube de Benefícios Banco do Brasil – que inclui descontos em produtos Banco do Brasil; e estágio, com um mês de duração, na desenvolvedora de games Skullfish Studios.

As equipes que participaram do desafio foram: DisgustedDuck (Impacta – SP), Parrot King Games (SENAC – SP), Dinossour Games (SENAC – São José do Rio Preto), Really Long Birds (FATEC AMERICANA), Duas Batatas e uma Couve-flor (USP São Carlos), Black Hole Studios (Anhembi Morumbi), Big Three Games (FGV – RJ), Cyan Aurora (UNESP – Araçatuba/Presidente Prudente), Beep Boop Games (PUCPR – Universidade Positivo – Curitiba) e Runaway with Jam (USP – São Carlos).

Após as 18h do último dia de BGS foram contabilizados mais de 2 mil votos do público que jogou os projetos desenvolvidos pelos universitários e, com o jogo Valiant Warrior, a equipe Black Hole Studios (Anhembi Morumbi) foi a vencedora do desafio. O time contava com Camila Mori (responsável pelo cenário, logo e interface), Danilo Almeida (responsável pela animação e arte dos personagens) e Pedro Villari (responsável pela programação). Em entrevista para o GameBlast, eles disseram sobre como foi o processo de inspiração e produção do jogo:
“A mecânica proposta pelo Banco do Brasil foi a ‘Seek and Find’ (procurar e achar) e para criar o jogo a gente queria fazer algo que juntasse várias funções que as pessoas gostam. A ideia que tivemos foi desenvolver um jogo de tiro no estilo Tower Defense de temática medieval em que o protagonista fosse um arqueiro que está defendendo a torre de uma invasão. Para combinar com o mecanismo de procurar e achar, primeiro você encontrava o inimigo, que estava escondido, e atirava. O que é um diferencial muito grande dentro desse estilo de jogo. E produzir o Valiant Warrior foi muito cansativo, mas também muito legal e gratificante, pois estávamos produzindo algo que realmente estávamos gostando de fazer” .
Equipe Black Hole Studios: Danilo Almeida, Camila Mori e Pedro Villari (esquerda para direita)
A equipe disse que já participou de outras competições do gênero, porém na BGS Jam foi onde mais se divertiram. Eles contaram que apesar de haver total dedicação durante o desenvolvimento do jogo, a Jam foi marcada pelo apoio de todos os participantes.
“Nós já participamos de Jam antes, mas nunca em uma como essa. Na verdade, essa foi a competição que a gente mais curtiu. Pode ter sido um trabalho muito desgastante, mas todo o processo foi muito divertido porque queríamos criar algo que todo mundo gostasse. E, por mais que fosse uma competição, todas as equipes se ajudaram muito. A gente parava para ver os jogos dos outros e conversar sobre a faculdade. Às vezes virávamos a noite batendo papo e rindo, até dividimos comida (risos). Foi uma experiência incrível!”.

 Colaboração: Felippe Miorim e Lucca Torres 

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook