A franquia Rayman através das gerações

Vamos relembrar a trajetória do querido, mas meio esquecido, mascote da Ubisoft.


Rayman é um carinha esquisito. Sem braços, pernas ou pescoço, mas ainda assim com mãos, pés e cabeça que conseguem se movimentar de forma independente do corpo. Suas marcas registradas são a habilidade de girar seu cabelo como se fossem as hélices de um helicóptero e também a capacidade de arremessar suas mãos sem braços em poderosos socos de longa distância. Além, é claro, do seu grande carisma!


Sua primeira aparição foi em Rayman (Multi), no distante ano de 1995, desde então se tornou um grande ícone dos games e se estabeleceu firmemente como mascote da Ubisoft. Apesar de não contar com um décimo da quantidade de títulos que outros personagens marcantes tem, como Mario ou Sonic, Rayman ainda assim possui um lugarzinho especial no coração de todos os gamers.

Neste especial vamos relembrar os jogos principais da franquia, todos em ordem cronológica.

Rayman (Multi) - 1995

O primeiro jogo da franquia era um sidescrolling bem colorido e chamativo no qual o jogador, no controle de Rayman, precisa libertar os seis Electoons para resgatar o Great Protoon, uma bolota rosa mística responsável por manter a paz e o equilíbrio no mundo de Rayman, que foi roubada pelo vilão Mr. Dark.

O game foi originalmente lançado para Atari Jaguar, PlayStation, Sega Saturn e MS-DOS, mas também recebeu versões para Game Boy Color, Game Boy Advance, DSi Ware, Android e iOS.


Rayman 2: The Great Escape (N64/PC) - 1999

Este foi o primeiro game tridimensional da franquia e também marcou a primeira aparição de personagens icônicos como Globox. Desta vez o mundo de Rayman está sendo invadido por piratas espaciais e diversas batalhas ocorrem na tentativa de impedir os vilões. Em um destes confrontos Rayman acaba capturado é neste ponto que o jogo começa.

Rayman 2 foi lançado para Nintendo 64 e PC em 1999, recebendo versões para PlayStation, DreamCast, e iOS posteriormente. Além disso, remakes e adaptações com nomes diferentes foram lançados para Game Boy Color, PlayStation 2, Nintendo DS e Nintendo 3DS sob os títulos de Rayman 2 Forever, Rayman Revolution, Rayman DS e Rayman 3D, respectivamente. Mas se tratam do mesmo jogo.


Rayman 3: Hoodlum Havoc - 2003 (Multi)

Rayman 3 trás André, um “Black Lum” malvado que converte Red Lums em Black Lums como ele, na tentativa de dominar o mundo. E é claro, resta a Rayman a tarefa de salvar o dia. O jogo traz de volta o estilo 3D, mas desta vez com um tom mais sarcástico e algumas piadas envolvendo o gênero plataforma.

O game deu as caras no GameCube, PlayStation 2, PC, Game Boy Advance e N-Gage. Também recebeu um port em alta definição intitulado Rayman 3 HD, para PlayStation Network e Xbox Live Arcade.


Rayman Origins (Multi) - 2011

Retornando às origens do estilo plataforma sidescrolling, surge este aclamado sucesso de críticas, desta vez permitindo que até quatro jogadores se divirtam simultaneamente na tela. Com um estilo artístico único e excelente design de fases, Rayman Origins marcou com louvor o retorno da série principal do mascote da Ubisoft.

A história se passa 400 anos após os evento do terceiro game e conta como Rayman e seus amigos irritaram acidentalmente os mortos vivos da Land of the Livid Dead com seus roncos, resultando em vários inimigos sendo enviados para atacar nossos heróis. O game foi lançado para PlayStation 3, Xbox 360, Wii, PC, Nintendo 3DS e PlayStation Vita.


Rayman Legends (Multi) - 2013

Rayman Legends traz novamente o estilo artístico marcante e jogatina multiplayer de seu antecessor. Rayman e seus amigos despertam depois de um sono de 100 anos após os eventos de Origins. Durante este tempo os pesadelos se multiplicaram e se espalharam, resultando em uma ameaça iminente ao mundo.

Lançado originalmente para Wii U, PlayStation 3, Xbox 360, PC e PlayStation Vita, com versões para PlayStation 4 e Xbox One no ano seguinte, além de uma versão especial exclusiva para Nintendo Switch chamada Rayman Legends Definitive Edition.


Menção honrosa: Rayman Raving Rabbids - 2006

Este spin-off surgiu do nada e com uma proposta muito diferente. O jogador ainda fica no controle de Rayman e, através de diversos minigames, deve resolver o problema da vez, que são os Rabbids: estes coelhos meio abitolados das ideias que causam um caos generalizado por onde passam. O jogo deu as caras no Wii, PlayStation 2, PC, Game Boy Advance, Nintendo DS e Xbox 360.

A fórmula deu certo e surgiram duas sequências: Rayman Raving Rabbids 2 (Multi) e Rayman Raving Rabbids TV Party (Wii/DS). Entretanto, os Rabbids foram ganhando destaque por si mesmos e Rayman foi cortado dos games seguintes, dando início à uma franquia própria dos coelhos, com direito a desenho animado e até mesmo um crossover com a turma do Mario em Mario + Rabbids Kingdom Battle.



Mas voltando ao Rayman, ele ainda apareceu em diversos games menores para PCs, celulares com suporte a JAVA e também alguns mobiles mais modernos. Alguns exemplos incluem diversos jogos educativos com o personagem e Rayman Designer (PC), que permitia ao jogador criar as suas próprias fases. E você aí achando que Super Mario Maker (Wii U/3DS) que tinha revolucionado.

Apesar da pouquíssima quantidade de jogos principais e de ter sido enxotado da própria série spin-off, Rayman ainda é um mascote extremamente carismático e que desperta um carinho enorme em todos aqueles que tem o prazer de jogar um game dele. Estamos todos ansiosos pelo próximo título do herói desmembrado e torcendo para que não demore muito.

Como sempre, participe nos comentários e deixe as suas opiniões, elas são muito importantes para continuar fazendo o Blast melhorar cada vez mais.

Revisão: João Telhada

Link Beoulve é um jornalista freelancer, amante de jogos de todos os tipos, principalmente videogames. Enciclopédia ambulante de Zelda, Mestre Pokémon aposentado, caçador de monstros traumatizado. Você pode conferir seu portfólio aqui.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook