Perfil

Direto de Persona 5 (PS3/PS4), conheça Makoto, a Rainha dos Phantom Thieves

Makoto consegue subverter de forma muito interessante as nossas expectativas sobre ela, isso é Persona 5.



A ramificação da série Megami Tensei sempre foi reconhecida por seus personagens marcantes e bem desenvolvidos, isso inclui o quinto título do Spin Off, Persona. Nesse Perfil, vamos analisar Madoka, uma das integrantes do grupo Phantom Thieves, responsáveis por levarem pessoas corruptas a justiça, roubando seus corações. Fiquem avisados que logo a frente haverão alguns spoilers.

A responsabilidade contra o que é certo


Makoto Niijima nos é apresentada no primeiro arco da história. Logo é possível notar que ela é uma ótima aluna e por isso está ocupando o cargo de presidente do conselho estudantil da Academia Shujin. Mesmo assim, ela não é muito popular entre os estudantes, e fica claro o motivo: ela não fez algo para parar os abusos do Kamoshida. Isso fez com que ela fosse vista como alguém egoísta o suficiente para ver a dor de seus colegas só para ganhar uma carta de recomendação, e seguir para uma faculdade.



Criada pela sua irmã, Sae, a investigadora no caso dos Phantom Thieves, desde muito novasempre tomou para si a responsabilidade de se esforçar, para que sua irmã mais velha, no futuro, não precisa-se ter tanto trabalho para cuidar das coisas. Esse esforço lhe rendeu um cargo teoricamente importante dentro da academia, mas que na verdade possui poder nenhum, apenas servindo para a glorificação pessoal do diretor Kobayakawa. Isso lhe deixou impotente perante os crimes de Kamoshida, mesmo querendo muito fazer algo.

Depois do sucesso da primeira missão contra o Kamoshida a mando os Phantom Thieves, com ele confessando todos os seus crimes, o diretor da escola pede para Makoto investigar os estudantes da academia, e identificar se algum deles pertence a esse grupo. Ela fica então de olho no nosso protagonista, junto a Ryuji e Ann, até finalmente ouvir uma confirmação escondida de que eles eram as pessoas envolvidas no súbita mudança do professor.



Ela usa essa informação para provar um ponto para si mesma, de que a justiça dos Phantom Thieves era boa, e ao invés de contar para o diretor, Makoto pede para elas mudarem mais uma pessoa, em troca do seu silêncio. Ann no primeiro momento detesta a ideia, já que ela acredita nos rumores sobre seu egoísmo. Mesmo assim, eles iniciam uma missão contra um mafioso, que extorquia estudantes pela região da academia, de nome Kaneshiro.

Antes de sair para a missão, Makoto expressou sua opinião a favor dos Phantom Thieves a sua irmã, que logo a reprimiu, e no calor do momento disse que ela era um fardo. Isso se repetiu quando ela se viu inútil mais uma vez perante os perigos do palácio do mafioso no Metaverso. Quando foi provocada pelas palavras grotescas da versão do coração do Kaneshiro, dizendo que ele ia extorquir a irmã dela também, sua persona é despertada, uma moto chamada Johanna.


Johanna, a chance para lutar

Johanna foi baseado em contos antigos da Joana, uma mulher que se fingiu de homem e chegou ao cargo mais alto da igreja Católica, sendo essa a primeira, e única, mulher a ocupar o cargo. Mesmo que não existam provas de que essa história realmente aconteceu, elas contam que ela era uma moça talentosa e muito inteligente, e foi descoberta quando deu a luz a uma criança.

Esse é um belo paralelo a Makoto, que sempre quis ter a coragem necessária para alcançar até então o inalcançável, e foi isso que ela conquistou quando finalmente aceitou trilhar seu próprio senso de justiça junto aos seus novos amigos dos Phantom Thieves. Seu design de motocicleta também indica isso, já que esse tipo de veículo foi predominante usado por homens por muito tempo, assim como Joana fez ao se tornar papa.

Agora com roupas de couro, Tekkos em seus punhos e os poderes do Persona, ela finalmente tem a chance de lutar, e de se provar como alguém capaz. Johanna lhe permite usar magias de cunho nucleares e de cura, além de golpes físicos onde a Makoto a pilota. Para as batalhas corpo a corpo, ela usa a arte marcial aikido contra os Shadows. Em níveis mais avançados essa se torna uma aliada extremamente poderosa.


Ainda uma garota

Mesmo com toda responsabilidade educacional, e com os próprios Phantom Thieves, ela ainda é uma garota, que gosta de filmes de ação com violência e não se importa com moda, apenas ao ponto de usar uma faixa em seu cabelo. Ela é uma menina gentil, inteligente e esforçada, mas mesmo assim, ainda pode ser mandona, hipócrita e até inconsequente com seus ações. Isso tudo nada a impede de morrer de medo de histórias de fantasmas, dando algumas brechas a Futaba Sakura para algumas brincadeiras quando a isso.



Makoto com certeza é uma das melhores personagens desse título, desde seu desenvolvimento até nas batalhas, fez valer a penas manter ela na minha party por mais de 80 horas de jogatina. Lembrando que é possível se relacionar com ela, a ponto de conseguirmos namorar com ela e as conversas são bem legais.

Persona 5 foi lançado a alguns anos, mas ele possui o carinho de muitos fãs até hoje. Então vale a pena se preparar para o Persona 5 Royal (PS4), uma nova versão desse RPG, inserindo uma nova personagem, novos conteúdos, e um período inteiro do ano letivo para explorarmos. Então fiquem ligados no GameBlast para saber mais.



Revisão: Henrique Moreno

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook