E3 2019 está bem, diz organização do evento

Apesar das mudanças internas da organização e a ausência da PlayStation em 2019, o show vai continuar com grandes empresas que já confirmaram presença.



Está tudo bem: esse é o tom do comunicado de imprensa da Entertainment Software Association (ESA) nesta última quinta-feira (15). A organização, que opera a feira Electronic Entertainment Expo (E3), está lidando com a notícia de que a Sony não levará a PlayStation para o evento em 2019. E isso faz com que muitas pessoas se perguntem por que elas sequer se importariam com a E3. Para abordar essas preocupações, no entanto, a ESA publicou uma declaração e alguns comentários de  seus maiores parceiros remanescentes.


Em seu comunicado de imprensa, a ESA diz que o show deve continuar. Ele apontou para o sucesso da E3 2018, que obteve um recorde de 2,9 milhões de espectadores simultâneos no Twitch e 15 milhões de tweets. Mesmo com a Sony sendo responsável por uma parte dessa atenção, a ESA reconhece publicamente a importância das grandes empresas que permanecem para a próxima edição, contando com a Nintendo e da Microsoft, que se pronunciaram sobre suas participações.



"A E3 é uma excelente oportunidade para compartilhar novos jogos e experiências com os fãs e parceiros de negócios de todo o mundo", disse o presidente da Nintendo of America, Reggie Fils-Aime. "Todos os anos, discutimos qual será a melhor maneira de aproveitarmos o próximo show da E3 para alegrarmos para as pessoas."

A Microsoft também disse que está planejando ter um estande na feira: "A E3 é uma plataforma incrível para mostrar a vibração e a criatividade da indústria de videogames", disse o chefe do Xbox, Phil Spencer. "A ESA continua expandindo o alcance do evento para os fãs e para o setor, tanto no atendimento quanto on-line, e estamos ansiosos para o que está à frente na E3 2019."



Mas o que acontece com o evento que, aos poucos, está perdendo participantes de peso? Pode-se dizer que um grande fator seja a despesa gigantesca para todas as empresas que desejam comparecer, e procuram formas mais econômicas e personalizadas de comunicação. Outro fator pode ser a transição que a ESA está passando, desde que o CEO de longa data Mike Gallagher deixou a organização em outubro. Atualmente sob o comendo do CEO interino Stanley Pierre-Louis, o esforço para manter as empresas confiantes na E3 parece explícito no comunicado oficial:

“A E3 2018 quebrou recordes e esgotamos tanto os espaços da exposição quanto os ingressos”, disse Pierre-Louis. “Estamos confiantes de que, através das contínuas inovações criativas fornecidas por nossas empresas participantes, a E3 2019 proporcionará o mesmo tipo de entusiasmo e energia. Este ano, estamos ansiosos para expandir a E3 além dos muros do LACC (Los Angeles Convention Center) e conectar jogadores e participantes com conteúdo incrível de videogames em todo o complexo LA Live.”



Perder a Sony é um duro golpe para a E3. Mas a ESA ainda pode fazer uma grande e importante convenção de jogos. Teremos que ver se isso pode acontecer. Microsoft e Nintendo contribuirão para isso, com certeza. Quanto aos planos da Sony, nada até o momento. A situação que a E3 vem passando mostra que, mesmo um evento sendo importante e tradicional, deve buscar mudanças constantemente se quiser sobreviver.

Fonte: Venture Beat
André Nascimento é publicitário e produtor multimídia, tem passagem por jornalismo e eventos geeks, curte todas as plataformas e coleciona (na medida do possível) games e consoles. Se não encontrar tempo para jogar tudo o que quer, vai ao menos se aposentar fazendo isso. Nas redes sociais pode ser encontrado no Instagram e Facebook.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook