Jogamos

Análise: Blackguards 2 (PC) leva o jogador de volta a um universo fantástico de estratégias

Retorne ao mundo de Aventuria e embarque em uma jornada de combates em que o mais importante é planejar cada ataque.


Blackguards conseguiu ressucitar um genero que estava quase abandonado no mundo dos games de PC: o RPG de turnos. O game não trouxe muitas inovações, mas mostrou uma sólida mecânica que foi capaz de se misturar bem a um visual rico em detalhes, lembrando um jogo de RPG de tabuleiro virtual. A continuação desse game diferenciado não traz muitas novidades. O que o jogador vai encontrar é um título quase similar ao seu antecessor mas que, em alguns detalhes, consegue melhorar aspectos que o primeiro game tentou criar mas não teve sucesso.

Batalhas não se vencem somente com armas

Assim como em seu antecessor, a palavra-chave de Blackguards 2 é estratégia. O jogador é colocado em um cenário no qualonde ele precisa se movimentar por blocos hexagonais e escolher entre duas ações: atacar ou esperar. E os combates não ficam por conta apenas do personagem do protagonista, já que ao longo da jornada o jogador irá encontrar outros membros que irão se unir a sua equipe. E é aí que a verdadeira ação do RPG de turnos começa. O jogador precisa pensar na estratégia mais eficaz para se ganhar o combate, seja ela um ataque direto ou uma abordagem mais stealth, até mesmo utilizando objetos do cenário a seu favor.


O enredo de Blackguards 2 segue os mesmos moldes do game anterior, ou seja, não espere nenhuma história surpreendente, apenas uma trama clichê que serve para unir os elementos do game de uma forma concisa. A diferença dessa vez é que a história está mais agradável de se apreciar. Os textos que aparecem durante os combates são curtos e bem construídos, assim como os diálogos entre os personagens, que são mais elobarados e interessantes. Pode-se dizer até que os heróis herdados do game anterior foram aproveitados de forma correta e realmente se fundem ao universo do jogo.

O sitema de evolução dos personagens foi simplificado. Agora não é complicado escolher qual habilidade investir quando se ganhar experiência suficiente. O jogador pode distribuir pontos com mais facilidade sem ficar se penalizando por valorizar uma habilidade em detrimento de outra. Os menus e a manipulação dos elementos do inventário também foram levemente modificadas, mas o jogador que já estava acostumado com o estilo de Blackguards vai se sentir muito confortável com o visual da continuação.

Uma nova aventura, os mesmo problemas

Infelizmente, evolução não é uma palavra que pode ser utilizada para se falar sobre Blackguards 2. Em todos os aspectos, o game parece uma cópia de seu antecessor. Se não fosse pela história, que mesmo assim não é muito diferente, o título poderia ser considerado como uma expansão do primeiro game. Mesmo o visual dos ambientes do jogo não sofreu nenhuma melhora. Se os dois fossem colocados lado a lado ficaria complicado diferenciar um do outro.

Blackguards 2 é apenas um melhoramento de seu antecessor. O game consegue aperfeiçoar vários aspectos do primeiro título mas ainda fica preso a velhos problemas. Os menus continuam visualmente feios, a história ainda é desinteressante e o game é muito devagar. Apesar disso, Blackguards 2 é um excelente título para o gênero de RPG de turnos e consegue cumprir os objetivos que ele mesmo se propõe: criar um ambiente que permite ao jogador criar várias estratégias e montar os combates da maneira que desejar.


Prós

  • Menos tutoriais que o antecessor;
  • Personagens com mais personalidade.

Contras

  • Sem evolução na mecânica de combates.




Blackguards 2 — PC — Nota: 7.5

Revisão: Vitor Tibério
Capa: Stefano Genachi 

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook