Jogamos

Análise: The Ninja Saviors: Return of the Warriors (PS4/Switch) é uma ótima pedida para quem quer um desafio clássico

Com visual repaginado, título mostra que os beat'em ups ainda podem ser divertidos, mas peca pela simplicidade do material original.

Em meados de 1987, a produtora japonesa Taito lançou o beat'em up The Ninja Warriors, em que o jogador podia escolher entre dois ciborgues para combater as forças do tirano Banglar. Sua premissa simples, e bastante comum para a época, gerou uma continuação nomeada The Ninja Warriors: Again, para o SNES em 1994. Seu sucesso foi tão grande na época que as equipes da NatsumeAtari Inc. e Tengo Project decidiram fazer um remake do título. Assim nasceu, 25 anos depois, The Ninja Saviors: Return of the Warriors (PS4/Switch).

Sem refresco

Em Ninja Saviors, a progressão é simples. O jogador deve escolher seu personagem, atravessar os oito estágios combatendo hordas de inimigos e derrotando os chefes ao final de cada uma. Se na versão original estavam disponíveis três personagens, Ninja, Kamaitachi e Kunoichi, agora temos disponíveis mais dois desbloqueáveis, Yaksha e Raiden. Todos com seus ataques e atributos característicos. Por mais que os comandos dos beat'em ups sejam "gerais", o jogo não possui um tutorial. Tudo é descoberto na marra, inclusive o uso dos especiais, o que pode assustar bastante os jogadores novatos.

Outro fator bastante típico é a dificuldade "sangue nos olhos". Quem se aventurava com esse tipo de título, nos anos 1980 e 1990, já estava acostumado a pegar tudo na base da tentativa, erro, repetição e ódio. O jogo só conta com um modo médio, um difícil e um em que pode-se jogar cada fase separadamente, ao melhor estilo Time Attack. Tudo bastante simples, só que o jogador só possui uma vida. Caso ele morra, é fim de jogo na hora. Pode-se retornar no meio do estágio, mas com isso seu tempo de conclusão deixa de ser registrado.

Mas já acabou?

Como explicado acima, o jogo se mantém fiel ao conteúdo original. Isto poderia ser considerado um aspecto totalmente positivo se não fosse tão curto. Uma corrida sem mortes em qualquer um dos dos níveis de dificuldade demora cerca de uma hora. Depois disso não existe mais nada para ser explorado. Sendo assim, poderia ser incluído um pequeno tutorial ou uma dificuldade mais branda para quem não tem tanta intimidade assim com o ritmo da aventura.

Não seria ruim também adicionar pelo menos um modo galeria, para que os fãs mais fervorosos pudessem conferir as artes e conceitos descartados, ou até mesmo publicidades da época. Outros diversos títulos e coletâneas, como a SNK 40th Anniversary Collection (PS4/Switch) e a Arcade Classics Anniversary Collection (Multi), podem não ter melhorado visuais e trilha sonora dos seus ports, mas capricharam no que diz respeito a material ilustrado. Os adoradores da saga dos ciborgues ninjas mereciam esse agrado.

Outra adição que seria interessante é a de um multiplayer em rede. Caso o jogador queira compartilhar sua jornada, só é possível de maneira local e com apenas mais um amigo. A única interação online disponível é a possibilidade de registrar os melhores tempos obtidos em cada estágio em um ranking global. 

Uma boa ideia, mas pode melhorar

The Ninja Saviors: The Return of the Warriors é uma ode aos clássicos da época dourada dos arcades. A união do estilo 16-bits com visual repaginado e trilha sonora remasterizada mostra que um gênero considerado antigo pode sim voltar aos holofotes. Tudo isso sem precisar de muitas firulas ou enfeites, para os amantes de um jogo simples. Porém, a sua duração curta talvez se torne um empecilho para criar empatia com as novas gerações. Outro ponto relevante é que a versão digital do jogo só está disponível nas lojas virtuais estrangeiras (americanas, europeias e asiática), o que também afeta o seu alcance com um público mais variado.

Prós

  • União muito bem feita de visual nostálgico redesenhado com trilha sonora remasterizada;
  • O jogo é fiel ao seu conteúdo original, sem inventar novas fases, o que descaracterizaria sua essência. A adição dos personagens extras também é muito bem vinda;
  • Possibilidade de registrar os melhores tempos em um ranking mundial.

Contras

  • Falta de um material extra, como uma galeria;
  • Descobrir os movimentos especiais ao longo do jogo pode dificultar as coisas;
  • Falta de um multiplayer online;
  • Disponibilidade restrita às lojas virtuais estrangeiras;
  • Não é um título indicado para jogadores que querem um primeiro beat'em up.
The Ninja Saviors: The Return of the Warriors — PS4/Switch — Nota: 7.0
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: Mariana Mussi S. Infanti
Análise feita com cópia digital cedida pela ININ Games

é pai do próximo Batman, tio de uma princesa e viúva da Sega. Só sabe jogar títulos de luta, se mata frequentemente em FPS e adora uma velharia (que todo mundo agora gosta de chamar de retrô). Ah, ele está esperando até agora pelo Ridge Racer dessa geração também.

Comentários

Google
Disqus
Facebook