Vem aí

Prévia: Memorável? O que esperar do primeiro jogo da DONTNOD Entertainment, Remeber Me

O primeiro jogo desenvolvido pela francesa DONTNOD Entertainment, Remember Me, será distribuído pela Capcom e chegará ao PC, Xbox 360 e P... (por Pedro Vicente em 14/04/2013, via GameBlast)


O primeiro jogo desenvolvido pela francesa DONTNOD Entertainment, Remember Me, será distribuído pela Capcom e chegará ao PC, Xbox 360 e PlayStation 3 no começo de junho. A premissa do jogo é a existência de uma sociedade, em 2084, guiada pelas memórias, ou melhor, pelo compartilhamento e manipulação destas.  Algo como um desdobramento sinistro, e muito mais sério, do Facebook. Remember Me contará a saga de Nilin, uma caçadora de memórias. Mas será que este jogo de ação e aventura conseguirá capturar as lembranças dos jogadores para si?

A sociedade das memórias

Ao construir este futuro cyberpunk, os desenvolvedores do jogo estavam preocupados em trazer alguma coisa que está em pauta na atualidade e narrar suas possíveis consequências. A partir das famigeradas e já consagradas redes sociais, o mundo de Remember Me traz uma visão do que aconteceria se as memórias fizessem parte, literalmente, dessas redes. Na sociedade do jogo, a maior parte das pessoas possui um aparelho chamado Sensen acoplado à cabeça, uma maravilha tecnológica que serve para o compartilhamento das memórias das pessoas. Memórias que podem ser compradas, visitadas e, até, alteradas por outros usuários.

Um passeio agradável pela cidade, com o Sensen acoplado
O Roteirista do jogo, e escritor de ficção científica, Stephane Beauverger conta que a principal ideia foi a de criar uma nova sociedade baseada nas memórias e na maneira como elas são administradas. Assim, além de criar um contexto interessante para o mundo do jogo, Remember Me traz o debate das redes sociais e de como elas podem afetar os relacionamentos, a vida e as memórias de seus, cada vez mais, usuários.

O palco escolhido para o jogo foi a própria cidade em que vive o pessoal da DONTNOD, Paris.

Neo-Paris, a cidade luz de 2084

Um dos grandes centros do mundo, Paris é reconstruída em Remember Me. Vemos aqui uma cidade cheia de altos e baixos, tanto do ponto de vista da arquitetura e das construções, como das relações sociais e espaços geográficos. Uma cidade altamente tecnológica e sofisticada tendo de conviver com bairros destruídos e habitados pelos temidos Leapers, pessoas que abusaram do uso das memórias e acabaram deformadas e violentas.

Neo-Paris em todo seu esplendor
A fantástica ambientação parece ser um dos pontos altos do jogo. Os cenários até agora divulgados mostram uma cidade reimaginada, mas que traz vários cartões postais da capital francesa. Passear e descobrir a nova Paris do fim do século XXI é um dos grandes chamativos de Remember Me. Os gráficos do jogo são cativantes e parecem bem competentes.

Passeando por entre bairros chiques e favelas, por entre arranha-céus e esgotos, por entre a nata da sociedade e os excluídos, a protagonista do jogo vai traçando sua história.

A caçadora de lembranças

Nilin fazendo pose pra foto
A protagonista do jogo se chama Nilin e, ironicamente, perdeu sua memória (é, não é a primeira vez que vimos isso em jogos, filmes, etc,). Logo no início de Remember Me ela foge da famosa prisão da Bastilha e se junta ao grupo Errorists, uma turma que critica a tal sociedade das memórias e aponta uma série de abusos e perigos desse estilo de vida, além de lutar contra o estado atual do mundo.

Nilin é uma caçadora de memórias, alguém com a capacidade, inclusive, de alterar as memórias dos outros. Resta esperar o lançamento do jogo para ver de que forma Nilin irá progredir em sua saga contra o império das lembranças.

Um pouco de parkour, um pouco de Batman

No que diz respeito à jogabilidade de Remember Me, algumas influências podem ser identificadas, como Mirror´s Edge e a série Arkham, por exemplo. O primeiro título influencia a forma como Nilin se locomove pelos cenários, o segundo, a forma como a guerreira trava suas batalhas.

Lembre-se, na vida real não existe botão Y e X
A exploração dos mapas será linear e a protagonista deverá se esgueirar e pular por aí para passar pelos estágios do jogo. Mirror´s Edge é um jogo em primeira pessoa, mas é impossível não relacionar com Remember Me. Assim como em Mirror´s Edge, as cores cítricas indicam o caminho nas partes de exploração, no caso de Remember Me, elas aparecem como setas indicando o local a ser alcançado.

A tela de customização dos combos
De acordo com o diretor do sistema de combate, a ideia é fazer um sistema baseado em combos, no qual o jogador terá que adaptar os efeitos destes a cada situação ou inimigo. Eles são montados através de espaços livres que o jogador combina no menu. Uma diferença perante a série Arkham é que não há bloqueio nem contra-ataque, mas sim um sistema de desvio e continuação de combo. Outro ponto a se ressaltar é que Nilin pode realizar finalizações violentas, chamadas de Memory Overload (sobrecarga de memória) em inimigos enfraquecidos.

Bagunçando a mente

Remember Me conta ainda com um outro tipo de momento em sua jogabilidade, chamado de Memory Remix. Durante o remix das memórias, Nilin poderá adulterar as lembranças de certos indivíduos ao longo da história do jogo. Nesses momentos, a câmera passa a ser em primeira pessoa e cabe ao jogador realizar uma série de ações para desencadear o final desejado. Acontece um tipo de efeito borboleta, no qual uma ação muda tudo, mas é uma estrutura de narrativa linear com um fim correto para se prosseguir no jogo. Abaixo, um vídeo de como Nilin aborda a vítima e de como se dará o Memory Remix.

A tecnologia das canções

Outro aspecto chamativo de Remeber Me é sua parte sonora. Oliver Deriviere, compositor do jogo, tentou criar músicas que tivessem relação com a sociedade criada e com a saga de Nilin. No mundo de Remember Me, as memórias, que são coisas orgânicas, são transformadas em informação tecnológica, desta forma, o compositor quis fazer o mesmo com as músicas, trazendo melodias acústicas e transplantando-as para a música eletrônica.

No que diz respeito ao progresso de Nilin, a ideia é que a música reaja à maneira que o jogador guia a personagem nos combates, como quando o combo continua a música flui, mas quando Nilin leva algum golpe a música perde seu fluxo. Ou seja, a parte musical de alguns estágios muda de acordo com a forma que o jogador guia a caçadora de memórias nos combates.

Um pouco do trabalho sonoro do jogo já foi divulgado aqui no GameBlast.

Estreia instigante

É muito difícil saber o que esperar de uma desenvolvedora que ainda não lançou nenhum jogo, mas Remember Me já criou boas expectativas. A proposta de desenvolver uma sociedade bem estruturada, que convida o jogador à imersão, poderá ser um dos trunfos do jogo. Assim como a sintonia da equipe, que, ao que tudo indica, tentou condensar o mundo imaginado por eles de diferentes formas; seja na exploração, no combate, nas músicas ou na ambientação.

Muita treta em Paris, mon amour
Resta esperar a chegada do jogo para saber se as ideias foram bem executadas: de que forma funcionará o Memory Remix, se os sistemas de combate e de evolução da personagem serão fluídos, e se os jogadores irão se encantar pela sociedade imaginada pela DONTNOD. Se tudo der certo, Remember Me tem chance de ser uma grata surpresa em um ano de enormes lançamentos como GTA V, Bioshock Infinite e Pokémon X & Y.
Remember Me (PS3, X360, PC)

Desenvolvimento: Dontnod Entertainment
Gênero: Ação e Aventura
Lançamento: 4 de junho
Expectativa: 4/5
Revisão: José Carlos Alves
Capa: Felipe Araujo

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


  1. Ainda não entendi muito esse jogo, terei que esperar uma analise detalhada pra decidir pela compra.

    ResponderExcluir

Disqus
Facebook
Google