Jogamos

Análise: Anglerfish (Multi) consegue simultaneamente surpreender e cansar o jogador

Apesar de seus problemas, a obra publicada pela Feardemic possui um saldo positivo e vale a pena ser conferida.

Anglerfish é uma mescla de terror e aventura que nos leva a investigar os mistérios escondidos no subsolo de um bar. Com um conceito intrigante de alterar a jornada a cada vez que o jogador morre e uma narrativa que recorre frequentemente à metalinguagem, o título oferece uma experiência curiosa, embora com algumas falhas.

Uma despedida de solteiro assombrosa

O enredo de Anglerfish se desenrola em torno de um grupo de amigos que se reúne em um bar para uma despedida de solteiro. No entanto, a celebração é repentinamente interrompida pela misteriosa aparição de monstros grotescos que começam a massacrar todos à sua frente.

Após também ser vítima desses ataques, o protagonista misteriosamente retorna à consciência momentos antes da tragédia. Ao morrer e reviver algumas vezes, ele acaba descobrindo uma passagem para o subterrâneo do pub, onde pode estar a resposta para essa estranha situação.

Anglerfish é um jogo que busca frequentemente surpreender o jogador, especialmente por meio do uso da metalinguagem em seu enredo, que discute com bom-humor, ironia e crítica algumas questões relacionadas à indústria dos games.

É importante destacar que a trama central, que envolve o mistério por trás das aparições monstruosas e o passado do protagonista, é bastante previsível em certos pontos. Apesar disso, a narrativa consegue entreter na maior parte do tempo. Lamentavelmente, o título não possui legendas em português, o que é ainda mais decepcionante considerando que grande parte das últimas obras publicadas pela Feardemic oferece essa opção.

A morte traz um diferente recomeço, mas só às vezes

Ao explorarmos as profundezas do bar, nos deparamos com diversos monstros dispostos a encerrar nossa vida com apenas um toque. Para detê-los, contamos com a ajuda de uma espingarda. É muito fácil morrer em Anglerfish, mas essa condição está intrinsecamente conectada à principal proposta do jogo — Isso porque, sempre que somos derrotados, a jornada é reiniciada, porém com alguma alteração no trajeto.

Em algumas situações, essa abordagem funciona muito bem, gerando eventos inusitados que realmente proporcionam a sensação de que a aventura está em constante mudança. Nessa perspectiva, é extremamente agradável quando as transformações são significativas, pois esse quadro gera um considerável sentimento de insegurança e incerteza. 

É importante ressaltar que essas modificações são diretamente influenciadas pelo local e pela maneira como o jogador morreu. Assim sendo, não há muito como prever quando as alterações introduzirão novos perigos, o que contribui para manter a campanha razoavelmente imprevisível.

A despeito desses bons momentos, também há ocasiões em que as mudanças são sutis demais ou até mesmo irrelevantes, como uma simples realocação de inimigos. Quando isso ocorre, a nova tentativa acaba despertando uma grande sensação de repetição. Infelizmente, esse cenário ocorre com frequência suficiente para incomodar e deixar o jogo um tanto monótono, mesmo considerando sua curta duração.

Outro ponto que causa desconforto em relação à jogabilidade é a falta de precisão dos controles. Existe um atraso perceptível entre o comando dado pelo jogador e a resposta do personagem, o que pode gerar frustração em situações críticas, principalmente em cenários de fuga. Além disso, os tiros da espingarda também não são tão certeiros, pois houve instantes em que os meus disparos simplesmente não acertavam o oponente, mesmo ele estando bem na frente da arma.

Devido a essas falhas, a experiência proporcionada por Anglerfish acaba sendo uma montanha-russa cheia de altos e baixos. Embora algumas corridas se destaquem muito com diversos eventos inesperados, outras apresentam contextos repetitivos que podem nos levar à exaustão. Além disso, a mencionada falta de exatidão técnica acaba gerando mortes injustas.

A despeito dos problemas, o saldo é positivo

Anglerfish é um jogo que diverte e cansa quase que na mesma proporção. Apesar disso, ainda que suas falhas sejam incômodas e tornem algumas corridas monótonas, as situações em que a tentativa de surpreender é bem-sucedida são agradáveis e instigantes o bastante para que seja válido vivenciar essa aventura.

Prós

  • O enredo, apesar de ser previsível em alguns pontos, é envolvente e apresenta camadas de metalinguagem, levando o jogador a refletir sobre a indústria dos games;
  • A mecânica de alterar o trajeto com base na morte do jogador cria uma constante sensação de incerteza e insegurança;
  • Essa mesma mecânica introduz algumas situações surpreendentes no trajeto, mantendo a experiência razoavelmente imprevisível.

Contras

  • O atraso na resposta aos comandos e a imprecisão dos disparos da arma podem levar a mortes injustas;
  • Algumas corridas se tornam cansativas devido às mudanças no percurso serem muito sutis ou irrelevantes;
  • Ausência de legendas em português.
Anglerfish — PC/PS4/PS5/Switch — Nota: 7.0
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: Davi Sousa 
Análise produzida com cópia digital cedida pela Feardemic

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google