Jogamos

Domine as sombras como nenhum ninja jamais fez em Mark of the Ninja (PC)

Se existe uma figura histórica que permaneceu mesmo com o passar dos anos envolta em fascínio e mistérios, essa com certeza é a do ninja. ... (por João Pedro Meireles em 20/10/2013, via GameBlast)

Se existe uma figura histórica que permaneceu mesmo com o passar dos anos envolta em fascínio e mistérios, essa com certeza é a do ninja. Esses guerreiros japoneses que se destacavam pelas habilidades de passar por seus alvos (e, muitas vezes, até mesmo assassiná-los) da forma mais silenciosa possível, sempre foram um objeto de uso constante da indústria de entretenimento. E, é claro, isso não seria diferente com os jogos, que costumam nos presentear com a possibilidade de controlar esses guerreiros sombrios em suas sórdidas missões. Mark of the Ninja é um jogo indie que não se preocupa em inovar esse gênero, mas sim elevá-lo a um patamar de excelência, por meio de seu visual simples, mas bem feito, e sua mecânica de jogo apurada.

Esconda-se nas sombras

Como todo bom jogo indie, Mark of the Ninja não possui grandes recursos gráficos e conta com uma apresentação simples, porém extremamente bem feita. Com um visual repleto de Cel Shading, conjunto de técnicas empregadas para fazer o game parecer com um desenho ou HQ/Mangá, Mark of the Ninja apresenta cenários muito bonitos e que conseguem até prender a atenção do jogador.
É melhor ficar longe das luzes
Essa qualidade na arte do jogo permanece por todos os aspectos da jogatina, não ficando apenas nos cenários. Desde as belíssimas cutscenes do game, até as animações após executar cada ação, tudo em Mark Of The Ninja parece ter sido feito com muito capricho e atenção, fazendo o jogador até mesmo esquecer que se trata de um jogo independente e com poucos recursos.

Abrace as sombras, ou morra nas trevas

Como todo bom jogo de Ninja a jogabilidade de Mark of the Ninja é baseada em uma só palavra: stealth. Embora seja possível atacar alguns oponentes no mano a mano, dificilmente o jogador conseguirá levar a melhor sobre um grupo maior do que dois oponentes, tornando a aproximação silenciosa a única forma viável de completar as missões do game. E é exatamente aí que Mark of the Ninja brilha, seja pelas diversas animações de golpes escondidos, até as diversas formas possíveis de se concluir um objetivo, o jogo sempre passa a impressão de que possuímos diversas formas de realizar nossa missão, fazendo o jogador pensar em qual delas é a melhor para cada situação.
Acerte as sequências para evitar chamar a atenção
Desde assassinatos aéreos, até por dentro de tubos de ventilação, o jogador sempre terá uma forma eficiente de matar seu oponente de forma silenciosa (ação que garante mais pontos no game, que posteriormente são trocados por novas habilidades). Entretanto, nem sempre matar oponentes é a forma mais eficiente de se passar por cenários (em especial quando há uma grande quantidade de inimigos concentrados). Mark of the Ninja, ao contrário de outros games do gênero, também recompensa o jogador também apenas por desviar e passar despercebido por oponentes, ação que pode ser feita distraindo os mesmos com os diversos aparatos clássicos - e outros menos ortodoxos - de um ninja.
Um bom ninja escolhe bem seu equipamento
Entretanto nem tudo é perfeito não é mesmo? Uma das grandes fraquezas da versão para PC do game que impede justamente de aproveitar essa fluída e divertida jogabilidade são os controles. Se você possui um controle de Xbox para usar, pode pular esse parágrafo. Mas se você, assim como eu, se arriscar a experimentar esse jogo no seu teclado, não se impressione em errar algumas vezes ou não conseguir realizar as tarefas que você deseja, pois os controles da dupla teclado/mouse são algumas vezes imprecisos. É bom ressaltar que esses momentos não são tão comuns a ponto de estragar a experiência de Mark of the Ninja no PC mas por se tratar de um game stealth essas imprecisões podem muitas vezes custar a vida de seu personagem.

A marca do ninja

Com uma campanha de aproximadamente sete horas, Mark of the Ninja possui um “fator replay” muito bom, ainda mais se levarmos em conta seu preço inferior ao de muitos blockbusters, e consegue prender o jogador por muito tempo. Embora a história seja um pouco fraca e clichê, o que é perfeitamente recompensado pelas ótimas cutscenes que a explicam, ela é capaz de atrair a atenção do jogador enquanto a trama se desenrola, fazendo com que a experiência do jogo não seja resumida a apenas matar oponentes sem motivo.
Com algumas referências boas, como a clássica caixa de papelão da série Metal Gear, Mark of the Ninja é uma homenagem ao gênero stealth. Se cada vez mais vemos esse maravilhoso gênero sendo distorcido pelos grandes títulos, que acabam deixando a parte “silenciosa” de lado em prol da “ação”, Mark of the Ninja é a perfeita volta às origens. Resumindo toda essa análise, se você gosta de ninja, gosta do gênero Stealth ou simplesmente gosta de bons jogos, esse é o game perfeito para você.

Prós:

  • Jogabilidade que mantém a essência do gênero Stealth
  • Cenários e cutscenes extremamente bem feitos
  • Ninjas!!!

Contras:

  • Controles um tanto imprecisos
  • História pouco criativa
Mark of the Ninja - PC - Nota: 9.0
Revisão: Rodrigo Estevam
Capa: Felipe Araujo


Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook