Future Blast

MediEvil 3: O que esperar em uma nova jornada de Sir Daniel?

MediEvil não é lembrado como uma obra-prima, mas mesmo assim, possui o carinho dos seus muitos fãs a ponto de uma nova jornada de Sir Daniel ser muito antecipada.



A franquia MediEvil há muito não aparecia nos consoles da Sony, e a recepção mista do último título da série, o remake Resurrection do PSP, pode ter sido o culpado. Mas neste ano de 2019, esse cenário vai mudar, com mais uma reimaginação do game original chegando para o PS4 em outubro. Com essa nova atenção sobre a jornada do Sir Daniel, os fãs anseiam pela possibilidade de um sonhado MediEvil 3.

O que é MediEvil?

A franquia começou em 1998 com o lançamento de MediEvil, continuando em 2000 com a chegada do MediEvil 2, ambos para o primeiro PlayStation, desenvolvidos pela SCE Studios Cambridge. Eles misturam o estilo cartunesco e bizarro do cineasta Tim Burton, com mecânicas de hack and slash, fases de plataforma e puzzles. Sendo possível usar de espadas, escudos, martelos, e até algumas armas a distância, como raios, facas, armas de fogo (no segundo título), seu próprio braço para acabar com zumbis e demônios no caminho. Esse humor está presente em toda a jogatina, desde o seu gameplay até os textos dos NPCs, que encontramos no mapa.



Nessa jornada assumimos o papel do Sir Daniel Fortesque, que comandou um exército contra o mago Zarok, que deseja conquistar Gallowmere com seu exército zumbi, mas esse general covarde morreu atingido pela primeira flecha da batalha. Por um equívoco, o covarde Dan foi declarado herói pelo rei em 1286. Um século se passa e o antigo inimigo derrotado está de volta, usando sua necromancia para reviver os mortos e controlar as pessoas do reino. Felizmente nesse processo Daniel desperta, ganhando mais uma chance de se redimir e subir para o Hall of Heroes ao lado de todos os mais bravos guerreiros de Gallowmere.

A segunda jornada acontece 500 anos depois do primeiro, em 1886 e se passa em uma Europa vitoriana. Sir Daniel desperta em um museu e descobre que o mago Palethorn, está usando do antigo livro do Zarok para obter poder e ser capaz de dominar a mente das pessoas e ressuscitar os mortos, por isso sua aparência de duende vermelho. Agora nosso protagonista deve acabar com seus planos e recuperar as páginas do livro junto aos seus novos aliados, um professor e uma princesa de um passado distante.

MediEvil não é um sinônimo de qualidade, mas com certeza possui carisma o suficiente para se fazer merecedor dos fãs que tem. Isso inclui o desejo de uma continuação das desventuras de Sir Daniel.


Em um passado não tão distante

A ideia de um MediEvil 3 já foi cogitada antes, infelizmente, nunca saindo do papel. Mas podemos imaginar algumas ideias de enredo para ele, já que o final do 2 tem um enorme gancho para novas histórias:
  • Começamos com a possibilidade de que ele aconteça logo depois do final do 2 (Alguns spoilers  à frente), onde vemos uma criatura com o rosto do Palethorn atacar Dan e Kiya. O jogo pode iniciar nesse combate, e depois de algumas reviravoltas, mostrar ele fugindo levando a nossa companheira múmia junto. A premissa seria então sair ao seu resgate, passando por mais fases, NCPs e até lutando contra a magia de Zarok novamente;
  • É possível ele começar algum tempo depois desses eventos, talvez indicando que Dan venceu a criatura, e junto a Kiya, foram descansar. Ele despertaria novamente, quando um novo inimigo surgisse: como mais um mago, ou cientista louco, querendo a conquista de Gallowmere, ou por que não, vingança contra os atos heroicos do nosso protagonista;
  • Outra possibilidade é contar algumas aventuras que Dan pode ter tido no Hall of Heroes, antes mesmo do segundo título começar. Assim aprofundando os heróis que lá estão, e seu relacionamento com o nosso protagonista. Talvez eles resolvam problemas de outros lugares, ou ajudam novos guerreiros a subir no Hall.
Independente do enredo, imagino que eles continuariam a usar a comédia e criaturas bizarras para compor o título, além dos mapas góticos, puzzles e armas.

Um mundo maior

Se analisarmos bem, o primeiro MediEvil era separado em fases, mas a forma como selecionamos cada uma delas nos remete a uma viagem, como em vários jogos no Mario. Já o segundo título, essa função fica numa sala do museu em que despertamos, e a selecionamos como acontece no Crash Bandicoot. E para a próxima jornada de Dan, é possível imaginar algumas escolhas bem interessantes:
  • Semi mundo aberto - áreas extensas estão na moda, e talvez MediEvil se encaixe bem nesses moldes, já que os seus mapas lineares possuíam certo grau de exploração, como prédios, florestas, entre outros caminhos mais secretos. Expandir isso utilizando a ideia de pequenos mundos abertos, como aconteceu em Kingdom Hearts III (PS4/XBO) seria interessante de se ver, principalmente dentro da identidade artística que é MediEvil;
  • Mundo aberto - Já que falamos de pequenos mundos abertos, outra ideia que, se bem desenvolvida, funcionaria bem, é ter uma Gallowmere completamente explorável, com mais NPCs, áreas secretas, e até abrindo espaço para algumas missões secundárias, claro, dependendo da narrativa central da trama.

Tecnicamente bizarro

É fácil ver o quanto os três títulos da série são variados em armas, fases, puzzles e até em inimigos. E para um terceiro game, imagino isso de volta, trazendo mais densidade  a esses elementos tão legais. Diminuir o número de armas, para acrescentar mais mecânicas, como de combo, ou, se o mapa for mundo aberto, o preencher com objetivos mais inteligentes, que girem em torno da trama, ao invés de mais um ponto no mapa.

A bizarrice sempre andou junto com MediEvil, para confirmar isso é só olhar nosso protagonista e as fases ao redor na nova reimaginação para o PS4. Trazer isso e novos modelos para geração mais moderna pode ser muito interessante, fugindo do realismo, mas mantendo certos elementos bonitos, como o fogo, e trazer estranheza em outros, como são os design dos inimigos que encontramos nos jogos anteriores. Manter essa essência seria a peça chave para essa nova jornada, além das ótimas músicas, claro.


Quando?

Os fãs estão esperando por esse título há quase 20 anos, e a ansiedade só aumenta com a nova reimaginação chegando para os donos de PS4 no dia 25 de outubro. Infelizmente, talvez demore vermos algo completamente inédito da série, já que com o possível sucesso do retorno do Sir Dan, eles comecem a refazer o segundo game. Aumentando o “talvez”, deixando o futuro de MediEvil bem incerto.

Para acalmar os ânimos teremos o lançamentos de algumas novas aventuras de Dan em formato de HQ, chamada MediEvil: Fate's Arrow, que inclui o enredo não utilizado do cancelado MediEvil 3. Com lançamento marcado para o dia 29 de outubro deste ano. E para novas informações e curiosidades deste mundo bizarro, não deixam de acompanhar o GameBlast.


Revisão: Henrique Moreno

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook