Jogamos

Análise: Maze Runner: Prova de Fogo (Android/iOS) é uma corrida pelo mundo pós-apocalíptico

Jogo baseado no filme distópico melhora mecânicas do anterior e traz todos os personagens da sequência cinematográfica.

Continuação de Maze Runner: Correr ou Morrer (Android/iOS), o runner Maze Runner: Prova de Fogo (Android/iOS), da PikPok, segue os eventos do segundo filme, Maze Runner: Prova de Fogo (Wes Ball, 2015). Baseado na saga de livros distópicos do escritor estadunidense James Dashner, o jogo cumpre a promessa de ser fiel à produção cinematográfica.

Salvos do Labirinto, mas entrando no Deserto

Após completarem a primeira fase dos experimentos da organização CRUEL, Thomas e os clareanos se encontram livres do Labirinto e são resgatados por um exército que os leva até uma instalação segura. Apesar de finalmente desfrutarem de alguma calma e tranquilidade, logo Thomas descobre que os seus salvadores são na verdade da CRUEL, obrigando o grupo de jovens a fugir novamente, desta vez para o Deserto.

Ao contrário do primeiro jogo, no qual o gamer poderia ser um clareano original, em Maze Runner: Prova de Fogo o jogador controla unicamente os personagens do segundo filme, como Thomas, Winston, Teresa, Minho, Newt e o acréscimo dos novos aliados da sequência cinematográfica, Brenda e Jorge. O jogo se passa logo após a fuga das instalações da CRUEL, administrada pelo vilão Janson.

Agora no Deserto, os clareanos deverão correr em um mundo devastado e abandonado, tomando o cuidado de desviar de pontes quebradas, ruas destruídas, destroços de prédios e automóveis, bem como escaparem vivos dos Cranks, pessoas no estágio final da doença Fulgor que se transformaram em zumbis. O game é fiel ao segundo filme e expande os desafios enfrentados pelo grupo no Deserto.

À la graphic novel

Diferentemente de Maze Runner: Correr ou Morrer, cujos gráficos se aproximavam realisticamente do elenco e cenários do filme, em Maze Runner: Prova de Fogo, a produtora PikPok optou por uma arte gráfica próxima ao primeiro graphic novel da trilogia, também intitulado Maze Runner: Prova de Fogo. O trabalho artístico de Marcus To, Nick Robles, Andrea Mutti e Tom Derenick dão o tom do segundo game da trilogia fílmica.

Os gráficos com arte de história em quadrinhos são idênticos às fisionomias do elenco, porém a versão animada do gameplay não reproduz essa mesma fidelidade das cinemáticas. Por exemplo, o protagonista Thomas é muito diferente entre suas duas versões. Enquanto nas cutscenes os gráficos lembram o ator Dylan O'Brien, na versão animada, o personagem é quase irreconhecível.

Contudo, essa falha gráfica não se repete na mesma escala em outros personagens. As versões animadas dos demais clareanos são próximas à versão das cinemáticas, sendo o protagonista Thomas o único que sofre com a maior falta de correspondência com o ator original. Outros personagens, inclusive os novos Brenda e Jorge, são perfeitamente reconhecíveis em ambas versões: cinemática e de gameplay.


Aprimoramento de mecânica

A fluidez do primeiro jogo retorna em Maze Runner: Prova de Fogo com o acréscimo do aprimoramento e inclusão de novas mecânicas. O game é composto por dez fases com um bom nível de desafio, no qual cada corrida gera um mapa aleatório do Deserto para evitar a repetição da jogabilidade mais claustrofóbica do Labirinto. Livres no Deserto, Thomas e seu grupo devem evitar inúmeros obstáculos e sobreviver a novos elementos como tempestades de areia, corridas noturnas de baixa visibilidade e névoa.

A progressão para novas fases é baseada na conclusão dos desafios impostos a cada nível. Desafios estes que muitas vezes exigirão mais de uma corrida para completar os objetivos. O sistema que antes permitia a personalização dos atributos dos personagens foi substituído por trajes especiais, os quais são fabricados a partir dos itens coletados ao longo do Deserto.

O novo sistema de habilidades coloca todos os corredores em igualdade e se diferencia através dos trajes desbloqueáveis que dão bônus de experiência, maior resistência, entre outros atributos para ajudar o jogador a sobreviver aos desafios do Deserto. Então, para melhorar um personagem o gamer deve aprimorar as roupas dele.

Esquadrão de clareanos

A novidade mais divertida de Maze Runner: Prova de Fogo fica por conta da possibilidade do gamer poder realizar corridas com um esquadrão de personagens que pode ser comandado no momento que o jogador desejar. Por exemplo, se seu esquadrão possui todos os sete personagens jogáveis, em cada corrida você participará com todos eles e poderá escolher correr com aquele que desejar. Se você começar a corrida com o Thomas, pode trocar para a Teresa ou Jorge apenas num clique.

Além da experiência agradável em jogar e acompanhar todos os protagonistas do segundo filme, o esquadrão também aumenta as chances de sobrevivência ao Deserto. Se um personagem morre durante a corrida, o jogo continua a fase com o próximo membro do esquadrão. Dessa forma, o tempo das corridas e as oportunidades de encontrar itens para novos trajes cresce consideravelmente e balanceiam a dificuldade mais rígida a cada nova fase.

Se você deseja obter seu esquadrão rapidamente, Maze Runner: Prova de Fogo possui pacotes de microtransações que permitem desbloquear todos os personagens de uma vez. Porém, se você prefere desbloqueá-los jogando também é possível, todavia levará mais tempo. Apenas Winston está disponível para compra com moedas do jogo, enquanto os outros cinco personagens só são desbloqueáveis através das joias.

Como no título anterior, as joias são encontradas nas próprias fases, porém o alto número exigido por cada personagem acaba tornando a jornada bem cansativa, uma vez que as joias aparecem com menos frequência desta vez.


Prova de fogo

Maze Runner: Prova de Fogo roda sem necessidade de conexão à internet e é um marketing divertido do filme de mesmo nome. Se você é fã da trilogia cinematográfica, leitor da saga de ficção científica ou simplesmente alguém à procura de um jogo bom e acessível, Maze Runner: Prova de Fogo é o título certo.

Prós

  • Bom nível de desafio;
  • Esquadrão de personagens jogáveis;
  • Fiel ao filme Maze Runner: Prova de Fogo;
  • Fluidez dos comandos;
  • Gráficos próximos da graphic novel do filme;
  • Novas mecânicas de gameplay;
  • Roda sem necessidade de internet;
  • Sistema de progressão melhorado.

Contras

  • Gráficos de gameplay que não lembram o protagonista Thomas;
  • Microtransações atrapalham a experiência de jogo.
Maze Runner: Prova de Fogo — Android/iOS — Nota: 8.0
Versão usada para análise: Android
Revisão: Vitor Tibério
Karen K. Kremer é mestre jedi em história pela UEPG e game designer pela Universidade Positivo. Viajante do tempo e cinéfila, considera Quantum Break uma obra-prima. Cresceu fazendo Meteoro de Pégasos e jogando videogame. Apaixonada por literatura, ilustração e dinossauros. Diz a lenda que com um bat-sinal no Twitter ou DeviantArt ela aparece.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook