Jogamos

Análise: Razer Mamba Chroma: um dos melhores mouses gamers sem fio

Testemos a qualidade e desempenho de um dos mouses wireless topo de linha da Razer.


A Razer é uma das marcas de eletrônicos mais conhecida no mundo dos games. Seus produtos de ponta de linha são referência para quem procura desfrutar a verdadeira experiência digital quando se está aventurando em um jogo. Cedido pela empresa ao GameBlast, neste artigo iremos analisar as principais características e desempenho de um de seus mouses sem fio mais avançados: o Razer Mamba Chroma.

Design

O Razer Mamba Chroma não é muito inovador nesse aspecto. De fato, o visual do mouse é muito similar aos outros modelos mais recentes da Razer, então, à primeira vista, o usuário não iria perceber muita diferença. Seu design lembra muito seu irmão tecnológico, o DeathAdder, mas, ao analisar o mouse com cuidado, percebem-se alguns detalhes que o diferenciam.


O primeiro aspecto que se nota no Mamba Chroma são suas luzes laterais que seguem a forma do mouse e dão um toque especial ao dispositivo. E as luzes não são apenas um adorno estético: além das cores poderem ser configuradas de acordo com o gosto do usuário, elas mudam em alguns games (ficando vermelha quando se joga Diablo 3, por exemplo).

A textura diferencial nas laterais garante uma maior aderência da mão do usuário, permitindo que você mantenha seu pulso firme mesmo realizando movimentos bruscos com o dispositivo. Já nos botões de clique, percebe-se que eles possuem uma queda mais acentuada para as laterais do dispositivo. Isso ocorre para que a mão se ajuste melhor e permaneça em uma posição mais ergonômica.



Algo que usuários de outros mouses da Razer podem sentir falta é que o logo da empresa não é iluminado no dispositivo. Talvez essa decisão estética tenha sido feita para que as luzes laterais do mouse recebessem mais destaque. Além disso, confesso que iria ficar estranho as luzes mudando com o logotipo tendo um padrão luminoso fixo.

O Razer Mamba Chroma também vem acompanhado de um dock para carregar a bateria do mouse e deixá-lo em modo repouso quando não estiver sendo utilizado. O dispositivo possui uma iluminação à sua volta que acompanha o padrão de cores do mouse. Um toque estético interessante, mas sem nenhuma utilidade prática além de deixar a sua mesa mais bonita.

Usabilidade

Por ser canhoto, uma de minhas principais preocupações ao utilizar um mouse é se seu design não irá prejudicar a usabilidade para mim. Felizmente, apesar de o Mamba Chrome ter sido confeccionado para usuários destros, não tive problemas ao usar o dispositivo. Com cerca de 12 cm de comprimento por 7 cm de largura, seu tamanho se ajusta sem problemas tanto para destros quanto para canhotos.
É notável a diferença de peso do Mamba Chrome em comparação a outros mouses com fio da Razer. Esses 125 g existem principalmente pela presença da bateria interna instalada na parte traseira do aparelho. Porém, esse peso adicional não atrapalha os movimentos do mouse através da superfície.

Quanto ao clique dos botões, o ajuste padrão já produzia um nível de conforto, precisão e resposta excelentes. Porém, a sensibilidade do clique pode ser ajustada tanto para o botão esquerdo quanto para o direito do aparelho através do uso de uma chave reguladora especial, na parte inferior do mouse. Essa possibilidade de ajuste é ótimo para quem utiliza mais um botão do que o outro e não quer o outro dedo esbarrando em um botão por acidente.



Além de servir como base carregadora, o dock do Mamba Chroma serve como base transmissora do sinal wi-fi. Para utilizar o mouse no modo sem fio, é necessário conectar o cabo de cerca de 3 metros ao computador. Porém, se o usuário desejar, ele pode utilizar esse mesmo cabo para conectar o mouse diretamente à máquina.

No entanto, o dock não ajuda muito o usuário que deseja utilizar o mouse fora de uma mesa como no sofá ou na cama, para isso tendo que recorrer ao cabo USB. Nessas horas, você sente falta de um pequeno adaptador wireless como outros mouses similares utilizam para tornar a tarefa de levar o computador e o mouse consigo para outros lugares mais simples.

Desempenho

Durante nossos testes, além de realizar tarefas comuns com o mouse como edição de imagens e similares, testamos o dispositivo com três jogos - tanto no modo com fio quanto wireless - Bioshock Infinite, Diablo 3 e Heroes of the Storm. A escolha dos games foi decidida em pró de títulos que pudessem utilizar todas as funcionalidades do mouse como precisão, tempo de resposta e sensibilidade. Bioshock Infinite é um excelente FPS para testar todos os aspectos mencionados e tanto Diablo 3 quanto Heroes of the Storm servem como base para avaliar o tempo de resposta e sensibilidade.

Em Bioshock Infinite, pode-se perceber uma leve diferença no nível de precisão ao se mirar nos objetos e inimigos no modo wireless. Conforme seria o esperado, no modo com fio a precisão é maior que no modo wireless. Porém, essa diferença não é muito grande e não iria atrapalhar um jogador que utilizasse o mouse nesse modo sem fio por uma quantidade de tempo maior.



Já tanto em Diablo 3 quanto em Heroes of the Storm, obtive ótimo tempo de resposta para os cliques do mouse (além de ter o dispositivo brilhando em diferentes cores dependendo do que estivesse fazendo no game). Não se percebeu diferença de desempenho utilizando no modo com fio ou wireless. Os botões de sensibilidade próximos à roda são muito úteis nesse gênero de game para poder ajustar o nível de movimento do mouse, uma vez que em certos combates pode-se precisar mover o dispositivo mais rápido do que se costuma utilizar.

Em termos de games, o Mamba Chroma entrega a qualidade e o desempenho que a empresa promete para um mouse wireless, porém sua funcionalidade sem fio é prejudicada quando o mouse entra em modo de espera. Ao permanecer inativo por mais de 3 minutos, as funções do
Mamba Chroma são desabilitadas e ele leva uns bons segundos para se reativar. Esse tempo excessivo do retorno do modo de espera é ruim para a experiência do usuário (principalmente dependendo da atividade ou game que esteja envolvido), portanto certifique-se de ao menos ajustar o tempo para entrar no modo de repouso através do software específico para o mouse, o Razer Synapse.



Mesmo não tendo o painel com vários botões personalizáveis em sua lateral como antigos modelos da Razer possuíam, o Mamba Chroma possui dois pequenos botões laterais do lado esquerdo que são fáceis e cômodos de utilizar, podendo ser customizados com diferentes funções de acordo com o gosto do usuário. Além disso, utilizar a roda do mouse é excelente, uma vez que ela gera uma ótima sensibilidade com os pequenos pontos de toque em sua superfície, garantindo uma boa aderência do dedo ao realizar o movimento de rolamento.

Bateria

Aqui está um quesito no qual, infelizmente, o Mamba Chroma sai perdendo. Sua bateria não é de boa qualidade. Durante nossos testes, ela durou cerca de 20 horas, porém, quando está próxima de se esgotar, o mouse alerta o usuário ao piscar luzes vermelhas pela lateral do dispositivo. Além desse curto tempo de duração quando em comparação com outros modelos, o carregamento via dock não ajuda a resolver o problema.



O dock possui uma superfície magnética que permite ao usuário simplesmente largar o mouse para que ele se conecte e inicie o carregamento. Porém, o dock carrega o mouse a uma taxa de 0.6 de carga por minuto. Ou seja, o usuário precisa aguardar por cerca de 3 horas para que o mouse carregue completamente.

Como a bateria não é removível, uma forma pela qual o usuário pode resolver o problema da sua duração é desabilitando as luzes laterais do aparelho, pois isso vai lhe garantir ao menos algumas horas a mais de uso. É uma pena que um fator de tanta importância se tratando de um dispositivo wireless não tenha tido a devida atenção dada pela Razer.

Preço e considerações finais

O Razer Mamba Chroma pode ser encontrado nas principais lojas do ramo digital a partir de R$ 745,00. Para um mouse, é um grande investimento a se fazer, então o usuário precisa analisar sua compra com cuidado. Em um mundo cada vez mais “wireless”, os periféricos de computador são alguns dos dispositivos que estão demorando para fazer essa transição para um mundo sem fios por causa da preocupação com o desempenho. Porém, o Mamba Chroma parece estar melhorando esse cenário digital.



É inegável o conforto que o design ergonômico do Mamba Chroma oferece quando se está jogando ou realizando tarefas comuns no computador. Em relação a mouses wireless, sente-se pouca diferença em desempenho, sensibilidade e tempo de resposta quando comparados ao modo com fio.

Apesar de seu modo wireless ser prejudicado pela demora excessiva para o dispositivo retornar do modo de espera e da taxa baixa de carregamento do dock, o Razer Mamba ainda é uma das melhores opções de mouses wireless para games disponíveis no mercado, vale a pena cada centavo investido.

Prós

  • Confortável e ergonômico;
  • Design simples e bonito;
  • Boa precisão e sensibilidade dos botões;
  • Alto nível de personalização.

Contras

  • Demora para retornar do modo de espera;
  • Bateria de baixa qualidade.
Razer Mamba Chroma - PC/Mac - Nota: 8.0
Revisão: Renata Bottiglia

Luis Antonio Costa escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook