Blast Test

Monster Hunter World Iceborne (Multi): desbravando uma região gelada no beta da expansão

Testamos a Beta aberta da nova expansão massiva do RPG de ação da Capcom.

Preparem os Hot Drinks e treinem os seus Palicos, pois as caçadas de Monster Hunter World (Multi) ficarão bem mais difíceis, e frias, com a chegada da DLC Iceborne. Nesta análise, o GameBlast dissecar a Beta online dessa aguardada expansão que promete trazer novos monstros, golpes únicos e mais uma tonelada de conteúdo para o RPG de ação da Capcom.

Entrando numa fria

Explorar os arredores de Hoarfroast Reach é a maior atração da beta de Iceborne. Esse novo mapa foi inteiramente baseado em tundras e outros ambientes frios do nosso planeta. Como era de se esperar, o cenário da área é rico em detalhes igual a todos os outros mapas presentes no jogo. Florestas recheadas de neve, montanhas árticas e cavernas de gelo subterrâneas.

A física da neve no chão é muito competente. Apesar de não estar no mesmo nível técnico de jogos como God of War (PS4), ainda é sensacional ficar reparando nesse pequeno detalhe durante os passeios pelo cenário.

A única questão que me deixou insatisfeito com o mapa ao jogar foi o seu tamanho. Em entrevistas, os desenvolvedores haviam afirmado que Hoarfroast Reach seria a maior área explorável do jogo inteiro, porém o tamanho do mapa no Beta aparentemente não é muito maior do que os outros cenários já presentes no jogo base.

Segundo a Capcom, novas áreas do ambiente serão liberadas conforme o jogador vai avançando na campanha principal. Portanto, ainda é necessário esperar o lançamento completo da expansão antes de julgar Hoarfroast Reach como um todo.

Novos Golpes

Pegar carona em cima de monstros pequenos é uma feature muito legal, mas aparentemente desnecessária. Indicar o local e os itens que você quer alcançar é o máximo de controle que se tem sobre os bichanos. Além disso, cavalgar em cima deles não se prova tão rápido quanto andar a pé.  Não é divertido e nem  para quem quer fazer outra coisa enquanto é guiado automaticamente até o objetivo, mas nada além disso.

Todas as armas receberam golpes novos em Iceborne. Entre as adições, Pendurar-se no monstro usando o Grappling Hook é o único movimento que é compartilhado por todos os estilos de arma.
Mirar com essa nova ferramenta funciona da mesma forma que o Slinger. Dependendo da arma equipada pode-se usar movimentos exclusivos, como lançar um disparo poderoso ou usar a ferramenta mesmo segurando a arma.

Ao acertar o monstro com o Grappling Hook, o caçador se segura nele e pode utilizar um golpe único da arma se conseguir aguentar tempo suficiente em cima do bichano. Não tem como se mover para outra parte do corpo do monstro ou segurar firme para evitar ser arremessado. É bem mais arriscado do que a montaria normal. O dano do golpe em si também não é muito recompensador, mas a opção pode gerar novos combos e maneiras de lutar contra cada fera.
Nos movimentos exclusivos de armas específicas, o destaque fica para o novo counter da Long Sword, inspirado no estilo Brave de Monster Hunter Generations Ultimate (Switch) a pedido dos fãs da série. O segundo contra-ataque pode ser ativado de diversas maneiras criativas e ofensivas no meio dos combos, além de carregar a barra de Spirit e ser bem mais “estiloso”. No entanto, errar o movimento tem suas consequências e prejudica o usuário diminuindo a barra.

No geral, as outras armas ganharam golpes e ajustes na qualidade de vida excelentes para aumentar a variedade no arsenal de movimentos dos jogadores. Em menos de 2 dias de Beta, os jogadores mais experientes já até estavam descobrindo e teorizando novos combos que poderão ser extremamente úteis com o lançamento da expansão.

A dupla Banbaroo e Beotodus

O monstro Banbaroo é uma mistura de um cervo gigante com certas características de um mamute pré-histórico. Essa fera se defende correndo brutamente por cima de qualquer ameaça enquanto carrega uma bola gigante de neve entre os seus chifres. Ele também é o primeiro monstro totalmente inédito de Iceborne disponível para caçar na Beta.

A batalha contra o Banbaroo não é muito dinâmica, mas isso é uma característica típica de todos os monstros do arquétipo “grande e pesado”. Ele costuma repetir golpes previsíveis várias vezes, porém compensa ostentando uma enorme quantidade de vida. A luta mostra uma melhora considerável em relação ao Gammoth, o último monstro “mamute gigante de gelo” da franquia, mas ainda não é uma experiência que dá vontade de refazer toda hora.

O monstro “secreto” da Beta se chama Beotodos, uma espécie de “tubarão terrestre” que consegue se locomover escavando o chão de gelo ou neve como se estivesse “nadando”. Ele pode ser encontrado vagando por Hoarfroast Reach durante a missão de caça do Banbaroo e não é obrigatório.
Desde que o Beotodos foi revelado, muitos compararam ele com o Zamtrios, um monstro antiga da franquia que também é um “tubarão de gelo”. No entanto, os movimentos de Beotdos se distanciam bastante do seu primo do antigo continente. Ele se encaixa muito mais como uma subespécie do Jyarotodus para falar a verdade.

Lutar contra o Beotodos é bem mais divertido e desafiador do que contra o Banbaroo, principalmente pela agilidade do monstro. Ainda é extremamente irritante ter que esperar o monstro sair do chão para atacar, mas parece que esse problema melhorou um pouco em relação aos outros bichanos que também fazem isso.

Tigrex está de volta

Corram para as colinas porque o Tigrex voltou mais raivoso do que nunca. O monstro, que é basicamente uma mistura nada amigável de um Tigre com um T-Rex, é uma das feras mais icônicas da franquia Monster Hunter. 

Aparecendo pela primeira vez com um modelo digno dos gráficos da atual geração, o monstro da classe Brute Wyvern ainda continua oferecendo uma batalha difícil e frenética para os caçadores.
A movimentação do Tigrex está sensacional e fluída como nunca. Praticamente um sonho virando realidade para qualquer jogador que conheceu esse monstro jogando Monster Hunter no PSP.

Ele detém, de longe, a missão mais interessante e divertida da Beta inteira. Faz tempo que Monster Hunter World não me proporcionava um desafio tão árduo, mas justo, quanto esse. As expectativas dos caçadores veteranos estão a mil por segundo com o aumento da dificuldade em Iceborne e caçar um Tigrex deixou uma ótima impressão das missões “Master Rank”, que estreiam em Iceborne para substituir o G-Rank dos jogos passados da franquia.

Expectativas quentes e frias

A Beta de Iceborne é bem limitada e não oferece variedade de opções ao jogador. Existem 3 missões, com apenas 2 delas sendo realmente “novas”. Parece que o único objetivo da Beta é oferecer um pequeno “gostinho” de algumas das principais novidades da expansão. O conteúdo disponível, pelo menos, realiza um bom trabalho de aumentar as expectativas do público para o produto final. Só nos resta esperar pelo lançamento da expansão. Que venha o Master Rank, companheiros!

Estudante de jornalismo que não vê a hora de achar um estágio. Apaixonado por videogames e esperando o fim de Hunter x Hunter e Berserk desde que me entendo por gente.

Comentários

Google
Disqus
Facebook