DiGrátis

Jogos gratuitos recomendados da semana #06

Jogos de todas as eras, de todos os tipos, pelo mesmo preço (nenhum).

Jogos gratuitos não são um fenômeno novo. Na verdade, os videogames nasceram sem pretensões comerciais claras, surgindo em ambientes acadêmicos e muitos deles sendo desenvolvidos como hobbies. Por isso, não estranhem algumas recomendações dessa semana. Elas podem ser antigas, mas, assim como não devemos julgar um game pelo seu preço, tampouco podemos fazê-lo por sua idade.

Rogue (Multi)

Essa semana bati um longo papo com meus amigos sobre roguelikes. O gênero caiu no gosto dos desenvolvedores independentes, com algumas obras bem populares hoje em dia — é só ver o sucesso de games como Rogue Legacy (Multi) e The Binding of Isaac: Rebirth (Multi). Entretanto, em minha conversa com eles, algo me chamou a atenção: nenhum deles jogou o game que dá nome ao gênero, o clássico Rogue.

Lançado em 1980, Rogue continua maravilhoso de se jogar mesmo 25 anos depois. Poucas experiências conseguiram reunir os três elementos básicos dos roguelikes (geração procedural de conteúdo, permadeath e dificuldade elevada) quanto o roguelike original. A interface arcaica e ausência de gráficos pode afastar alguns, mas o jogo ainda é detalhado, divertido e desafiador. Até hoje uma aula para todos os jogos do gênero.

Mesmo com tantos anos nas costas, ainda há desenvolvedores que trabalham em Rogue. Há várias modificações e ports disponíveis na internet. É possível jogá-lo direto do navegador ou no celular, além de haver várias versões com interface gráfica. Mas nada se compara a jogar direto de um terminal. Ou talvez seja só meu saudosismo falando.

Recomendado para: Fãs de roguelikes.
Não recomendado para: Quem não acha que morrer é divertido.
Quanto custa? Já não tenho mais piadinhas engraçadinhas para colocar aqui.
Onde jogar? Roguelike Restoration Project, Google Play, Internet Archive, milhões de outros links no Google.

Death of a Lich King (PC)

Falando em roguelikes, que tal uma recomendação mais moderna? Death of a Lich King foi feito para o Lurum Dare 33. Nele, você controla o dito-cujo Lich King, que foi aprisionado no topo de uma torre. Seu objetivo é escapar, mas o local está recheado de guardas e guerreiros que esperavam por seu ressurgimento apenas para matá-lo de novo.

Entretanto, você não é um mero mortal. Você é o Lich King, oras! Assim sendo, ninguém pode lhe destruir permanentemente. Anos depois, você ressuscita, mais uma vez no topo da torre, podendo continuar sua fuga. As almas que você consumiu na tentativa anterior são transformadas em corações, aumentando sua saúde e resistência na nova encarnação.

Uma mecânica interessante é a gravidade. Ao descer a torre, você pode planejar sua queda e cair em cima da cabeça de um inimigo, matando-o imediatamente — basicamente, uma versão macabra de Super Mario Bros. (NES). O planejamento de seus movimentos vai muito além disso: o jogo é por turnos e seus oponentes seguem padrões. É preciso pensar cada movimento com antecedência para se sair bem.

Apesar de divertido e com propostas interessantes, é notável que Death of a Lich King é só um protótipo. Não há música, a variedade de inimigos é limitada. Quem sabe o desenvolvedor não faz uma versão “completa” baseando-se nesse conceito futuramente? Só esperemos que também seja gratuita!

Recomendado para: Quem gosta de pular na cabeça de inimigos.
Não recomendado para: Quem acha música essencial para se jogar.
Quanto custa? Sério, esgotou a imaginação!
Onde jogar? itch.io.

Prince of Persia (Multi)

É, estou saudosista mesmo essa semana. Esse aqui nem tenho justificativa para indicar além do clássico “porque eu quero”.

Mas alguns devem estar pensando: “Prince of Persia, de graça?” Pois é. No começo do ano, o Internet Archive disponibilizou vários clássicos do MS-DOS gratuitamente. Dentre todos eles, é seguro dizer que Prince of Persia é o mais clássico.

A melhor parte: você pode jogá-lo diretamente do navegador! Usando alguma tecnomancia avançada, qualquer browser moderno pode rodar o jogo sem a necessidade de plugin algum. Até o Internet Explorer, acreditem se quiser!

Uma observação final: se você jogou Prince of Persia no Super Nintendo, sinto-lhe informar que você não jogou Prince of Persia. A versão para MS-DOS é muito melhor e próxima do original concebido por Jordan Mechner. Faça um favor a si mesmo e jogue!

Recomendado para: Seres humanos.
Não recomendado para: Desalmados.
Quanto custa? É sério, poxa!
Onde jogar? Internet Archive.

Excavate (PC)

Nesse jogo de simulação, você controla uma equipe de arqueólogos. Seu objetivo é conseguir relíquias e fósseis para a sua faculdade. Entretanto, ser arqueólogo não é simplesmente sair por aí com um chicote e chapéu maneiro desbravando ruínas maias. É preciso muito planejamento para se efetuar esse trabalho, desde a decisão de onde cavar até o gerenciamento da (limitada) verba.

É preciso gerenciar também muitas coisas que, à primeira vista, não têm a ver com a arqueologia. Quem vai vigiar os sítios arqueológicos e equipamentos à noite? Quem lidará com as relações públicas da equipe, concedendo entrevistas, conseguindo apoio da comunidade local e divulgando o trabalho? Como está a credibilidade de sua equipe diante da faculdade? Essas são apenas algumas de suas preocupações enquanto no comando da equipe.

Para piorar, seu tempo é limitado. Há apenas 14 dias para explorar o sítio e resgatar as relíquias. Otimização é a palavra chave para se sair vitorioso.

Recomendado para: Aspirantes a arqueólogos..
Não recomendado para: Fãs de Indiana Jones.
Quanto custa? Você ainda tá lendo isso aqui?
Onde jogar? Gamejolt.

Bloodworm (PC)

Por mais que os smartphones modernos tenham jogos excelentes, poucos podem se comparar a um clássico presente em todo “tijolão” dos anos 1990: Snake, o vulgo “jogo da cobrinha”. É interessante pensar que esse provavelmente é um dos games mais jogados da história, mas há pouquíssimos exemplos modernos de obras inspiradas diretamente nele.

Bloodworm chama a atenção não só por sua inspiração em Snake, mas também por sua abordagem macabra. Aqui, a “cobrinha” não é uma comilona simpática, é um monstro sedento por carne humana. Tome controle do verme e rasteje-se sorrateiramente até suas vítimas, consumindo-as inteiramente e deixando um rastro de sangue para trás.

Recomendado para: Saudosistas do famoso “jogo da cobrinha”.
Não recomendado para: Quem nunca teve um Nokia na vida.
Quanto custa? ...
Onde jogar? Ludum Dare.

E você, Blast leitor, conhece algum jogo gratuito, novo ou antigo, que gostaria de recomendar? Comente logo abaixo!

Revisão: Vitor Tibério
Lucas Pinheiro Silva é analista de sistemas web por profissão, gamer por vocação. Tem grande interesse em game e level design, o que o levou a escrever para o GameBlast. Em seu Facebook e Twitter também fala de outras coisas, como HQs, música e literatura.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais