Jogamos

Análise: Mages and Treasures (Multi) é uma aventura simples e fofinha

Ajude um simpático mago em sua jornada para recuperar um valioso tesouro.


Mages and Treasures
é uma ótima pedida para quem precisa dar aquela desacelerada de jogos mais intensos ou mesmo relaxar depois de um dia cansativo e estressante de trabalho. Extremamente simples e simpático, ele chega a ser ideal aos pequenos que estão começando no mundo dos games.

Em busca do tesouro furtado

Em Mages and Treasures, assumimos o papel de um simpático mago. O dia estava ótimo até ele perceber que seu tesouro mais valioso havia sido furtado de sua casa; um bilhete bem atrevido foi deixado, avisando sobre as consequências caso o feiticeiro resolvesse ir atrás dos ladrões. Ignorando a ameaça, nosso intrépido herói parte em uma aventura para recuperar seu bem, e nossa missão é ajudá-lo a cumprir essa tarefa.


A aventura do mago sem nome se dá em um mundo mágico infestado de inimigos e armadilhas. Durante a jornada, devemos auxiliá-lo na luta contra monstros, na resolução de quebra-cabeças e na obtenção de magias que o permitirão se fortalecer para enfrentar as adversidades pelo caminho.

A dinâmica de Mages and Treasures se dá em um cenário que lembra o primeiro The Legend of Zelda, com diversas telas representando os diferentes ambientes desbravados pelo mago. Entretanto, para avançar é necessário cumprir algumas tarefas para que os portões que impedem o acesso sejam abertos, seja por meio da resolução de quebra-cabeças, derrotando todos os inimigos no cenário ou usando chaves que encontramos pelo caminho.


Moedas são coletadas ao destruirmos inimigos e nos baús espalhados pelo mundo, e usadas para abrir alguns portões que geralmente premiam o herói com poções que aumentam seus pontos de cura e magia. Ao derrotar um chefe, o mago obtém um amuleto que o dá um novo feitiço, que causa mais dano ou tem um maior alcance para atacar os adversários. Ao ser derrotado, ele perde algumas moedas e o cenário atual é reiniciado.

Simpático e bonitinho

Como mencionei no início desta matéria, Mages and Treasures é um título bastante simples, com um grau de desafio baixo e extremamente fácil de jogar. A dinâmica de resolver quebra-cabeças arrastando barris para abrir portões, coletar chaves e derrotar inimigos é uma atividade rotineira que perdura da primeira à última tela de jogo.

Com uma duração bem curta, podendo ser finalizado em cerca de uma hora, o game proporciona uma verdadeira sessão de relaxamento graças à sua trilha sonora suave e simpática, que casa perfeitamente com a apresentação geral. O desafio maior fica por conta da abertura de todos os 30 baús e da resolução de todos os 30 quebra-cabeças disponíveis. Resolver essas duas atividades em sua totalidade não é mandatório para concluir a campanha, deixando essa “obrigação” a critério de quem quiser passar mais tempo passeando pelo game.


Apesar de simples, alguns detalhes me chamaram a atenção durante minha jogatina, como a sombra das nuvens projetadas no chão e a perspectiva da queda de gotas de chuva e flocos de neve, mostrando que mesmo sendo um jogo bem simplório, ainda houve um capricho para realçar um pouco mais a apresentação geral.

Um dos pontos que realmente me desagradaram em Mages and Treasures foi em relação à movimentação do personagem, que teima em ficar “enganchando” nos cantos do cenário e objetos. Sabe quando você está andando pela casa e um pedaço da sua roupa agarra em algum móvel, como a maçaneta da porta ou o puxador da gaveta? Imagine esse incômodo acontecendo praticamente o tempo todo.


Como a principal atividade é arrastar barris para liberar o acesso a novas áreas, por diversas vezes precisei colocar o bendito barril na posição exata, pois sempre havia aquele pixel que enganchava no cenário e impedia que eu o colocasse na posição correta. Algumas vezes tomei dano de algum inimigo ou armadilha porque na hora de me mexer o "pixel do mal" da capa do mago agarrou algo no cenário, tomei um golpe e morri... de novo. Fora isso, o jogo é só amor e simpatia.

Ainda sobre os barris, a atividade de resolver as charadas com eles é bem lúdica, algo que pode estimular uma criança na resolução de problemas. Falando como um adulto, alguns segundos olhando a disposição deles são suficientes para eu saber a solução e então começar a arrastá-los pelo cenário. Entretanto, depois de resolver meia dúzia deles já fica maçante ter que resolver o seguinte, e outro, e mais um, e assim por diante até o fim da aventura. Não há muita variedade nessa atividade.

Simples como um estalar de dedos

Mages and Treasures é uma verdadeira sessão de terapia para quem busca um break de algo mais intenso ou está a fim de dar uma relaxada no fim do dia. Também serve como uma boa recomendação a crianças que estão começando no mundo dos games, por conta de seu desafio simples e apresentação amigável.

Prós

  • A apresentação se destaca com uma trilha sonora acolhedora e um tema bem leve;
  • Jogabilidade extremamente simples;
  • Nível de desafio amigável para jogadores casuais e crianças pequenas;
  • O aspecto lúdico dos quebra-cabeças é um ótimo estímulo para uma audiência infantil.

Contras

  • Curta duração;
  • Os quebra-cabeças são engenhosos, mas pouco variados;
  • A movimentação do mago é prejudicada por pixels que ficam agarrando no cenário.
Mages and Treasures — PC/PS5/PS4/XSX/XBO/Switch — Nota: 7.0
Versão utilizada para análise: PlayStation 4
Revisão: Davi Sousa
Análise feita com cópia cedida pela Ratalaika Games

Fã de Castlevania, Tetris e jogos de tabuleiro. Entusiasta da era 16-bit e joga PlayStation 2 até hoje. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora quando as partidas acabam em discórdia e fogo no parquinho. Nas redes sociais é conhecido como @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google