Blast Test

Dark and Light (PC) já tem magia, sobrevivência e RPG de primeira, com mais por vir

Uma completa reformulação do jogo de 2008, a produção da Snail Games promete ser mais uma ótima opção de survival com sandbox.

Dark and Light (PC) começou seu projeto há 10 anos atrás, como um RPG em mundo aberto para computadores com um ambiente bem detalhado e muita coisa para ser feita. Porém, o projeto não cresceu muito nos anos seguintes, principalmente pela falta de investimento e por outros jogos lançados já suprirem essa demanda no mundo mainstream dos games. Porém, a Snail Games não desistiu da marca e retornou em 2017 com o formato de early access no Steam com um projeto que muda bastante a ideia inicial do título.


Se algumas ideias foram modificadas, essas parecem que foram para melhor. Seguindo o considerável sucesso de ARK: Survival Evolved (Multi) e Conan Exiles (Multi), Dark and Light bebe bastante do survival com mecânicas em sandbox. Porém, mesmo que pareça bastante com os dois grandes títulos citados, ele possui suas diferenças consideráveis as quais fazem dele um potencial título para ser o terceiro titã deste gênero, algo que Subnautica (PC) e Osíris: New Dawn (PC) acabaram não conseguindo ser.


A fantasia medieval que faltava

Se o gênero de sobrevivência com sandbox está a cada dia mais cheio de títulos com várias opções de jogo, praticamente nenhum apresenta a temática que Dark and Light propõe em sua ambientação. Seguindo um pouco o ramo de Conan Exiles, mas bebendo muito mais da estética de franquias como O Senhor dos Anéis e The Elder Scrolls, o título pula de cabeça na fantasia medieval.

São três raças jogáveis: elfos, humanos e anões. Cada uma com sua própria cidade natal e ambientes favoráveis. Além disso, ao criar seu personagem, você recebe diversas missões a serem cumpridas, todas contextualizadas com o enredo da história. Assim, além da sensação de perigo que todo jogo do gênero survival pede, aqui temos também missões que guiam o jogador até certo ponto. Isso não é necessariamente algo inédito, pois o próprio Conan Exiles já havia feito algo do tipo antes, mas não de forma tão intrínseca ao gameplay como Dark and Light apresenta.



Além disso, as criaturas e inimigos presentes no ambiente de jogo são ainda mais fantásticos: Ents, Wyverns, Dragões, Grifos, Harpias, Ciclopes, Golens, Elementais, Goblins e diversas outras espécies fantásticas dão vida ao cenário. Por fim, para completar essa aura fantástica, desde o início da jogatina temos a possibilidade de confeccionar magias, fazendo de todo personagem um mago em potencial. Essa ambientação por si só já é um excelente diferencial para o jogo, seguindo como concorrência válida tanto para Ark como para Conan, mas sem ficar em mesmices.

Visual fantástico e boa otimização

Uma coisa que não agrada tanto em jogos com acesso antecipado são os bugs. Estes, como esperado, estão presentes sim em Dark and Light. Entretanto, a quantidade de bugs é muito mais aceitável do que a de outros títulos em suas fases antecipadas. Além disso, o visual do jogo já é fantástico e muito bem otimizado, fazendo o queixo de qualquer um cair sem necessariamente queimar o processador do seu computador.



Vegetação densa, variedade de árvores, rochas e rios bem detalhados e movimentação de tudo isso de acordo com o vento são alguns dos apelos estéticos que fazem a ambientação de Dark and Light lembrar vagamente grandes jogos como The Witcher 3: Wild Hunt (Multi). A estética realista que remete um pouco ao ARK: Survival Evolved é muito melhor otimizada do que o outro jogo é atualmente, em sua versão completa.

Fora isso, o mundo apresentado nessa versão antecipada do jogo é uma mera parcela de toda a extensão que o pessoal da Snail Games pretende criar até a versão completa do título. Inclusive, a empresa já anunciou que muito em breve lançará um pacote de expansão gratuito com um novo território do mundo proposto para o jogo completo, provavelmente como outro mapa jogável para o título.



Para além da extensão do mundo, este é muito completo. Com várias paisagens diferenciadas e repleto de fauna e flora, o mundo do jogo se mostra bem vivo e movimentado para os jogadores. Para além da vida selvagem, existem cidades, vilarejos e templos nos quais é possível fazer comércio, alugar casas e conversar com diversos NPCs.

Evolução com tudo que o RPG tem de melhor

De todos os jogos de seu subgênero, Dark and Light é um dos que apresenta a melhor progressão por habilidades. A coleta de determinados recursos e confecção de itens específicos favorece o crescimento de habilidades exatas, enquanto outras coletas e confecções favorecem outras. Assim, nem usando os tradicionais códigos de administrador é possível simplesmente chegar ao nível máximo, pois cada habilidade dessas funciona de forma independente e, ao mesmo tempo, dependente do nível geral do personagem.



Além disso, cada uma dessas árvores de habilidades específicas libera uma gama de opções de crafting para os jogadores. Com isso, o movimento evolutivo dentro de Dark and Light se torna instintivo e bem lógico. Por exemplo: um jogador que coleta muitos recursos básicos como madeira, pedra e carne aumenta rapidamente seu nível de “habilidade de sobrevivência”. Com isso, alcançando os primeiros ranks dessa árvore, é liberado para ele construir fogueiras, sacos de dormir e caixas de depósito de itens, o que favorece sua sobrevivência e o permite melhorar cada vez mais este aspecto.

Do mesmo modo, quanto mais se constrói com palha, por exemplo, mais tipos de peças de construções de palha são desbloqueadas. Além disso, coletar pedra (e estando no nível mínimo necessário) permite que o jogador libere paulatinamente as construções de pedra para serem feitas. Nessa lógica, a evolução do jogo se torna bastante instintiva e equilibrada, fazendo com que os jogadores explorem seus personagens ao máximo em vários âmbitos, tornando-os verdadeiramente versáteis.


Classes? Depende de você!

Ainda sobre toda a versatilidade dos personagens, Dark and Light apresenta uma vasta gama de armas e equipamentos para serem confeccionados. Desde flechas com fios mágicos para imobilizar e domesticar criaturas selvagens até runas mágicas poderosíssimas que invocam paredes de gelo ou fogo contra os inimigos. Com isso o jogo permite que os jogadores criem suas próprias classes de acordo com aquilo que preferem confeccionar.

Desde arcos e bestas, passando por machados, espadas, lanças e marretas, até itens mágicos como cajados e bastões, tudo no jogo favorece um ou outro caminho. Mas nada é desperdiçado. Pois todo e qualquer tipo de evolução dentro do jogo libera algum tipo de item para ser construído, fazendo assim qualquer caminho ser válido.



Os combates são bem organizados e desafiadores na medida certa. Como se trata de um jogo com grande variedade de criaturas mágicas, suas habilidades fazem bastante diferença na hora do combate. Enquanto algumas criaturas são pegas desprevenidas facilmente, outras precisam de mais estratégia e até magias específicas para serem derrotadas. Tudo é muito mais perigoso quando seu inimigo pode te desmaiar, te tacar fogo, te congelar, te imobilizar e por aí vai.

O que ARK tem de melhor

Podemos ver que Dark and Light bebe de várias fontes com o intuito de criar um RPG que mescla sobrevivência e sandbox da melhor forma possível. Além dos combates que lembram Conan Exiles e um sistema de progressão único, o jogo conta com um sistema de domesticação de criaturas tão robusto como o presente no já citado ARK: Survival Evolved. Isso é excelente, uma vez que é um dos pontos mais positivos do jogo da Wildcard Studios.



Praticamente todas as criaturas presentes até o momento no jogo são domesticáveis, desde ovelhas inocentes até os dragões mais poderosos do território. Porém, algumas particularidades fazem de Dark and Light algo original e não simplesmente uma cópia de ARK. Uma delas é a existência dos elementais: criaturas mágicas com base em algum elemento que não podem simplesmente serem domesticadas com flechas e comida, como acontece com animais selvagens mais “normais”.

Essas criaturas precisam de runas para serem “capturadas” e servem apenas de companheiros na hora dos combates, não podendo ser montados com selas, mas sendo excelentes suportes mágicos na hora do sufoco. Fora isso, existem também criaturas passíveis de serem evoluídas, como o pomposo Grifo, que ao passar por alguns procedimentos demorados, evolui para um “Grifo Real”, se tornando muito mais forte. Essas mecânicas diferenciadas aumentam a dinamicidade do jogo e fogem da mesmice ou da mera repetição, o que é ótimo.


Muito ainda por vir

Dark and Light (PC) está agora com um pouco mais de um ano em acesso antecipado. Ainda não há confirmações oficiais sobre seu lançamento completo, mas seu DLC gratuito chegou no último dia 9 no Steam! Assim, o que esperamos é que o jogo continue crescendo com atualizações constantes para corrigir bugs e problemas observados principalmente nas versões singleplayer, nas quais existem problemas consideráveis com o respawn de criaturas, nível de dificuldade e uso de alguns itens.

Porém, o modo online parece recer bem mais atenção da Snails Games até agora, com atualizações constantes e níveis de oscilação bem aceitável. Isso e a presença de uma comunidade bem amigável faz da experiência online muito gratificante e até melhor do que a jornada solo. Com muito espaço para crescer e o desenvolvimento ainda no início, o caminho percorrido até então já faz de Dark and Light um título muito bom. Resta saber o que a empresa reserva para o futuro próximo, com as novas atualizações da aventura.



Matéria produzida com cópia digital adquirida pelo próprio redator.
Gilson Peres é Psicólogo e Mestrando em Comunicação pela UFJF. Está no Blast desde 2014, onde é Redator e Diretor. Começou sua vida gamer bem cedo no NES e hoje divide seu tempo entre games antigos e novos. Pode ser visto por aqui sempre escrevendo algum texto polêmico, instrutivo ou nostálgico. Geralmente é visto em alguma discussão no Facebook ou no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook