Top 10

PlayStation: dez jogos infantis esquecidos que marcaram o console

Esta lista traz jogos infantis esquecidos com o tempo no primeiro console da Sony, veja se o seu favorito também está nela.

O PlayStation foi um marco na indústria dos games e foi bastante popular aqui no Brasil. O console foi meu primeiro videogame, ganhei o meu lá em 2005, num tempo no qual ter um PlayStation 2 não era uma realidade tão grande aqui nas terras tupiniquins.


Eu tinha, naquela época, meus 12 anos e algum contato com jogos por meio dos consoles dos meus primos. O que mais jogávamos eram os jogos infantis da época, que em sua maioria eram adaptações de desenhos animados, filmes e animações. Então nesta lista eu escolhi dez jogos para você que teve um PlayStation na infância relembrar aquele tempo onde nada mais importava do que aproveitar os seus títulos favoritos.

10. Shrek: The Treasure Hunt







Em 2001, a animação “Shrek” chegou aos cinemas e conquistou muitos fãs. Com isso, a aventura do ogro recebeu uma adaptação para os videogames intitulada Shrek: The Treasure Hunt, lançada por volta de um ano após a estreia do filme.

O jogo single-player é composto de vários minigames e desafios espalhados por diversos cenários, com um mapa para o jogador se orientar. As atividades remetem ao universo do longa, como caçar minhocas, pescar, pisar em ratos e várias outras. Shrek: The Treasure Hunt não era dos bons, seus controles por exemplo eram péssimos, mas valia a pena passar algumas horinhas só para ver a cutscene final de Shrek e Fiona juntos e ficar com a sensação de dever cumprido.

9. Lilo & Stitch: Trouble in Paradise






A animação da Disney “Lilo & Stitch” foi um grande sucesso, o que fez com que uma adaptação para os videogames pela Disney Interactive Studios dos dois carismáticos personagens fosse produzida.

Lilo & Stitch: Trouble in Paradise é um jogo single-player de gênero aventura composto por fases 3D onde há a possibilidade de jogarmos com os dois protagonistas em suas respectivas fases.

O jogo não tem de fato uma história a ser contada, mas vai mostrando cenas do filme conforme progredimos. O alien Stitch tem a habilidade de se tornar uma bola indestrutível ao beber xícaras de café espalhadas pelas fases, assim como acontece quando ganhamos uma vida ao pegarmos 100 moedas em jogos do Mario. Nas fases também há colecionáveis, como fotos, discos e claquetes, que podem ser acessados no menu principal como parte de extras do jogo. A trilha já te transporta para o clima havaiano, com músicas na pegada de Elvis Presley. Se você ainda tiver uma caixa do PlayStation poderá ver uma foto do jogo em sua parte traseira.

8. Pandemonium!








Pandemonium!, com seu nome inusitado, premissa bizarra e jogabilidade desafiadora, não podia estar de fora desta lista — este é um jogo que precisa ser relembrado.

Nesse jogo de plataforma, temos dois protagonistas e temos a opção de escolher entre um ou outro na seleção de fases: a dançarina Nikki e o bobo da corte Fargus, que é acompanhado por seu cajado falante de nome Sid. São 18 fases em visual 2.5D e elas são bem desafiadoras e variadas, sendo que há também dois powers-up espalhados nelas: uma de gelo e outra de magia que facilitava bastante ao enfrentar os inimigos, principalmente o de gelo.

O enredo é bem simples, com apenas a cutscene de introdução e uma cutscene final. Nikki, a dançarina, está cansada de sua vida no circo e decide fugir. Já Fargus decide acompanhá-la na esperança de conseguir um dinheiro animando festas. Em suas andanças, eles vão parar em um castelo onde encontram um livro mágico e, sem querer, acabam despertando um monstro que havia aparecido no sonho de Nikki. A criatura simplesmente engole o vilarejo onde os dois viviam, então Nikki e Fargus se sentem obrigados a recuperar a harmonia perdida e partem neste grande pandemonium.

O jogo ganhou uma sequência intitulada apenas de “Pandemonium 2” em 1997.

7. Bugs Bunny: Lost in Time

















Pernalonga é um personagem bem conhecido da cultura pop e bem famoso aqui no Brasil. Em 31 de maio de 1999, o coelho do Looney Tunes ganhou um jogo solo para a plataforma da Sony.

Bugs Bunny: Lost in Time é um título single-player do gênero aventura e seu enredo tem como principal foco viagens temporais. Pernalonga acaba encontrando uma máquina do tempo e, por curiosidade, ativa o aparelho. O coelho acaba tendo como destino Lugar Nenhum, onde há um castelo de um mago chamado Merlin Munroe. O feiticeiro diz a Pernalonga que ele está perdido e que a única forma de sair desta enrascada e voltar para o presente é encontrando os relógios de todas as épocas.

O jogo visita diferentes eras no tempo, desde a idade da pedra até o futuro, e o mais legal é que durante as fases encontramos outros personagens do universo Looney Tunes, como seu melhor amigo Patolino na fase bônus da idade da pedra, a bruxa Hazel na fase da idade média e o marciano Marvin na fase do futuro. O visual remete aos desenhos animados com personagens com arte idêntica e a presença dos dubladores originais.

6. Stuart Little 2














Stuart Little é um ratinho carismático que teve seu primeiro filme em 1999. O personagem foi feito totalmente em computação gráfica e interagia com pessoas reais, e isso era uma grande novidade na época. Em 2002 veio a sequência do filme e com ela um jogo single-player de aventura para o PlayStation.

Stuart Little 2 segue o padrão de enredo de jogos baseados em filmes. A história conta com as cenas do filme conforme o jogador avança nas fases. Os estágios são em 3D e repletos de minigames. Tem uma fase em especial em que você pilota o avião que aparece em uma determinada parte do filme, e é bem desafiador por ser a última fase do jogo no qual você enfrenta o temido Falcão que é o vilão do jogo e também do filme.

5. Croc: Legend of the Gobbos













Croc: Legend of the Gobbos é um jogo single-player e de gênero plataforma 3D lançado em 1997. Croc é um crocodilo órfão que acaba sendo adotado pelos Gobbos, pequenas criaturinhas peludas. Tudo estava indo bem até que o vilão Baron Dante invade a ilha dos Gobbos e aprisiona os habitantes e seu rei, e Croc é o único capaz de salvar a todos eles.

O jogo é composto por fases 3D agrupadas em cinco diferentes ilhas: Ilha do Vulcão, Ilha do Gelo, Ilha do Deserto, Ilha do Castelo e Ilha do Cristal. Além dos estágios normais, Croc conta também com fases secretas. Foi bem recebido na época de lançamento, com boas notas da crítica especializada.

4. Wacky Races
















Wacky Races, ou como conhecido no Brasil “Corrida Maluca”, é um jogo baseado no desenho animado de grande sucesso do estúdio Hanna-Barbera. O jogo foi lançado no dia 26 de julho de 2001 e é um single-player e multiplayer de gênero corrida.

O título não tinha enredo e usou o desenho animado como inspiração para os personagens, seus carros e as pistas malucas. Ele contava com variedade de modos de jogo, sendo que o jogador podia apostar uma corrida ou até mesmo participar de um torneio escolhendo um personagem e disputando contra outros cinco oponentes. As competições seguiam o mesmo padrão de jogos de corrida do estilo “Mario Kart” com itens espalhados pelos circuitos contendo armas e armadilhas. Foi o primeiro jogo no qual tive contato com o console da Sony, fiquei encantado com o controle vibrando em minhas mãos.

3. Toy Story 2: Buzz Lightyear to the Rescue














Toy Story é uma franquia de sucesso nos cinemas iniciada em 1995 que conta a história de brinquedos que ganham vida longe de seus donos. O filme ganhou uma sequência quatro anos depois intitulada “Toy Story 2” que também foi adaptada para os videogames.

Toy Story 2: Buzz Lightyear to the Rescue é um jogo single-player de gênero aventura e plataforma. Seu enredo segue o padrão de jogos baseados em obras cinematográficas, utilizando cenas do filme conforme avançamos. Suas fases são em 3D e o jogador controla Buzz Lightyear na missão de resgatar o caubói Woody. Os cenários são os mesmos já vistos no filme: o quarto de Andy, o jardim da casa do garoto, a loja de brinquedos, o elevador, e assim por diante. Também há minigames para serem completados para poder avançar no jogo. É um jogo indispensável para quem é fã da franquia.

2. Jackie Chan Stuntmaster








Jackie Chan é um ator bastante conhecido no mundo do cinema, e em 29 de março de 2000 foi lançado “Jackie Chan Stuntmaster”, jogo que conta com cenas e ideias de seus filmes. O jogo também usou os movimentos do próprio Jackie Chan por meio da captura de movimentos, algo bem inovador e diferente para a época.

Ele é um jogo single-player de gênero beat’em up. Seu enredo conta a história de Jackie Chan, um entregador que tem como missão dada por seu avô de levar um pacote ao Templo Shaolin, no mesmo dia Jackie está jantando e acaba vendo seu avô ser raptado por cinco homens, o motivo seria o pacote pelo qual Jackie teria de entregar, porém, Jackie acaba tomando por decisão ir atrás de seu avô e salvá-lo. O jogo conta com fases em 3D e é composto por cinco áreas com três fases cada. Além de grande variedade de inimigos para enfrentar, precisamos derrotar também grandes chefes no final dos estágios. Há itens a serem colecionados e o desempenho do jogador é classificado por meio de notas ao fim das fases.

1. Gex: Enter the Gecko














Pensado como um mascote para o 3DO em 1994 para bater de frente contra Mario e Sonic, “Gex” ganhou uma conversão para o PlayStation em 1996. Mas falaremos da sequência Gex: Enter the Gecko, que ganhou mais fama na plataforma da Sony do que o lançamento original.

O jogo é single-player de gênero plataforma. Na sequência direta de Enter the Gecko, a lagartixa Gex é obrigada por agentes do governo a enfrentar o grande vilão Rez com uma promessa de pagamento milionário. A aventura é composta de fases de movimentação 3D, sendo este o primeiro jogo da franquia a utilizar esse gênero. As fases, que eram representadas por TVs, apresentavam ambientações distintas, sempre parodiando filmes ou desenhos animados da época, como Star Wars e Looney Tunes. Cada estágio tinha um número de controles remotos a serem coletados, que depois eram utilizados para desbloquear novas áreas e prosseguir no jogo. Gex: Enter the Gecko foi bem recebido pela crítica da época de seu lançamento.
E aí? Quais destes jogos fizeram parte da sua infância? Comentem aqui embaixo e tentem lembrar lá do fundo da sua memória gamer sobre algum outro título que você gostava bastante e que ficou de fora da lista.
Revisão: Farley Santos 

Poderia estar dando um rolê na Epoch, ou participando do torneio do Mortal Kombat, e quem sabe escapando de alguns zumbis, mas estou aqui, feliz por estar escrevendo sobre games.

Comentários

Google
Disqus
Facebook