Resenha

Gostou do filme Elysium? Então dê uma chance a versão de utopia espacial de Deponia

Talvez você tenha ouvido falar de Elysium , o filme de ficção científica e ação lançado em 20 de setembro e dirigido por Neill Blomkamp , ... (por Bruno Grisci em 09/10/2013, via GameBlast)

Talvez você tenha ouvido falar de Elysium, o filme de ficção científica e ação lançado em 20 de setembro e dirigido por Neill Blomkamp, o mesmo diretor de Distrito 9, com atuação de Alice Braga e Wagner Moura. A história se passa em 2154, um futuro onde o planeta Terra foi tão detonado que a elite preferiu simplesmente construir uma estação espacial gigante chamada Elysium e ir viver uma vida utópica lá, enquanto o resto da população do planeta precisa sobreviver em uma situação miserável em meio a lixo e ruínas, sendo explorada e oprimida. Em meio a isso, o terráqueo Max (Matt Damon) tenta descobrir uma forma de deixar a Terra.

Talvez você tenha ouvido falar de Deponia, uma série de adventure point-and-click de ficção científica desenvolvida pelo estúdio alemão Daedelic Enterteinment, cujo primeiro e segundo capítulos, Deponia e Chaos on Deponia, foram lançados em 2012. A história se passa em um planeta chamado Deponia, onde a elite construiu uma estação espacial gigante chamada Elysium e foi viver uma vida utópica lá, enquanto o resto da população vive em situação miserável em meio a lixo e ruínas na superfície. Em meio a isso, o deponiano Rufus tenta descobrir uma forma de deixar sua terra natal.

Espera um pouco, como assim? Será possível que filme e jogo possuam a mesma história sem estarem conectados? A resposta é… “não é bem assim”. As duas tramas de fato possuem sinopses muito parecidas e tratam de alguns temas similares, mas considerando o tempo de desenvolvimento e lançamentos próximos, é difícil que tenham tido influência uma na outra. Malte Malone, gestor de comunidade da Daedelic, inclusive respondeu a um fã na página do Facebook da empresa que comentou a semelhança entre as duas obras com um simples “só soa familiar, até onde sei”.

A verdade é que, fora a coincidência dos mundos destruídos com uma utopia os orbitando, filme e jogo possuem estilos bem diferentes. Enquanto Elysium investe em efeitos especiais avançados, uma história principal mais simples com crítica e mensagem bem definidas e altas doses de ação, Deponia é um jogo cartunesco e de humor negro, e a jogabilidade focada em resolver puzzles dá um ritmo diferente ao andamento do roteiro. Os personagens principais também não poderiam ter personalidades mais diferentes. Ambos são perdedores, mas Max, um ex-ladrão de carros que sofre um acidente e tenta chegar a Elysium para salvar sua vida, segue o esteriótipo de herói kick-ass de Hollywood que sai enfrentando todo mundo e tenta salvar a moça em perigo. Já Rufus é um sujeito desastrado, mesquinho e arrogante cuja vida basicamente se resume às tentativas falhas de fugir de Deponia. E Goal, seu interesse romântico, provavelmente estaria mais segura se ele não tentasse ajudá-la.

A Elysium dos cinemas...
Mas então de onde veio essa semelhança? Como já mostramos por aqui, The Legend of Zelda: Skyward Sword referencia um conto budista, e BioShock Infinite também tem seus pontos de interseção com a trilogia Fronteiras do Universo (aliás, Columbia é outro exemplo de utopia voadora). Elementos repetidos em obras diferentes são reflexo das influências, referências e contexto ao qual artistas de uma mesma época estão expostos e acabam sendo transportados para seus trabalhos, sejam eles filmes, jogos ou livros.

Se você acha que dois satélites artificiais voadores com mesmo nome é coincidência demais, contudo, saiba que isso tem explicação. Elísio ou Campos Elísios (Elysium em inglês) é uma espécie de paraíso na mitologia grega. Essa região do mundo dos mortos seria um local de paz reservado para os homens corretos e os escolhidos dos deuses, e aparece em textos famosos como a Odisséia de Homero e A Divina Comédia de Dante Alighieri. O filme e o jogo apenas pegaram o nome emprestado como metáfora de seus “paraísos”.

Em todo caso, o alcance de Elysium é muito maior que o de Deponia, como é de se esperar sempre que você confrontar um blockbuster de Hollywood com um adventure de um pequeno estúdio alemão, mas não deixem isso ofuscar o jogo. As duas histórias podem contar com seus “Campos Elísios”, mas só em Deponia temos ornitorrincos, golfinhos com mísseis e perturbações no espaço-tempo. E isso faz toda a diferença.

... e a Elysium dos jogos.
Goodbye Deponia, o título que fecha a trilogia, será lançado dia 17 de outubro para PC.
Capa: Doug Fernandes e Daniel Silva

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google