Blast Test

20XX (PC), um Mega Man roguelike

E se Mega Man fosse um roguelike? 20XX, título da Batterystaple Games, responde como seria.


Existe uma vantagem bem interessante na Capcom em não lançar nenhum jogo novo da série Mega Man há cinco anos e meio, que é a quantidade de jogos de menor orçamento lançados que se inspiram em seus conceitos, embora não se limitem a eles. O exemplo mais notório deste tipo de prática é, sem dúvidas, Shovel Knight (Multi), um dos melhores jogos lançados no ano de 2014. Mesmo Mighty No. 9 (Multi) ou Azure Striker Gunvolt (3DS/PC), que têm diferenças no núcleo de seu design suficientes para gerar discussões em torno das comparações, são títulos que satisfazem os fãs em tempos de escassez.

20XX (PC) é mais um destes jogos que partem de Mega Man e alteram uma premissa fundamental de seu design para ver no que vai dar. Neste caso, a pergunta foi “o que mudaria se nós resolvêssemos tornar Mega Man X4 (Multi) em um jogo do gênero roguelike?”. Após jogar bastante e pensar no que vi, diria que 20XX é a melhor resposta para esta pergunta.

O que tem de Mega Man?

De cara, a clara inspiração para os personagens principais. Ambos podem pular, dar dashes e wall jumps, e o que os diferencia é que Nina atira e pode carregar seu tiro e Ace pode atacar com a espada, a curta distância, exatamente da mesma forma que X e Zero, respectivamente, fazem em Mega Man X4. Até a paleta de cores de ambos é a mesma de suas inspirações, embora estaticamente o jogo se pareça pouco com a saga X. A arte dos personagens me lembra muito a saga Mega Man ZX, mas como eu não sou entendedor de arte, deixo as imagens abaixo para vocês concluírem;


Outro fator que não é inspirado, mas que a Batterystaple Games teve o cuidado de fazer, foi uma trilha sonora bem interessante. São músicas que ficam na cabeça e dão vontade de continuar jogando, diria que uma das melhores que ouvi este ano.


Tive dificuldade em escolher a minha favorita, então vão as duas!

Eu diria que as semelhanças param aqui, o que é ótimo para agradar fãs, já que os princípios de controle de personagem são iguais, o que significa que 20XX é um jogo que preencherá o vazio dos fãs esperançosos com o retorno de Mega Man. Mas parar aqui também é ótimo porque significa que temos desafios com uma nova cara.

No que difere de Mega Man?

Espinhos são tão fatais em Mega Man que se tornaram meme. Idem para os excessivos buracos (que, curiosamente, são considerados péssimas práticas de level design, o que prova que cartilhas não devem ser levadas a risca em um trabalho criativo). Estes dois obstáculos tornam Mega Man um jogo de executar pulos precisos. Em um roguelike, manter esta característica tornaria o jogo bastante punitivo, então uma decisão era necessária: manter os pulos precisos, tornando a punição, em caso de falha, mais branda ou retirar os pulos precisos? A primeira opção foi a escolhida e, dado que isso contribui para manter um fator crítico de gameplay de Mega Man, foi a opção mais correta, porque o erro ao pular continua sendo bastante punitivo, por se tratar de um roguelike.
Outra mudança crítica foi a adição de um cronômetro. Seu fim não significa derrota imediata, mas concluir a fase (e todas têm um boss para vencer) antes dele zerar significa que um bônus extra será obtido antes de ir para a próxima fase (estes bônus serão explicados no próximo parágrafo). Isso torna a progressão mais desafiadora, afinal, o jogador terá de decidir entre a segurança de jogar com calma e a recompensa maior do risco. Se parasse por aí, estaria de bom tamanho, mas ainda há uma sacada incrível. Se você explorar a fase, pode encontrar mais um bônus, de difícil acesso. Isso significa que seu domínio das mecânicas do jogo podem te recompensar com três bônus por fase. Quem já jogou algum roguelike sabe o valor disso.

Sobre os bônus, eles são o que garantem a evolução do jogador. Trata-se de upgrades na velocidade, pulo, aumento no total de saúde ou energia, etc. A energia é importante porque é com ela que podemos usar a arma obtida ao vencer um chefe, embora até esta obtenção seja opcional, já que, ao fim da fase, podemos escolher um entre três bônus, e a arma é apenas uma delas.
Por fim, uma última diferença entre os dois reside na existência de um modo cooperativo, que não tive a oportunidade de testar.

Vai satisfazer os fãs, mas ainda precisa melhorar

Como dito anteriormente, 20XX irá cobrir uma necessidade dos fãs de Mega Man. Mas melhorias ainda precisam ser feitas. A geração aleatória dos estágios precisa ser polida, e os próprios estágios têm pouca variedade. Além disso, ainda é possível perceber quedas de frames ao longo do jogo, o que é perfeitamente razoável para um título em acesso antecipado.

A pergunta que fica é: colocá-lo em acesso antecipado foi a melhor opção? Sem dúvidas, a Batterystaple Games tem mais informação que eu para responder a esta pergunta, mas não me parece o tipo de jogo adequado para a situação. Decerto a forma positiva como 20XX me conquistou é um belo contra-argumento para refutar o que eu afirmo.

Revisão: Jaime Ninice
Capa: Felipe Araujo

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.