Jogamos

Análise: Cangurus são para os fracos! Em Sonic Jump (Android/iOS) você vai pular com o ouriço

Alguns anos atrás, lembro-me que descobri um joguinho mega viciante e que continha uma premissa extremamente simples. O game contava co... (por Ok em 13/12/2013, via GameBlast)


Alguns anos atrás, lembro-me que descobri um joguinho mega viciante e que continha uma premissa extremamente simples. O game contava com um personagem cujo único objetivo era, só Deus sabe o porquê, sair pulando de plataforma em plataforma até chegar ao topo de uma torre que parecia não ter fim.

O nome do jogo em questão é Icy Tower e, assim como a maioria dos games no gênero "corrida infinita", viciava por algum tempo e esfriava depois. O que me leva a crer, então, que um título basicamente nos mesmos moldes, apenas trocando o personagem principal por Sonic, o ouriço, e adicionando diversos elementos da franquia da Sega, valeria meu precioso dinheiro?

Pulando como um ouriço

Bem, para começar, Sonic Jump, título lançado pela desenvolvedora para iOS e Android, não é um jogo de corrida infinita se o jogador não quiser. Permita-me explicar: cada nível no modo História possui um final, sendo alguns mais longos ou mais complexos do que os outros, e alguns, como as batalhas contra o dr. Eggman, contendo padrões que se repetem apenas até que o jogador consiga derrotar o ovalado.

Estranhamente, aqui os inimigos só podem ser abatidos por baixo.

Apenas no modo Arcade é que o game ganha um toque de corrida infinita, permitindo que o jogador vá pulando até cair ou ser derrotado. O ritmo, no entanto, continua um tanto lento se comparado à maioria dos jogos do citado gênero. E é aí que mora um dos maiores pecados do game.

Raio azul?

Vários personagens,
cada um com sua
habilidade.
Caro leitor, se você clicou neste artigo querendo ler sobre um jogo do ouriço mais rápido do mundo dos games, peço minhas sinceras desculpas: o artigo que você estava procurando é o Blast from the Past do primeiro game de Sonic.

Eu poderia engolir qualquer desculpa da Sega, desde "ajude Cream, o coelho, a salvar o mundo das garras de Eggman" até "nesta aventura vertical, a estrela é Tails". Apesar disso, eles decidiram colocar Sonic para lerdamente pular de uma plataforma a outra para derrotar Eggman. Pelo menos incluíram a possibilidade de selecionar outros personagens depois de um determinado nível.

A jogabilidade do game também não contribui muito para este cenário, apesar de ser super intuitiva. Veja: durante toda a partida, seu personagem irá pular automaticamente, dando ao jogador apenas o controle de direção através do giroscópio do dispositivo e do pulo duplo ao tocar na tela. Algumas vezes você se verá pulando como um doido na mesma plataforma, enquanto espera o momento certo para passar à próxima.

Do vale verde ao céu azul

Sou do tempo em que
o "ovalado" ali se
chamava Robotnik.
O mundo onde o jogo se passa, em contrapartida, não poderia estar melhor ambientado. Prepare-se para encontrar todos os inimigos e perigos clássicos dos jogos de Sonic, além, é claro, dos queridos anéis de força (que o game, apesar de estar totalmente traduzido para o português, insiste em chamar de "rings").

Também é possível encontrar, em meio às fases, os famigerados televisores contendo itens especiais, como o escudo e o campo magnético, tirados dos jogos clássicos, e também itens novos, como as bombas e o "tempo de ring". Outros itens, que podem ser comprados na loja do jogo, incluem o lançamento inicial e o rebote, podendo ser adquiridos com os anéis coletados.

Infelizmente, coletar um número suficiente de anéis não é uma tarefa tão simples. É aí que entra a ganância dos produtores. A Sega vai ter que me desculpar, mas transformar um título que já não é gratuito para jogar em um game "pay-to-win" é algo que beira o absurdo.

Falando em absurdos, se você espera conseguir aquela dose extra de nostalgia com a trilha sonora do jogo, pode ir tirando o ouriço da chuva. Muito embora os efeitos sonoros clássicos estejam todos presentes e algumas zonas sejam capazes de despertar lembranças nos fãs da franquia, as músicas, apesar de belas, são totalmente novas. Então, nada de "nanan-nanan-nanan-nan" na zona do vale verde.
Apesar de todos os pontos desfavoráveis, Sonic Jump consegue ser um game divertido que não enjoa fácil. Se gostar do estilo Icy Tower, prepare-se para passar algumas horas tentando passar cada um dos diversos níveis contidos no jogo, ou apenas se divertir enquanto espera sua vez na fila do banco. A decisão é sua.

Prós

  • Excelente ambientação, com inimigos, itens e cenários retirados diretamente da série clássica;
  • Vários personagens diferentes a serem desbloqueados;
  • Cada nível no modo História possui um final estabelecido, ajudando a interromper a monotonia;
  • Jogabilidade super intuitiva;
  • Efeitos sonoros clássicos e músicas bem compostas. 

Contras


  • Um jogo incrivelmente lento estrelando o raio azul;
  • Quando mantidos na mesma plataforma por tempo demais, os personagens se comportam como doidos, pois não podem parar de pular;
  • Dificuldade em coletar grandes quantidades de anéis, transformando um game que já é pago em "pay-to-win";
  • Ausência total das músicas clássicas, sendo a mais notável o tema da zona do vale verde.
Sonic Jump - Android/iOS - Nota Final: 6.5

Revisão: Marcos Silveira
Capa: Igor Silva 

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.