Jogamos

Análise: The Cat Lady (PC) mostra o quão longe os jogos podem ir

Um adventure de horror chocante, surpreendente e tocante do início ao fim.


The Cat Lady é um jogo no estilo adventure de terror psicológico desenvolvido por Remigiusz Michalski e lançado para PC em dezembro de 2012. Sendo um indie de um estilo longe de estar no ápice de popularidade e feito em uma ferramenta simples, o jogo inicialmente recebeu pouca atenção, mas ganhou popularidade e notoriedade com o tempo por sua qualidade em diversos aspectos, e já adiantando o resto da análise, não é à toa.

Simples, porém impecável

O jogo não parece bonito à primeira vista, com gráficos crus e com aparência de recortes, porém, a consistência e a temática do jogo alteram a forma com que se percebe seu visual. Todo o aspecto visual do jogo é extremamente eficiente em reforçar a narrativa densa e o ambiente triste através do intenso uso de tons de cinza e de harmonias monocromáticas.

As cores reforçam o tom sombrio ao longo do jogo

O aspecto de recorte, que muitas vezes lembra fotografias, tanto reforça o realismo que o tema é tratado quanto lembra adventures mais antigos. O visual do jogo pode não ser agradável a quaisquer olhos, mas não é para ser. Sua crueza é bem trabalhada propositalmente para reforçar todo o clima do jogo e obtém sucesso nisso.

O jogo também destaca seu tema através de uma trilha sonora impecável, não só com músicas que conferem a ambientação esperada para o jogo, mas com efeitos sonoros bem escolhidos e utilizados de uma forma a aumentar a imersão e, por consequência, a tensão que o jogo se propõe a causar. Mas o principal ponto a destacar aqui é a dublagem, com vozes incríveis para as personagens e uma atuação impressionante para um jogo independente.

A dublagem durante diálogos é simplesmente impecável

Em termos de jogabilidade, o jogo mantém-se bem executado. Mesmo eu, não sendo um grande fã do estilo, consegui manter-me jogando, não só pelo excelente enredo que me motivava, mas por quebra-cabeças bem pensados e executados. Os elementos estão sempre bem dispostos e os comandos são claros.

A movimentação é pouco estranha, não sendo muito fluida, mas como não é necessária precisão nela, é algo pouco notável. Também há pequenos problemas técnicos de perfomance, relacionado a pequenos efeitos do jogo, como em partes nas quais há uma neblina densa. Esses problemas, porém, podem ser resolvidos alterando algumas configurações.

Uma história como poucas

O que realmente merece ser destacado sobre o jogo, no entanto, é sua narrativa. Todas as personagens são extremamente bem construídas, com destaque para a protagonista, Susan Ashworth, que rapidamente se torna marcante para o jogador, com características fortes e consistentes, mesmo com seu desenvolvimento ao longo do jogo. Não apenas as personagens são bem construídas como toda a evolução do enredo e da forma como o jogo trata suas temáticas principais, que é um mérito todo especial.

Susan é uma heroína da vida real
The Cat Lady, apesar de seus elementos sobrenaturais, não é um jogo sobre uma história épica ou uma grande aventura. The Cat Lady fala, acima de tudo, sobre uma jornada pessoal. O jogo trata ao mesmo tempo de temas como depressão e suicídio com a delicadeza necessária, sendo ao mesmo tempo muito cru e impactante.

Depressão e suicídio não são um tabu neste jogo
Não acho que tenha nada de errado em histórias de fantasia, mas é interessante ver como jogos se aproveitam tanto desse tipo de narrativa e esquecem de abordar questões mais presentes em outras formas de arte e que são mais próximas de nós, talvez até por ser uma mídia mais recente. E é aí que The Cat Lady mostra que os jogos podem dar um passo à frente e tratar das questões do mundo real com a dignidade que elas merecem. Certamente um jogo memorável tanto para quem gosta de horror ou para quem gosta de adventures, ou para quem simplesmente gosta de uma boa história.

Prós

  • Visual bem trabalhado;
  • Dublagem impecável;
  • Enredo inovador e envolvente.

Contras

  • Movimentação um pouco travada;
  •  Pequenos problemas técnicos.  
The Cat Lady — PC  — Nota: 9.0
Revisão: Vitor Tibério
Capa: Diego Migueis

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google