Postal: porque tudo nele pode morrer, menos a polêmica

Noa anos 90, a franquia Postal gerou muita polêmica por causa de sua violência, mas a repercussão disso foi muito além dos games.

Poucos sabem ou ainda se lembram, mas, no ano de 1997, o mundo dos games foi marcado pelo lançamento de um dos games mais polêmicos já criados. Não, não estou falando de GTA, apesar de este ter sido lançado um mês antes, mas sim de Postal. O título do jogo foi inspirado na expressão de língua inglesa “Going Postal”, que pode ser traduzida como “estourar a raiva”. Um detalhe interessante é que esta expressão foi inspirada em dos mais terríveis massacres da história norte-americana, quando, em 20 de agosto de 1986, o carteiro Patrick Henry Sherrill, diante da perspectiva de que seria demitido de seu emprego, pegou duas armas e matou 14 companheiros de trabalho.
Foto de Patrick Henry Sherril

Um mergulho sobre os jogos da franquia

Devido à intensa violência contida nos jogos da franquia Postal, sua venda foi proibida na Austrália (o que continua acontecendo hoje em dia com vários jogos) e na Nova Zelândia, além, é claro, de ter sido processado pelo serviço de correios Norte Americano, que não gostou nada do nome atribuído ao game.



Desenvolvido e publicado pela Running with Scissors, o primeiro título da franquia, Postal (PC), trata-se de um shooter isométrico em terceira pessoa com a câmera acima do personagem em algumas partes do jogo e o cenário de fundo feito a mão. Na jogabilidade, você controla o personagem Postal Dude e tem como objetivo espalhar o caos, matando desde policiais e pessoas armadas (Hostiles), a, até mesmo, pessoas desarmadas que imploram por suas vidas. Apesar de ter fases, o jogo parece não ter uma história principal. Mesmo possuindo uma legião de fãs, o primeiro jogo da franquia foi considerado mediano pela crítica em geral.



Seis anos depois, em 2003, ainda desenvolvido e publicado pela  Running with Scissors, foi lançada a sequência: Postal² (PC), em que volta-se a assumir o papel da personagem Postal Dude.  Entretanto, com uma experiência de jogo completamente reformulada: agora um FPS, com visão em 1ª pessoa, em um cenário de mundo aberto. O game agora é também dividido em dias da semana: segunda a sexta, no modo normal, e todos os sete dias da semana, na expansão A week in Paradise (Uma Semana no Paraíso).
Gary Coleman, ator dos seriado Arnold nos anos 70
Em cada um dos dias, o jogador tem que cumprir uma lista predeterminada de tarefas aparentemente simples (como buscar leite, por exemplo). Porém, durante essas ações, o personagem é quase sempre surpreendido com fatos imprevisíveis e até mesmo surreais. Dentre estas, vale a pena destacar: primeiramente, a quest onde você tem que ir ao Shopping Center conseguir um autógrafo de Gary Coleman – famoso por protagonizar o seriado Arnold nos 70 – e também onde você precisa retirar seu pagamento na Running with Scissors (empresa desenvolvedora do jogo). Mas, na entrada empresa, a personagem da de cara com um grupo de manifestantes, os “Pais pela decência”, que protestam contra jogos violentos, ou seja, claramente, um crítica ao modo negativo com que a  mídia falava do primeiro jogo da franquia e suas diversas  proibições.



No final de 2011, foi lançado mais um jogo da franquia, Postal III (Multi). Diferente de seu antecessor, segue um gameplay linear, dividido em fases. Há também a aparição de algumas celebridades, como Ron Jeremy, Jennifer Walcott, Randy Jones e Uwe Boll. Além ainda de alguns personagens históricos, como: Sergei Mavrodi, Osama Bin Laden e Hugo Chávez. Entretanto, apesar dos enormes avanços gráficos, o jogo, desta vez, não agradou nem a crítica nem aos fãs do gênero.

Off-Topics

Em 2003, o grupo de hip-hop, Black Eyed Peas, lança seu 3º single: Elephunk. No clipe musical de sua música de maior sucesso, Where is the Love, mostra dois jovens jogando Postal2. A música critica a violência, a guerra e o preconceito, todos elementos fortemente presentes no segundo título da franquia.
Crianças jogando Postal 2, no clipe musical: Where is Love da banda Balck Eyed Peas
Novamente, Postal2 se destaca, só que dessa vez, por incrível que pareça, positivamente! Em 2009, o jogo virou peça de museu, ele fez parte da exposição "Liberdade de Expressão", organizada pelo Museu Nobel da Suécia nos meses de fevereiro a setembro. A entrada da exibição dizia: "A liberdade de expressão é um direito humano e uma condição para a democracia. Mas ao longo da história as pessoas foram privadas desse direito pela opressão e censura".
"Não! Mais uma adaptação
cinematográfica destruída pelo Bool!"

Mas as curiosidades ainda não acabam por aí! Em 2007, o diretor alemão Uwe Boll, famoso por fazer adaptações de games para o cinema (House of Dead, Alone in the Dark, Far Cry, entre outros) também levou Postal para as telonas. O longa-metragem ficou toscamente conhecido no Brasil como Salvem-se quem Puder. Mas não se engane! Ao invés de fazer um filme sério e sombrio, o filme é uma comédia, utilizando-se de uma boa dose de humor-negro que, muitas vezes, beira aos besteiróis americanos. Apesar de tudo, este é considerado um dos melhores filmes de Boll e também o mais fiel dos games que ele levou para as telonas.

Por que ele não morre logo de uma vez?

Quando a adaptação do game foi para o cinema, a Running with Scissors, para fazer um marketing do filme, lançou o título: Postal2: Share the Pain, um versão melhorada contendo um modo multiplayer e um novo editor de fases. Quem já tivesse o game ainda poderia fazer um upgrade gratuitamente para nova versão.

Em 2012, em comemoração ao 10º aniversário da franquia, o próprio estúdio veio a público para pedir ajuda aos fãs para que o jogo Postal2 fosse relançado (incluindo todas as expansões) para PC, agora pela plataforma Steam. A votação aconteceu através do Greenlight, sistema disponibilizado pela Valve para o lançamento de jogos em sua plataforma. O resultado foi surpreendente: o game, que parecia estar esquecido, em poucos dias conseguiu votos suficientes para garantir seu lugar no Steam.

Recentemente, no Halloween do ano passado, para ser mais preciso, a versão de Postal2 no Steam recebeu uma enorme atualização, em que foram consertados vários bugs de áudio, glitches e acrescentados alguns novos atores.

 Por último, mas não menos importante, na última E3 nós fomos novamente surpreendidos com um anúncio de uma nova DLC chamada de Paradise Lost, para... não, não é para o Postal III! Novamente, Postal2 foi o contemplado.  A DLC foi prometida para o final do ano passado, mas, infelizmente foi adiada para 2015.

Enfim, acho que ainda iremos ouvir falar muito sobre Postal nos próximos anos!

Revisão: Jaime Ninice
Capa: Felipe Araujo



Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google