Jogamos

Análise: Blazing Chrome (Multi) traz muita ação com alta qualidade do começo ao fim

Derrote um maligno exército de máquinas neste game divertido e desafiador.

Games podem apresentar grandes revoluções e inovações na indústria. Por outro lado, é sempre interessante experimentar um título mais simples que, ao invés de tentar reinventar a roda, busca torná-la ainda melhor. Blazing Chrome (Multi) é um bom exemplo, pois ele se inspira em dois grandes representantes do seu gênero para entregar uma ótima experiência. Nessa análise, vamos conferir tudo sobre esse jogo desafiador e divertido.

Se apoiando nos ombros de gigantes

Títulos do tipo run and gun estão entre os mais clássicos da indústria. Eles consistem em uma mistura dos gêneros shoot ‘em up e aventura, onde os personagens devem atirar em inimigos enquanto avançam pelo cenário. Esse tipo de jogo ficou famoso principalmente nas suas versões em duas dimensões.

Dois ótimos exemplos de run and gun tradicionais, no melhor estilo side scrolling, são as séries Contra e Metal Slug. A maioria dos títulos de cada uma dessas franquias apresenta uma proposta simples: progredir por um cenário cheio de plataformas e, principalmente, inimigos, utilizando todo tipo de armas e equipamentos.
Dois grandes clássicos do mundo dos games
Utilizando essa proposta, Blazing Chrome (Multi) reúne elementos de ambas as franquias e adiciona vários recursos próprios para criar uma moderna aventura clássica. O game foi produzido pela JoyMasher, empresa fundada por desenvolvedores brasileiros que tem como foco produzir “bons e velhos jogos para jogadores modernos”.
Blazing Chrome é pura ação
E realmente é essa a atmosfera que o título passa, pois apesar do visual e das mecânicas mais tradicionais, tudo é muito bem acabado e planejado. Certamente consoles mais antigos teriam dificuldade para apresentar tudo que ele pode entregar, pois a bela produção roda com suavidade e responde muito bem. O game foi lançado em 11 de julho de 2019 com versões para PS4, Xbox One, PC e Switch.

Vários jogos modernos, inclusive, estão utilizando uma pegada mais retrô. A própria JoyMasher é conhecida por ter trazido outros dois títulos com essa proposta chamados Odallus: The Dark Call (Multi) e Oniken (Multi). O termo pixel art hoje é bastante comum, se referindo justamente a esse visual antigo “pixelado”.
Temos até fases em "três dimensões"

O clássico “Humanos contra Máquinas”

A história do jogo é de certa forma bastante tradicional. No ano de 21XX, um exército de robôs tomou o controle do planeta. Enquanto tentam sobreviver, um grupo de humanos rebeldes descobre a localização de uma grande usina de energia das malignas máquinas. Mas antes de poderem criar algum plano, eles sofrem um ataque.

Somente um pequeno time consegue sobreviver. Mesmo debilitados, eles resolvem utilizar sua descoberta e lançar seu próprio ataque, dando início ao jogo que é dividido em 6 fases distintas. Inicialmente, podemos escolher entre Mavra, uma valente guerreira da resistência, e Doyle, um robô reprogramado pelos humanos.
A equipe completa (esq. para dir.): Raijin, Mavra, Doyle e Suhaila
Ao completarmos o jogo, liberamos mais dois personagens chamados de Suhaila, uma soldada com braço robótico, e Raijin, um habilidoso ninja. Mas ao contrário dos iniciais, eles não têm acesso a armas, podendo somente utilizar golpes de curta e média distância. Perfeitos para quem curte uma dose extra de desafio.

A temática clássica do futuro pós-apocalíptico das máquinas funciona muito bem, oferecendo vários elementos incríveis dentro do jogo. Temos acesso a veículos tecnológicos, armaduras cheias de recursos, armas especiais e vários inimigos diferentes. E eles não se limitam a amontoados de parafusos, pois também enfrentamos aranhas monstruosas, androides espadachins, entre outros.
Os chefes exigem habilidade e estratégia
O game apresenta uma estrutura produzida com temática retrô, possuindo visual 16 bits no melhor estilo dos jogos de Super Nintendo. Mas Blazing Chrome não utilizou essa proposta como uma “desculpa” para apresentar gráficos limitados; pelo contrário, é possível ver o esmero em detalhes como efeitos de reflexo e iluminação.
O game conta com filtros para que o jogador escolha o estilo que mais lhe agradar
Um exemplo é o efeito de pôr-do-sol na fase 2, que é bonito e funciona muito bem no contexto do jogo. O design dos estágios em termos de funcionalidade também é excelente, casando bem com o seu visual. Os personagens são interessantes, mas o grande destaque vai para os chefes. Todos são bastante originais e exigem habilidade do jogador para serem vencidos.

As músicas são empolgantes e embalam perfeitamente a frenética jogabilidade que o game oferece. Talvez a melhor delas seja a que acompanha os créditos finais do jogo, então vale a pena conferi-la depois do chefe final. Os efeitos e dublagens também são bastante competentes.

Desafio para quem curte desafio

Assim como as suas duas inspirações, Blazing Chrome é bastante desafiador. Avançar pelas fases e suas plataformas, atirando nos vilões enquanto desviamos dos disparos inimigos exige habilidade e bons reflexos. Quem não é acostumado com esse gênero de jogo certamente vai passar por maus bocados.
Os inimigos são difíceis, mas algumas seções de plataforma também exigem cuidado
Admito que demorou um pouco para que a memória muscular dos meus tempos de Metal Slug: Super Vehicle-001 (Multi) e Metal Slug 7 (DS) retornassem. Felizmente cada fase tem o seu nível de dificuldade mostrado na tela de seleção, permitindo uma evolução mais gradual. Além disso, o game tem uma excelente jogabilidade, permitindo uma jogatina sem preocupações técnicas.

Falando em nível de dificuldade, o game tem três níveis diferentes: easy, normal e hardcore. A diferença entre eles se dá pela quantidade de itens e vidas por partida. Esses itens variam entre quatro tipos diferentes de armas, além de robozinhos auxiliares que oferecem bônus como escudo protetor ou mais velocidade nos movimentos.
As armaduras são muito úteis para avançar pelas fases
Como desafios extras, o game conta com um modo Boss Rush, onde temos que enfrentar todos os chefes em sequência no menor tempo possível, e o Mirror Mode, onde o jogo é espelhado horizontalmente. Blazing Chrome também conta com rankings online para quem busca se tornar um dos melhores do mundo.
Oi, você por aqui outra vez?
Apesar do bom nível de dificuldade, é importante ressaltar que o game é justo. A jogabilidade é simples e refinada, permitindo ao jogador executar todos os movimentos sem problemas. Cada morte é (quase) sempre devido a alguma escolha errada ou então falta de atenção. Adquirir experiência é chave para aproveitar o título.

Particularmente, eu preferiria que o sistema de colisões fosse um pouco mais amigável. Ou seja, que tocar nos inimigos, mesmo que minimamente, não resultasse em morte instantânea. Ainda assim, é apenas uma questão de adaptação. Como toque final na jogabilidade, podemos compartilhar as partidas localmente com um amigo, aumentando a diversão e as chances de vitória.
Partidas em dupla são ainda mais divertidas
Para concluir, cabe aqui ressaltar que é sempre bom ver uma produção brasileira alcançar um nível de qualidade tão alto quanto às estrangeiras. O game é muito divertido de se jogar, muito bem acabado e com desafios na medida certa.
As boas mecânicas de Blazing Chrome merecem ser utilizadas novamente
Deixo o registro que, embora não seja necessariamente curto, fiquei com um gostinho de quero mais. Estou na torcida para que o jogo seja expandido no futuro, ou que a produtora possa continuar o bom trabalho em sequências do mesmo calibre.

Uma explosão de diversão

Um jogo não precisa reinventar a roda para oferecer uma ótima experiência. Blazing Chrome é uma prova disso, pois ele utiliza vários elementos e mecânicas famosas de outros títulos, mas adicionando o seu próprio charme em cada uma delas. Com excelente jogabilidade e uma produção caprichada, o game é um ótimo e obrigatório desafio para os fãs dos gêneros ação e plataforma.
"It's time... to blaze some chrome!"

Prós

  • Excelente produção estilo retrô, sobretudo quanto aos gráficos estilo 16 bits;
  • Ótimo design de fases;
  • Jogabilidade sólida e boa quantidade de opções de jogo;
  • Apesar de difíceis, desafios são justos e bem construídos, com destaque para os chefes;

Contras

  • Quantidade de fases e modos de jogo poderia ser maior;
  • Nível de dificuldade elevado para jogadores não acostumados com o gênero.
Blazing Chrome - PC/PS4/Xbox One/Switch - Nota 8.5
Versão utilizada para análise: PS4
E você, leitor? O que achou do explosivo Blazing Chrome? Deixe o seu comentário!

Revisão: Raphael Barbosa

é redator do site GameBlast desde maio de 2018 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.

Comentários

Google
Disqus
Facebook