Blast Test

Nioh 2 (PS4) traz mudanças sutis, mas ainda mantêm fórmula base

Primeira demo de Nioh 2 mostra algumas mudanças de mecânicas, mas jogo mantém suas características fundamentais.


Nioh foi lançado em fevereiro de 2017 e atingiu um bom nível de sucesso. Usando algumas características comuns da série Dark Souls, soube não ser uma mera cópia mas criar sua própria identidade em cima de algumas bases comuns dos jogos “soulslike”. Assim, minha expectativa para a sequência, anunciada na E3 2018, é bem alta.


Assim, fiquei feliz com a oportunidade de testar o jogo nesse alpha fechado. É um movimento similar ao lançamento do primeiro game, que passou por algumas sessões grandes de teste antes do lançamento final. Mas no final, como está Nioh 2?



Na parte gráfica não senti grandes diferenças em relação ao primeiro Nioh. Estou jogando em um PS4 padrão e não vi melhoras significativas — vários assets são os mesmos do título anterior. Mas vale dizer que isso não é um problema. Primeiro que estamos falando de um teste fechado e, mesmo isso se mantendo na versão final, não é algo que comprometa a qualidade.

O gameplay sofreu poucas mudanças em relação ao jogo anterior. A essência do combate continua em saber gerenciar sua barra de estamina e acertar o tempo do Pulso de Ki. Da mesma forma, se colocar em uma situação na qual sua estamina se esgote é abrir uma porta gigante para ataques inimigos, geralmente resultando em morte no caso de oponentes mais fortes. As quatro posturas de ataque permanecem: alta, média, baixa e arma embainhada.

A interface do jogo está praticamente a mesma, mas isso pode muito bem mudar até a versão final. Mesma coisa para sistema de itens, que é praticamente o mesmo, com dezenas de modelos com atributos e raridades diferentes — embora nesse caso acho que não deverá haver mudanças. No quesito armas, quatro tipos estão disponíveis nessa demo: espada, odachi, lança e os estreantes machados duplos. Ao contrário do primeiro, no qual o machado era uma arma de duas mãos, aqui são dois itens pequenos, que possuem um conjunto de movimentos baseado em agilidade.

As funções Share do PS4 foram bloqueadas durante a demo, então tive que pegar alguns frames do trailer


As técnicas equipáveis e a árvore de talentos também continuam. Contudo essa última recebeu uma boa repaginada, tanto visual como em sua forma de funcionamento. Existem mais opções para distribuir os pontos, permitindo que o jogador foque mais em certos atributos. Habilidades específicas para determinadas posturas ainda estão presentes.

Talvez a mudança mais significativa seja quanto ao uso do Espírito Guardião. Relembrando o primeiro Nioh, as criaturas incorporavam na sua arma, proporcionando novos ataques. Nessa sequência, os espíritos entram em você, que se torna uma espécie de demônio, mas igualmente obtendo novas habilidades.


Os espíritos guardiões também podem portar até duas almas de demônios. Inimigos não humanos, ao serem derrotados, podem deixar uma pedra de alma. Ao ser purificada, essa pedra pode ser equipada no espírito (limite de duas pedras). Esses ataques, que literalmente invocam a criatura para realizar uma ação, podem ser realizados em qualquer forma e seu uso é condicionado a uma nova barra, que é preenchida ao derrotar inimigos.

No mais, vale destacar uma nova mecânica de mapa, com Reinos Yokais maiores. Essas regiões funcionam da mesma forma que os reinos de um inimigo só, mas aqui são um grupo, dos quais um oponente é o que mantém o reino ativo. Destruindo esse "lider", a região é purificada.



Quanto ao enredo, não dá para saber muita coisa. Ao contrário do primeiro Nioh, nesse não temos um protagonista definido, mas um personagem criado pelo jogador. Embora a estrutura de mapa e missões sejam a mesma, os textos não falam nada que indique a direção do roteiro. A primeira missão normal dessa demo se passa em 1555, antes do acontecimentos do primeiro jogo.

Nioh 2 continua exatamente onde seu antecessor parou nos quesitos técnicos. Sistemas de loot, evolução e combate, no geral, pouco mudaram. A grande novidade fica por conta da forma de uso dos Espíritos Guardiões. E o fato do protagonista agora ser um personagem criado. Ainda assim, pegar essa demo me lembrou o quanto eu me diverti com Nioh, e ter "mais do mesmo", nesse caso é algo que me agrada bastante. Mas veremos o que vem pela frente.

Nioh 2 será exclusivo de PS4 e não possui data de lançamento.


Formado em Game Design, desistente da Matemática Aplicada e atualmente cursando Jornalismo. Ainda aguardo o retorno triufal da Sega, fã de Metal Gear, Dark Souls e várias coisas vindas lá do Japão.

Comentários

Google
Disqus
Facebook